Sergipe de carro: roteiro completo pelas principais cidades

1

Atualizado em 5 de outubro de 2020

Colocar as malas no carro, conferir se está tudo certo e partir. Esta é uma das melhores sensações da vida e só quem é apaixonado por viagem sabe o que estou falando. E, desta vez, a minha dica é conhecer Sergipe de carro, sem pressa e gastando o que for justo.

No  menor estado brasileiro,  as distâncias são curtas e isso ajuda muito, porque a viagem rende e a gente consegue fazer muitas paradas, até mesmo as que não estavam programadas.

Assim, vamos conhecendo um lugar aqui, outro lá e enchendo nossa jornada de experiências e ouvindo histórias que o Sergipe tem aos montes.

Sergipe de carro

Montar um roteiro para viajar por Sergipe de carro é fácil, mas existem alguns segredos que eu faço questão que você saiba.

As cidades do roteiro são essas:

  • Aracaju, capital e principal cidade de Sergipe;
  • São Cristóvão e Laranjeiras, que fazem parte do circuito de cidades históricas;
  • Estância, no litoral sul, onde estão praias lindas e bem preservadas;
  • Itabaiana e Areia Branca, para visitar o Parque Nacional;
  • Canindé de São Francisco, onde os cânions formam uma paisagem linda;
  • Brejo Grande, na foz do Rio São Francisco;
  • Pirambu, onde fica a primeira estação do Projeto Tamar.

Na lista, estão os principais atrativos turísticos sergipanos, mas, claro, tem aqueles que ainda são pouco conhecidos e que valem à pena visitar, nem que seja em uma parada rápida.

Veja como esses destinos unem várias experiências diferentes: a gente vai do litoral ao sertão, das praias do sul, na divisa com a Bahia, até a última pontinha de terra no norte, já na divisa com Alagoas.

Condições das Estradas

De forma geral, as estrada são consideradas seguras para viajar em Sergipe de carro. Claro que a gente sempre acha que pode melhorar, mas, dentro da realidade brasileira, o Estado vai bem.

Rodovias federais

Duas importantes rodovias federais passam por Sergipe: BR-101 e BR-235.

A BR-101 cruza o Estado no sentido norte-sul, ligando Sergipe à Bahia, no sul, e a Alagoas, no norte. De acordo com as informações do DNIT, órgão federal que administra a rodovia, as obras de duplicação estão concluídas, como mostra a foto abaixo.

Foto: DNIT

A BR-235 segue em direção ao agreste sergipano. A última cidade do estado cortada pela rodovia é Carira, que fica a pouco mais de 360 quilômetros da importante cidade de Petrolina, em Pernambuco. Também de acordo com o DNIT, as condições da pista é boa, mas a maior parte é de pista simples.

Para ver a situação das rodovias federais em tempo real, acesse o site do DNIT.

Foto: DNIT

Rodovias estaduais

As principais rodovias administradas pelo Governo do Estado que entram no nosso roteiro são a SE-230, que vai até Canindé de São Francisco, e a SE-100, que percorre todo o litoral sergipano.

Elas são rodovias de muito tráfego e não estão duplicadas. Por isso é muito importante obedecer o limite de velocidade e dirigir com atenção.

As distâncias são curtas

A minha sugestão é começar a viagem por Aracaju e descer até o litoral sul. Da capital até Estância, são 79 quilômetros pela SE-100.

Depois de curtir as praias de Estância, vamos voltar para a Região Metropolitana para conhecer as cidades históricas de Laranjeiras e São Cristóvão. De Estância a São Cristóvão viajamos cerca de 55 quilômetros pela BR-101.

Em seguida, visitamos o Parque Nacional da Serra de Itabaiana, no agreste sergipano. A viagem também é curta: são apenas 65 quilômetros pelas SE-464 e BR-235.

Depois, continuamos a viagem em direção ao sertão, chegando a Canindé de São Francisco. Esse é o trajeto mais longo até agora, quase 190 quilômetros.

Saindo de Canindé, vamos voltar para o litoral, só que dessa vez em direção a Brejo Grande, de onde partem os barcos que chegam à foz do São Francisco. A viagem dura cerca de 3 horas e com 210 quilômetros de deslocamentos.

Sergipe de carro: Canindé

Da Foz, seguimos pela SE-100 até Pirambu, onde estão as praias protegidas pela Reserva Biológica de Santa Isabel. São 72 quilômetros de estradas margeadas pelo mar. Nada mal, não é mesmo?

Nossa viagem por Sergipe de carro termina, novamente, em Aracaju depois de um trecho de 40 quilômetros.

Quilômetros rodados

Resumindo, as distâncias ficam assim:

  • Aracaju – Estância: 79 km
  • Estância – São Cristóvão: 55 km
  • São Cristóvão – Itabaiana: 65 km
  • Itabaiana – Canindé de São Francisco: 190 km
  • Canindé de São Francisco – Brejo Grande: 210 km
  • Brejo Grande – Pirambu: 72 km
  • Pirambu – Aracaju: 40 km

Se somarmos todas as distâncias – só para termos uma base, porque sabemos que acabamos rodando mais – o total será: 711 quilômetros.

O que ver e fazer em cada cidade

Agora vem a melhor parte do roteiro:  escolher o que fazer em cada lugar. 

Claro que a ideia de viajar de carro é, justamente, ter mais tempo para fazer o máximo de coisas que queremos sem pressa – como é bom não ter horários fixos, não é mesmo?

Nesse estilo mais livre, é importante ter em mente apenas as principais atrações e deixar que as coisas fluam naturalmente. Sempre deu certo comigo e aposto que será assim também com você.

→ Onde ficar em Aracaju

A proposta é dar algumas orientações sobre lugares e experiências que você não pode deixar de lado, porque são, de fato, imperdíveis.

Vamos começar pela capital, Aracaju?

Aracaju: a capital sergipana

A capital de Sergipe é um convite à tranquilidade. Esqueça os engarrafamentos, as praias lotadas, as filas e se diverta na capital que é sinônimo de qualidade de vida.

Junte a isso o jeito alegre de viver do sergipano e a comida boa que, para mim, é a expressão maior do bom gosto desse povo, e você vai ter certeza de que está no lugar certo.

Sergipe de carro: Aracaju

Alguns lugares que você não pode deixar de conhecer na capital:

  • Orla de Atalaia, a principal praia da cidade, pertinho do aeroporto;
  • Passarela do Caranguejo, o melhor lugar para comer de tudo;
  • Margens do Rio Sergipe, para caminhar e andar de bicicleta;
  • Orla Pôr do Sol, o melhor lugar para ver o anoitecer;
  • Centro de Arte e Cultura, perfeito para quem quer fazer umas comprinhas;
  • Museu da Gente Sergipana, um mergulho na cultura desse povo;
  • Catedral Metropolitana e Rua dos Turistas, para completar a lista dos básicos.

Onde ficar em Aracaju

A região da Atalaia é uma ótima escolha, porque fica perto do aeroporto e de várias redes de hotéis que já conhecemos bem. Veja algumas opções:

Aproveite e veja todas as opções de hospedagem de Aracaju.

Estância: as melhores praias

Estância fica a 67 quilômetros de Aracaju, no litoral sul. Suas áreas verdes bem preservadas deram a ela o título de Jardim de Sergipe, dado por Dom Pedro II quando visitou a região.

Se até o Imperador gostou desse cantinho do Nordeste, é muito provável que você também goste.

Sergipe de carro: Estância

A Praia do Saco é a minha preferida e, inclusive, ela já foi eleita pelos leitores do TripAdivisor como a melhor praia sergipana.

Nessa região, a água é mais calma e menos turva do que na capital.

De Estância, partem os passeios para a Ilha da Sogra e para Mangue Seco, que fica na Bahia. Para aproveitar a viagem até um desses lugares, é importante chegar cedo, pois eles duram praticamente o dia todo.

Outro grande barato daqui são os passeios de quadriciclo ou de bugre pelas dunas. Escolha uma das lojinhas que oferecem o serviço e parta para sua aventura sobre as montanhas de areia. Depois, recompense o gasto calórico com uma deliciosa moqueca de peixe com camarão.

Onde ficar em Estância

Aproveite e veja todas as opções de hospedagem de Estância.

São Cristóvão e Laranjeiras: cultura e história

Chegamos ao circuito das cidades históricas sergipanas.

A primeira cidade que vamos conhecer é São Cristóvão, que carrega consigo a história de ter sido  a primeira capital de Sergipe  e a quarta cidade mais antiga do Brasil.

Cheia de casarios do tempo colonial, igrejas, museus, praças e ruas revestidas com a típica pedra pé de moleque, tudo nos lembra o passado rico da região.

Mas, há um lugar em São Cristóvão que é o mais importante de todos: a Praça de São Francisco.

Sergipe de carro: São Cristóvão

Olhando assim, friamente, nem dá para entender porque ela é tão especial. Mas, é que esse conjunto foi reconhecido como Patrimônio da Humanidade, pela Unesco, em 2010.

A praça está rodeada por construções importantes, como a Igreja e o Convento de São Francisco, que apresentam ricos detalhes da arquitetura barroca, o Museu Histórico, um antigo palácio da província onde se hospedou o Imperador Dom Pedro II, e a Casa de Misericórdia, onde funcionou o primeiro hospital de Sergipe.

Aproveite sua visita ao Lar Irmã Imaculada Conceição para experimentar os bricelets, biscoitos de massa finíssima produzidos artesanalmente pelas irmãs do lar

Essa é a lista de lugares que você não pode deixar de conhecer em São Cristóvão:

  • Praça de São Francisco
  • Igreja e o Convento de São Francisco
  • Museu de Arte Sacra
  • Museu Histórico
  • Casa de Misericórdia
  • Praça do Carmo
  • Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos

Laranjeiras é considerada a capital da cultura popular em Sergipe.

Os principais eventos da cidade são o Encontro Cultural, que reúne várias manifestações artísticas como teatro, música e dança, o Combate Lambe-sujo e Caboclinho, festejo que lembram as lutas entre índios, e negros e o Micareme, festa que reúne blocos carnavalescos de marchinha e frevo.

A cidade também tem seu valor histórico: aqui, nasceu a primeira Alfândega de Sergipe e a produtiva indústria da cana-de-açúcar garantia a renda da população.

Em Laranjeiras, não deixe de visitar esses lugares:

  • Mercado Municipal de Laranjeiras
  • Igreja Nossa Senhora da Conceição da Comandaroba
  • Estátua de João Sapateiro
  • Quarteirão dos Trapiches
  • Praça da Matriz
  • Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus
  • Museu de Arte Sacra
  • Museu Afro-Brasileiro
  • Colina Azulada
  • Igreja do Bonfim
  • Igreja Bom Jesus Navegantes

Onde ficar em São Cristóvão e Laranjeiras

Não há muitas opções de hospedagem nessas cidades, mas eu fiz uma lista com as que considerei viáveis para passar, pelo menos, uma noite. Se preferir, você pode conhecer as cidade no estilo bate-volta, saindo de Aracaju pela manhã e retornando à noite para dormir.

Vó Nazinha Hostel
Travessa Mamede Dantas, s/n, São Cristóvão
(79) 99935-3749

Pousada Nossa Senhora Aparecida
SE-464, São Cristóvão
(79) 3261-1485

Pousada e Restaurante Laranjeira
Rua Jose do Prado Franco 124, Laranjeiras
(79) 99842-8370

Itabaiana: visita ao Parque Nacional

Chegamos ao agreste sergipano e nosso objetivo agora é visitar o Parque Nacional da Serra de Itabaiana. A entrada do Parque fica a poucos minutos da cidade de Areia Branca, bem antes de chegar a Itabaiana.

Depois de entrar no parque é só escolher uma das doze trilhas e seguir firme. O Poço das Moças fica a cerca de quatro quilômetros da entrada, mas há trilhas maiores, como a que dá a volta no parque, com 15 quilômetros.

Um lugar que você precisa conhecer é o Parque dos Falcões, que fica no distrito de Gandu II, em Itabaiana.

A história desse parque começou com um menino que ganhou um ovo de Carcará e colocou para ser chocado por uma galinha. Assim, nasceu Tito, seu primeiro grande amigo. Hoje, o Parque dos Falcões é o único do tipo em toda a América do Sul, autorizado a criar e proteger aves de rapina.

Foto: Parque dos Falcões

Onde ficar em Itabaiana

A cidade é bem pequena, simples e as opções de hospedagem não são muitas, mas dá para ter uma noite tranquila de sono.

Canindé de São Francisco: terra dos cânions

Chegamos ao sertão sergipano e é aqui que está o maior cânion navegável do planeta: os Cânions do Xingó, que surgiram com a criação do lago da Hidrelétrica de Xingó.

O grande barato aqui é fazer o passeio pelos cânions: ele começa de manhã e só termina no meio da tarde. Nesse tempo, a gente mergulha nas águas verdes do Velho Chico, navega por trechos mais apertados e pode andar de caiaque e fazer stand up paddle.

Sergipe de carro: Cânions do Xingó

Para os mais aventureiros, há, ainda, a opção de  fazer rapel  nos paredões. Eu, mais preguiçoso, preferi curtir a água com as boias que a embarcação empresta.

Além dos cânions, você pode aproveitar a praia de rio, em Canindé: o fim de tarde na orla é sensacional.

Na cidade, o artesanato é feito, principalmente, de madeira. São esculturas, peças decorativas e utensílios domésticos que levam a marca dessa região.

O símbolo maior do artesanato daqui é a carranca. Um bom lugar para comprar esses produtos é a Casa de Cultura e Arte Dona Givalda Fernandes.

Uma boa ideia é aproveitar para conhecer cidade de Piranhas, que fica pertinho, já em Alagoas. Foi nesta cidade que as cabeças de Lampião e seu bando ficaram expostas depois do grupo ter sido morto pela polícia.

Onde ficar em Canindé de São Francisco

Há poucas opções de hospedagem na cidade, já que ela é pequena e a maioria dos turistas só vem mesmo para passar o dia e ir embora.

Eu aconselho que você durma pelo menos uma noite em Canindé, para ter tempo de fazer tudo com calma.

Brejo Grande: a foz do São Francisco

O Rio São Francisco nasce nas montanhas de Minas Gerais e é na divisa entre Sergipe e Alagoas que ele encontra o mar.

Brejo Grande é a cidade base para quem quer ver de perto esse momento, e tudo que a gente precisa fazer é entrar num barquinho e navegar pelo rio, que se espalha quilômetros mar adentro.

O maior rio totalmente brasileiro, e um dos mais importantes da América do Sul, leva vida por onde passa e, claro, completa a beleza natural ao seu redor.

São praias paradisíacas, dunas douradas, pequenos povoados e muita energia positiva, que a gente dificilmente consegue traduzir em palavras. Só sente.

Na saída do rio, há uma pequena porção de areia que, às vezes, fica submersa pela maré alta. Nela está o Farol do Cabeço, que foi abandoado depois que o povoado que existia aqui desapareceu, engolido pelo rio.

Uma dica extra é comprar as cocadas que algumas mulheres vendem por aqui. Com sabor marcante, elas são feitas no povoado de Samarém, em Brejo Grande, e vendidas na foz do Velho Chico.

A melhor opção de hospedagem da cidade é a Pousada Raizes da Terra.

Pirambu: praias e natureza protegida

Já estamos na reta final do roteiro, mas ainda temos uma parada muito importante para conhecer a primeira base do Projeto Tamar, inaugurada em 1982. Só para você ter uma ideia, apenas esta sede monitora 53 quilômetros de praias e protege quase 2.400 desovas a cada temporada.

Foto: Projeto Tamar

Pirambu tem praias com dunas gigantescas – e a linda Lagoa Redonda – e, como muitas delas estão dentro de uma área de proteção ambiental, a natureza é exuberante e ainda pouco explorada pelo homem – que continue assim, né?

Foto: Tito Garcez

Mas, claro, há áreas mais urbanizadas com infraestrutura turística adequada: restaurantes, barracas e passeios, por exemplo, mas é tudo bem rústico.

Grande parte dos moradores de Pirambu vive da pesca e do arrasto do camarão, então, eu nem precisa dizer o que você deve comer por aqui, não é?

Sergipe de carro: dicas práticas

Como chegar

O aeroporto de Aracaju (AJU) fica a menos de oito quilômetros do Centro. Ele recebe voos de várias cidades brasileiras, como Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo, operados pelas companhias Azul, Gol e Latam.

Para quem vai chegar de ônibus, é importante saber que há dois terminais rodoviários em Aracaju.

O Terminal Rodoviário Luiz Garcia, conhecido como Rodoviária Velha, concentra as partidas estaduais. O Terminal Rodoviário Governador José Rollemberg Leite é conhecido como Rodoviária Nova e dele partem e chegam ônibus de outros estados.

Sergipe de carro: estradas

Para percorrer todo o litoral de Sergipe de carro, você vai gastar cerca de quatro horas. De Aracaju até Canindé de São Francisco, onde estão os cânions, são cerca de 195 quilômetros e a viagem é feita pela SE-230. Para chegar à foz do rio São Francisco, que fica na divisa com Alagoas, é preciso viajar 100 quilômetros até a cidade de Brejo Grande.

Há duas rodovias federais que cortam o Estado: BR-101 e BR-235, as duas são consideradas boas para viajar em Sergipe de carro.

Quanto tempo viajar

Esse roteiro pode ser feito com tranquilidade em sete ou oito dias – uma semana. Com esse tempo, você visita todos esses lugares e aproveita bastante de suas férias ou folga prolongada.

Se não for possível ficar esse tempo todo, avalie o que pode tirar, mas o mínimo são cinco dias – e eu já acho pouco. Lembre-se que a ideia é ter dias mais livres, com tempo para relaxar e conhecer os lugares e as pessoas com calma.

Quando ir

Dá para viajar por Sergipe de Carro durante todo o ano, porque o clima aqui é sempre quente, com chuvas mais concentradas nos meses do meio do ano. Veja essas dicas:

Litoral

O litoral de Sergipe tem clima tropical quente e úmido. A temperatura varia pouco durante o ano, e, no verão, as médias oscilam entre 30 graus de máxima e 24 graus de mínima. O inverno é mais agradável, mas, mesmo assim, faz calor. A temperatura média varia entre 21 e 27 graus.

A  melhor época para curtir as praias  de Sergipe é entre outubro e fevereiro. Nesse período, os dias são mais longos, ensolarados e quentes. O período com maior chance de chuva vai de março a agosto, sendo que os meses mais chuvosos são abril, maio, junho e julho.

Cidades históricas

Dá para visitar as cidades históricas de São Cristóvão e Laranjeiras durante todo o ano, sendo que os meses de julho a outubro são mais indicados.

A estação seca é longa, vai de novembro a abril, e é sempre bastante quente. O período mais fresco, de junho a setembro, tem ventos fortes e dias nublados, com mais chances de chuva.

A temperatura média anual varia entre 21 e 31 graus, com máximas de 33 graus.

Sergipe de carro: Canindé

Sertão

Canindé de São Francisco tem clima quente o ano inteiro, com temperaturas sempre entre 19 e 36 graus. Além disso, o tempo é abafado e com ventos fortes.

A  melhor época para visitar os Cânions do Xingó  é entre junho e setembro, mas, claro, dá para fazer isso durante todo o ano.

O que comer

Dizem que aqui encontramos o melhor caranguejo do Brasil, mas o fato é que Aracaju e todo o Sergipe têm fartura de frutos do mar: como camarão e o sururu.

Da tradição nordestina, a carne de sol com pirão de leite, a torta de macaxeira e o cuscuz de todas as manhãs são imperdíveis. Sem contar a tapioca, o queijo coalho e o doce de batata doce. Todos, bem típicos dessa região.

Um bom lugar para comer, em Aracaju, é a Passarela do Caranguejo, que tem muitos bares e restaurantes que funcionam dia e noite.

Sergipe de carro: Aracaju

Festas

O Forró Caju, maior festa do Estado, acontece em junho, junto com as festas de São João. O carnaval antecipado de Sergipe, o Précaju, também é muito famoso e tem participação de artistas nacionais como Ivete Sangalo e Claudia Leitte.

Veja mais sobre Sergipe

Ficou mais fácil planejar sua viagem a Sergipe de carro? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo, e aproveite para ver outras dicas de Sergipe.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

1 comentário

  1. Pingback: Destaques de Viagem: 3 de Julho de 2020 – Roteiro Planejado

Escreva um comentário