Cânion Itaimbezinho: a trilha do Rio do Boi, no Parque Nacional da Serra Geral

9

Atualizado em 5 de setembro de 2021

Cânion Itaimbezinho: a trilha do Rio do Boi, no Parque Nacional da Serra Geral

O arquiteto Rommel Ramalho é apaixonado pela natureza. Ele visitou o sul do País e fez a Trilha do Boi, no Cânion Itaimbezinho, uma experiência que, como ele mesmo diz, vale para a vida toda.

Rommel sempre teve um olhar especial para as coisas bonitas do mundo. Mas, como ele mesmo conta, foi a sua formação acadêmica que o estimulou a desenvolver uma fascinação ainda maior pelo belo.

E foi viajando em contato com a natureza que ele encontrou a perfeição.

Sempre fui apaixonado por viagens de todos os tipos. De férias, de negócios, mais cultural e até religiosa. De uns anos pra cá, tomei consciência de que o ecoturismo batia no mais profundo do meu coração e me levava a lugares que transcendiam o simples e o óbvio fato do conhecimento superficial e da visitação”, conta.

Rommel, que mora em Fortaleza, a capital do Ceará, lembra que além das praias paradisíacas espalhadas pela costa do seu estado, há também inúmeras formações montanhosas.

Dessa vez, a sua aventura começa no Rio Grande do Sul, bem longe dessa terra ensolarada.

Embarquei cedinho em Fortaleza no primeiro dia de agosto. Foi propositalmente depois do mês de férias escolares, e ainda em pleno inverno pra usufruir do friozinho típico da região. Cheguei em Porto Alegre no meio da tarde. Ainda deu pra visitar a Fundação Iberê Camargo que é a primeira obra do consagrado arquiteto português, Alvaro Siza Vieira, na América do Sul. Fantástico!”, se entusiasma o nosso amigo viajante.

Cânion Itaimbezinho: a trilha do Rio do Boi, no Parque Nacional da Serra Geral

Rumo a Cambará do Sul

No dia seguinte, Rommel alugou um carro e tomou o rumo das serras gaúchas com destino a Cambará do Sul. A cidade fica a 180 quilômetros de Porto Alegre.

No caminho, passou por São Francisco de Paula, que com de São José dos Ausentes integra um verdadeiro patrimônio natural na região que é conhecida como Campos de Cima.

CLIQUE E SAIBA MAIS SOBRE OS PARQUES NACIONAIS

Na divisa entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina estão dois Parques Nacionais: o de Aparados da Serra e o da Serra Geral. Eles protegem uma área de 30.360 hectares e têm uma paisagem cheia de cânions, vales e platôs.

Uma característica bem peculiar são os paredões de rocha que chegam a 980 metros de altura. É por causa desses paredões que o Parque ganhou o nome de Aparados da Serra, pois os paredões verticais parecem ter sido aparados com faca, quando comparado a outras formações rochosas da região.

O Parque Nacional da Serra Geral foi criado em 1992, e tem 17.300 hectares. Suas principais atrações são as trilhas do Mirante do Cânion Fortaleza, da Pedra do Segredo e da Borda dos Cânions.

É nessa região, já na fronteira do Rio Grande do Sul com Santa Catarina que está o maior conjunto de cânions do Brasil. Um lugar privilegiado para o turismo de aventura e para o ecoturismo.

Aqui, chega quem gosta de trilhas na mata, vento frio no rosto e banho de rio.

Cânion Itaimbezinho: a trilha do Rio do Boi, no Parque Nacional da Serra Geral

Dois parques nacionais concentram as principais trilhas e pontos de visitação nessa região. No Parque Nacional de Aparados da Serra está o cânion Itaimbezinho, cujos paredões chegam a 720 metros de altura.

No Parque Nacional da Serra Geral, a falta de estrutura não diminui o deslumbramento diante do cânion Fortaleza. Este é mais alto e maior do que o Cânion Itaimbezinho.

Em Aparados da Serra, as trilhas do Vértice e do Cotovelo são sinalizadas e protegidas com cercas na beira dos precipícios. Já na Serra Geral, quem vai pela primeira vez precisa de um guia.

Especialmente se os planos incluem espichar o passeio até a cachoeira do Tigre Preto. Para conhecer os cânions mais distantes, como Churriado e Malacara também é indicado um guia.

Cânion Itaimbezinho: a trilha do Rio do Boi, no Parque Nacional da Serra Geral

Cânion Itaimbezinho e a Trilha do Rio do Boi

Ita-imbé é nome indígena para pedra cortada. Essa é uma definição exata para as arestas verticais do Itaimbezinho. Os passeios em grupo para esse cânion costumam partir pela manhã, quando a paisagem fica mais nítida.

Durante a tarde, aumentam os riscos de nevoeiro, ou viração, como o fenômeno é chamado.

Para aproveitar o seu passeio com tranquilidade contrate um guia. Ele é importante, sobretudo, no quesito segurança. O turismo de aventura envolve riscos, quedas, trechos inóspitos e até sustos com animais selvagens.

Os guias sabem cortar caminhos, mostrar ângulos surpreendentes e escolher as pedras mais firmes na hora de transpor riachos.

Em qualquer época do ano, cavalgar é um ótima programação nos campos de cima da serra. Na cultura gaúcha, o cavalo está associado à ideia de liberdade, de partir com pouca bagagem e conseguir chegar a recantos aonde um automóvel não chega. No alto das coxilhas e na beirada dos cânions, por exemplo”, sugere.

Cânion Itaimbezinho: a trilha do Rio do Boi, no Parque Nacional da Serra Geral

Descendo aproximadamente 900 metros de altitude até a BR-101, Rommel chega a Praia Grande, em Santa Catarina. É hora do nosso amigo aventureiro entrar na trilha que percorre as margens do Rio do Boi. Aqui, ele experimenta o desafio de vencer todas as suas dificuldades.

Os moradores da região contam que o nome Trilha do Boi se dá pelo fato de que alguns gados costumavam despencar dos paredões. Isso na época em que a região ainda não era protegida ambientalmente.

“Saímos bem cedo e nos dirigimos ao Posto de Informações e Controle. Lá iniciamos uma caminhada na mata por cerca de uma hora até atingirmos o ponto da margem do rio. Este é considerado ponto ideal para iniciarmos a trilha. Paramentamo-nos com capacete para prevenção de pancadas na cabeça no caso de alguma queda. Também usamos polainas para proteção de picadas de cobra, pois a nossa travessia seria quase totalmente pelas pedras das margens do rio. Eventualmente seria necessária a travessia do rio, no momento em que ele toca os paredões obrigando a caminhada na margem oposta”, diz.

A foto de grupos de mãos dadas no momento da travessia é tirada nessa trilha. Essa é a imagem mais explorada pelas empresas que divulgam o turismo pelos cânions.

A paisagem dessa maravilha da natureza aliada ao sentimento de união e superação que a foto transmite é fantástica. “Sem meias palavras, foi sensacional, empolgante mesmo”, lembra.

Embora a empolgação seja quase incontrolável, só é permitido que os aventureiros caminhem até um determinado ponto do rio. Isso acontece para que haja tempo suficiente de retornar com segurança.

É proibido pernoitar no Parque.

Onde ficar em Cambará do Sul

Cambará do Sul –  também conhecida apenas por Cambará  – tem uma infraestrutura turística boa, com várias opções de hotéis, hostels e pousadinhas perfeitas para os dias quentes do verão e para o frio do inverno, que sempre chega com força por aqui, mudando completamente a paisagem.

Ficar perto do Centro pode ser interessante, já que, assim, restaurantes e outros serviços estarão a poucos minutos de caminhada. Mas, de forma geral, tudo é perto e fácil.

Na zona rural, mais afastado do Centro, você terá a companhia da natureza, ar puro e uma paisagem que nos faz suspirar de gratidão.

Dê uma olhada no mapa abaixo para entender as distâncias e como fazer os deslocamentos.

Eu selecionei as melhores opções de hospedagem em diferentes categorias, você vai notar que há opções para todos os gostos e bolsos. Todas muito bem avaliadas pelos hóspedes.

PARADOR CAMBARÁ DO SUL

O Parador Cambará do Sul é a melhor opção de hospedagem para quem vai ficar na cidade por alguns dais. O hotel tem um conceito inovador, é cercado pela natureza e sua estrutura aproveita muito bem disso tudo: você pode ficar em uma suíte, em um bangalô ou em um casulo, todos são fantásticos.

Eles têm o aconchego que precisamos, com sistema de aquecimento e camas extremamente confortáveis. A decoração é impecável, com móveis de desing e obras de arte que encantam o olhar e nos fazem valorizar cada detalhe.

E tem, ainda, o atendimento super profissional, cuidadoso e atento de toda a equipe que se esforça ao máximo para deixar tudo perfeito. Mas experiência só se completa à mesa do restaurante, que tem orgulho de servir comida gaúcha com alma, como eles mesmos dizem. É um lugar inesquecível!

AIRES DE PATAGÔNIA

O Aires de Patagônia é um hotel daqueles que a gente nunca tem vontade de ir embora. O clima é tão gostoso e tudo é tão aconchegante que parece uma capsula do tempo.

A área verde ao redor do lago é linda, a construção rústica de bom gosto combina com o ambiente de fora, os detalhes da decoração encantam e os quartos são amplos e arejados. Tudo isso conta muito, né?

O hotel é muito bem cuidado, limpo com critérios rigorosos e tudo funciona muito bem. Deu para notar que o Aires de Patagônia é perfeito para casais? Então, aproveite.

CABANAS BRISA DOS CANYONS

No Cabanas Brisa dos Canyons, você fica hospedado em cabanas com lareira, televisão, micro-ondas e internet, como todo o conforto e com a tranquilidade que merece. Algumas cabanas têm, também, cozinha completa. O jardim da pousada é ótimo para relaxar depois de um dia de muita aventura.

O café da manhã é servido todos os dias na casa principal e é muito elogiado. Aliás, o bom atendimento é sempre muito mencionado pelos hóspedes e isso faz muita diferença, não é mesmo?

POUSADA RECANTO DO LAGO

A Pousada Recanto do Lago é um lugar mágico. Mesmo estando perto da rodovia, o que facilita muito o acesso, é possível sentir a tranquilidade da natureza ao redor. Os chalés, especialmente, têm privacidade e segurança para que você desfrute seus dias com absoluta leveza e paz.

Onde ficar em Cambará do Sul

Isso só acontece porque a equipe que trabalha na pousada cuida de todos os detalhes para deixar tudo impecável.

Das roupas de cama cheirosas ao café da manhã farto e delicioso, das dicas de passeios até o adeus, na hora de voltar para casa. É, sem dúvida alguma, uma ótima escolha para ficar em Cambará do Sul.

Onde ficar em Cambará do Sul

POUSADA CARDOSO

A Pousada Cardoso tem uma das melhores notas de avaliação dos hóspedes e não é muito difícil entender o motivo de tanto sucesso: trabalho sério e dedicação dos proprietários e funcionários, que fazem de tudo para nos agradar. Você vai notar isso!

É uma pousada rústica que combina perfeitamente com a paisagem do lado de fora. Tem conforto na medida, ambientes muito aconchegantes, camas grandes e muito acolhedoras – daquelas que abraçam a gente, sabe? – e o café da manhã é maravilhoso.

CAMBARÁ ECO HOTEL

Com decoração rústica chique, o Cambará Eco Hotel está rodeado de montanhas, jardins e um lago. A paisagem é perfeita nos dias de inverno e, também, no verão, já que caminhar pela propriedade e curtir a tranquilidade da região é um ótimo programa para começar o dia.

Você pode ainda se divertir na piscina coberta e conhecer o cardápio do restaurante local – o Restaurante do Lago. Os quartos são amplos, confortáveis e o chuveiro é óítmo. è um bom lugar para quem gosta de curtir o hotel.

POUSADA ENCANTO DOS CÂNIONS

Os quartos da Pousada Encanto dos Cânions são simples e aconchegantes. Todos têm ar-condicionado e televisão, além de secador de cabelo e produtos de banho no banheiro. Você pode se conectar à internet enquanto estiver na pousada e aproveitar a recepção 24 horas para informações e dicas do que fazer na região.

A pousada é pequena, e isso deixa o ambiente ainda mais aconchegante e com atendimento mais personalizado. Se estiver viajando de carro, fique tranquilo, porque tem estacionamento gratuito.

Casas de Temporada em Cambará do Sul

Viajar tem vários aspectos positivos, mas um que sempre faz muita diferença é ter uma boa experiência com o lugar que escolhermos para passar alguns dias.

Nesta pegada, vale arriscar um pouco mais e ver as opções de casas e apartamentos.

É incrível como a gente encontra lugares sensacionais, com uma arquitetura criativa e, principalmente, com conforto e segurança.

Veja algumas casas que eu indico em Cambará do Sul.

BRUMAS CASA DE CAMPO

O Brumas Casa de Campo é disparado o melhor lugar para quem procura mais privacidade e a tranquilidade de ter um lugar para chamar de casa por alguns dias.

E, muito mais do que isso, ele proporciona uma experiência única: ficar em um contêiner mega confortável, rodeado de araucárias e pela natureza dos Campos de Cima da Serra. Os contêineres ficam em uma fazenda na estrada que é caminho para o Cânion Fortaleza.

Cada unidade tem 30 metros quadrados, varandinha quarto de casal, cozinha, banheiro e é ideal para duas pessoas. O sistema de isolamento acústico e térmico garante conforto e deixa tudo mais aconchegante, como a gente merece, não é mesmo?

CASA CAMBARÁ

Para quem prefere ficar no Centro, a Casa Cambará é uma boa opção. Ela tem ambientes super aconchegantes, sem luxo, mas com conforto e segurança – por isso, é tão bem avaliada pelos hóspedes. A casa tem dois quartos, um com cama de casal e outro com duas de solteiro, sala, banheiro e cozinha completa.

A localização é bem central, perto de restaurantes, mercados e tudo mais. O acesso aos cânions também é fácil e, sem dúvida, é uma das melhores escolhas para quem quer ficar em Cambará do Sul sem gastar muito com hospedagem.

Hostel em Cambará do Sul

Para quem quer economizar uma grana e topa dividir um quarto de hostel com outros viajantes, a minha dica é o Hostel Cape Town.

HOSTEL CAPE TOWN

Para os mochileiros de plantão, o Hostel Cape Town é uma ótima opção para ficar em Cambará do Sul. Você pode curtir a atmosfera do hostel e aproveitar a natureza do lugar. Mas, caso precise de mais privacidade, é possível escolher quartos individuais ou para família.

O Hostel Cape Town tem uma cozinha completa onde você pode preparar suas próprias refeições. Na vizinhança você encontra supermercados, bares, pubs e restaurantes. Animais de estimação também são bem-vindos sem custos adicionais.

Onde ficar em Cambará do Sul

Faixas de preço em Cambará do Sul

No mapa abaixo estão todas as opções de hospedagem da cidade – especialmente as do Centro – com os preços. Para saber mais,  você só precisa clicar nos pins azuis. 



Booking.com

Informações Básicas
Quando ir | O período com menos chances de céu encoberto vai  de junho a agosto, mas faz bastante frio. Veja quando ir a Cambará do Sul. 
Como chegar | Cambará do Sul está a 195 quilômetros de Porto Alegre. Da capital gaúcha, você tem várias opções para escolher como chegar a Cambará do Sul. 
Onde ficar | Cambará do Sul é a cidade base para conhecer os Parques de Aparados da Serra e Serra Geral. Veja onde se hospedar em Cambará do Sul.
Onde comer | Apesar de pequena, a cidade tem bons restaurantes que servem comida caseira e regional. Veja onde comer em Cambará do Sul.

Protocolo COVID-19

O ICMBio divulgou as medidas que devem ser adotadas na visitação aos Parques Nacionais de Aparados da Serra e da Serra Geral.

A orientação é para que pessoas integrantes do grupo de risco evitem visitar os Parques Nacionais de Aparados da Serra e da Serra Geral.

Veja algumas orientações:

  • O uso de máscaras é obrigatório durante todo o tempo de permanência nos Parques, inclusive durante as trilhas, para a proteção de todos que estão visitando e trabalhando;
  • As trilhas poderão estar fechadas ou operando com número limitado de visitantes em função da pandemia;

Consulte o Twitter dos Parques para saber as atualizações destas situações.

Veja mais dicas do Rio Grande do Sul

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas do Rio Grande do Sul.