Viajar pelo Jalapão de carro particular e sem guia: vale a pena mesmo?

33

Atualizado em 30 de agosto de 2020

Como é viajar pelo Jalapão de carro particular e sem guia

Se você está planejando viajar pelo Jalapão de carro particular e sem guia, pare um pouco para ler este texto, mesmo que você seja experiente em roteiros off road.

Antes de pegar a estrada, é importante saber que essa terra remota é ainda muito carente de infraestrutura: não há estradas pavimentadas depois das principais cidades, energia elétrica somente nos povoados maiores e sinal de celular é raridade.

Além disso, nem pense em se lançar na estrada confiando no GPS, porque essa modernidade ainda não funciona bem no Jalapão, e encontrar placas indicando os atrativos é mais difícil do que qualquer outra coisa que você possa imaginar.

Entenda o Jalapão

O Jalapão é uma região de exuberante beleza natural no interior do Tocantins, na divisa com os estados da Bahia, do Piauí e do Maranhão.

Oficialmente estabelecido como Parque Estadual, em 2001, nos últimos anos, tem ganhado fama entre os viajantes – o Jalapão é ideal para quem admira a natureza em seu estado mais bruto e sem muita interferência humana.

Nessa terra que ainda tem muito a nos mostrar, a maneira mais confortável e segura de viajar é a bordo de um veículo 4×4.

Isso porque, durante o período de seca a areia fica fofa demais e, na chuva, alguns trechos da estrada podem estar danificados.

Como é viajar pelo Jalapão de carro particular e sem guia

O Deserto Brasileiro, como também é conhecido o Jalapão, tem 34 mil quilômetros quadrados e abrange terras nos municípios de Mateiros, Novo Acordo, Ponte Alta do Tocantins e São Félix do Tocantins.

Áreas de proteção ambiental

O Parque Estadual do Jalapão faz parte de um mosaico de unidades de conservação, que, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente, soma mais de três milhões de hectares, o que forma a maior área de proteção do Cerrado no país.

Como é viajar pelo Jalapão de carro particular e sem guia

Entre as áreas ambientalmente protegidas estão, além do Parque Estadual do Jalapão, a Estação Ecológica Serras Gerais do Tocantins, a Área de Proteção Ambiental (APA) do Jalapão, o Parque Nacional das Nascentes do Rio Parnaíba, o Monumento Natural dos Cânions e Corredeiras do Rio Sono e a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) da Serra da Catedral.

O Jalapão tem esse nome por causa de uma raiz muito comum nessa região, a jalapa. Como muitas outras plantas do Cerrado, ela é usada como um remédio natural.

Voltando à história do carro

Embora você encontre relatos de pessoas que tenham feito esse roteiro em carros populares, nessa região de natureza bruta, onde tudo é imprevisível, uma viagem só é confortável e segura em veículos 4×4.

Como é viajar pelo Jalapão de carro particular e sem guia

Não são raros os casos de turistas que ficam atolados nas estradas arenosas do Jalapão.

Na estação seca, de maio a outubro, a areia fica ainda mais fofa e rodar por aqui é uma aventura até mesmo com carros tracionados.

Na época das chuvas, muitas estradas acabam danificadas e isso pode ser mais uma dificuldade para você vencer.

Os problemas são tão frequentes que muitas locadoras de Palmas se recusam a alugar veículos para turistas que têm como destino o Jalapão. A justificativa é que, em caso de pane ou de acidentes, o guincho do seguro não chega aqui.

Como é viajar pelo Jalapão de carro particular e sem guia

Viajar pelo jalapão de carro é uma boa ideia?

Conversando com um guia que tem muita experiência nessas terras, ouvi relatos de pessoas que tiveram prejuízos grandes.

Uma dessas histórias era a de um grupo de universitários que teve o para-choque e o radiador de uma Duster danificados.

Ao retornarem com o carro destruído para a locadora, os viajantes tiveram que pagar pelas peças, pela mão-de-obra e pelos dias que o carro ficou parado. Isso tudo porque as avarias foram causadas por mal uso.

Como é viajar pelo Jalapão de carro particular e sem guia

Eu também tive que ajudar um desses veículos atolados na areia.

Já era noite, todos os carros deixavam o Jalapão com destino a uma das cidades que servem como base para o passeio diário: Ponte Alta do Tocantins, Mateiros e São Félix do Tocantins, e, numa estrada escura, o motorista, que dizia conhecer os trajetos do Jalapão, havia patinado na areia e atolado.

Com nossa ajuda, ele conseguiu sair do buraco, mas como aqui toda sorte é insuficiente, ficou agarrado poucos metros adiante.

Nós o ajudamos novamente e, dessa vez, ele seguiu viagem em paz. Pelo menos é o que eu acho.

Como é viajar pelo Jalapão de carro

Outro fator que você deve observar, antes de sair pelo Jalapão de carro, é que as estradas têm pouquíssimo tráfego.

Normalmente, quem precisa de socorro tem que esperar muito, dependendo da região, dias inteiros.

Nas minhas conversas com o guia, eu também fiquei sabendo que nem sempre é fácil encontrar combustível nos postos das cidades do Jalapão.

Além disso, como o caminhão-tanque nem sempre chega por aqui, a oferta é pouca. O resultado disso são preços absurdos, bem mais altos do que o valor de mercado.

E tem mais: se for viajar pelo Jalapão de carro particular, sozinho, você vai precisar ter muita coordenação logística. Isso interfere na hora de aproveitar o melhor horário de cada atrativo.

Perder o pôr do sol nas Dunas ou na Pedra Furada, por exemplo, é um pecado mortal.

Compensa viajar com agência?

Depois de tudo isso que eu expliquei, você vai concordar que a melhor forma de viajar pelo Jalapão é contratando uma agência. Você pode também optar por um guia experiente que conheça bem a região.

Eu viajei com a Cerrado Dourado e experimentei quatro dias de muita tranquilidade.

Mergulhando em cachoeiras de águas translúcidas, subindo montanhas para assistir, lá do alto, o nascer do sol e desfrutando dos famosos fervedouros, eu conheci o Jalapão sem preocupação e sem estresse.

Por isso, eu sugiro que você contrate um passeio guiado. De preferência em um veículo com ar-condicionado, já que em algumas áreas do Jalapão os termômetros registram temperaturas acima dos 50 graus – isso não é frescura.

Quanto custa viajar pelo Jalapão de carro

Eu fiz as contas e, somando os gastos com aluguel de um veículo 4×4, combustível, a diária de um guia local, alimentação, hospedagem e a entrada nos atrativos, os valores aproximados para viajar pelo Jalapão de carro particular, considerando uma expedição de quatro dias, são estes:

ÍTEM CUSTO DIÁRIO CUSTO PARA 4 DIAS
Aluguel de veículo 4×4 R$ 500 R$ 2.000
Combustível R$ 100 R$ 400
Guia de turismo R$ 150 R$ 600
Hospedagem R$ 150 R$ 450
Alimentação R$ 50 R$ 200
Entrada nos atrativos R$ 35 R$ 140
TOTAL R$ 985 R$ 3.790

Para viajar com uma agência tendo todos esses serviços inclusos, você vai pagar entre R$ 1.800 e R$ 2.200. A Cerrado Dourado  tem pacotes de quatro dias a partir de R$ 1.999.

Informações Básicas
Quando ir | O melhor período para conhecer o Jalapão é de maio a outubro, sendo que os meses mais interessantes são de junho a setembro. Veja mais dicas de quando ir ao Jalapão.
Como chegar | O aeroporto de Palmas (PMW)  fica 300 quilômetros de Mateiros, a principal cidade do Jalapão. Aproveite para ver como é viajar pelo Jalapão de carro particular e sem guia.
Onde ficar | Eu fiz Ponte Alta do Tocantins e Mateiros como cidades base, dormindo nelas e percorrendo o Parque durante o dia. Veja onde se hospedar no Jalapão. 
Onde comer | As refeições são feitas nos pontos de parada e, à noite, nas pousadas. A Cerrado Dourado serve água, suco, lanches e frutas em todas as paradas. 

Veja mais sobre o Jalapão

Ficou mais fácil planejar sua viagem ao Jalapão? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo, e aproveite para ver outras dicas.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde criança, sonhei em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

33 Comentários

  1. Avatar

    Boa noite amigo, eu estou pretendendo ir ao Jalapão em Setembro agora quando reabrir, e tenho uma dúvida, eu indo sozinho com minha esposa no meu carro que é 4×4, eu consigo fazer todo o trajeto sozinho, pedindo algumas informações pra alguém da cidade, de como chegar no local e tal, pegando dicas, sem nenhum guia ??

    • Altier Moulin

      Oi, Rafael.

      Se você tiver experiência em estradas arenosas e com atoleiros, tudo bem, dá pra ir.
      Monte um roteiro tente se guiar pelo mapa com a ajuda do GPS – mas nem sempre funciona.
      Lembre-se que nem sempre há placas e nessa época deve estar bem vazio. Então, se precisar de ajuda, pode ser que demora.
      Acho que vai ser uma aventura interessante.

      Um abraço.

    • Avatar

      Rafael, consegue sim. Esse trem de guia é uma máfia aqui. muitos rios e cachoeiras dão pra fazer com o GPS e 4×4 (só murchar o pneu). Uma ou outra atração pedem o guia pra ficar responsável pelo lugar e o visitante não destruir, mas a verdade é que o Guia sequer olha pras pessoas. Murcha o pneu do bruto, baixa o GPS off no celular e segura na mão de Deus.

    • Altier Moulin

      Gilso,

      O melhor a fazer é ir até Palmas e, de lá, seguir com a agência.
      Não vale a pena destruir seu carro nas estradas do Jalapão.
      Às vezes, o barato sai caro.

      Um abraço.

  2. Avatar

    Prezados !! Estou querendo ir a partir da Bahia para Mateiros (via Formosa do Rio Preto) em janeiro/19. Depois vou para Palmas, via Ponte Alte ou Novo Acordo. É um ASX 4×4. Vcs conhecem o caminho nessa época. Passo de ASX. Muitos atoleiros ou buracos grandes ?? Agradeço.

  3. Avatar

    Oi boa tarde amigo .. estou querendo ir juntamente com minha namorada para o jalapão em janeiro .. vamos de carro até Palmas .. vc aconselha contratar agência já em palmas ou nas cidadezinhas ? O que será que sai mas em conta? Obrigado

  4. Avatar

    Você acha viável ir de carro comum de Palmas a São Félix do Tocantins de carro e de lá contratar transporte para as atrações mais complicadas?

  5. Avatar
    José Luis Torres Romero on

    Bom dia , para todos !
    Estivemos em julho deste ano nesse paraíso do Jalapão. Foi uma aventura e tanto . Mas fomos de Captur, tração simples só na dianteira. De cara atolamos duas vezes , entrando à região vindos de Barreiras, BA.
    Se não fosse pelos funcionários da BUNGE em uma Hilux que puxou a gente, teriamos desistido da viajem. Chegamos até Mateiros , más daí contratamos passeios com guias locais que possuem Hilux 4×4 a 300 reais por casal, 600 reais o carro todo se preferir sem companhia. Para sair da região optamos pelo caminho sentido a Dianópolis e Luis Fernando Magalhães . Em muito melhor estado e mais fácil de transitar devia ter sido nossa entrada também. Recomendo. Bom passeio !

  6. Avatar
    Vilgidasio Santana on

    Olá! Estou querendo retornar após 09 anos e desta vez em um ASX 4×4, saindo de Salvador, entrando pela Formosa do Rio Preto, chegando em Mateiros. Teria alguma dica por favor ou conselho? Obrigado

Escreva um comentário