São Cristóvão e a praça de São Francisco

2

Atualizado em 18 de Março de 2016

Quem chega a São Cristóvão não vai conhecer apenas a quarta cidade mais antiga do país. Criada em 1590, a partir do conflito entre índios e portugueses, a primeira capital de Sergipe abriga, desde 2010, um dos Patrimônios Culturais da Humanidade reconhecidos pela Unesco: a praça de São Francisco. Com estilo simples, ela tem características hispânicas já que foi construída durante a vigência da União Ibérica, o período em que a Península Ibérica e as suas colônias eram comandadas por um reino que se revezava entre Espanha e Portugal.

Além disso, a cidade tem o maior e mais importante sítio histórico de Sergipe com um roteiro que inclui casarios, igrejas, capelas e praças monumentais. Embarque nessa viagem e mergulhe na história colonial brasileira.

O que fazer em São Cristóvão

Igreja e Convento de São Francisco | A construção desse imponente prédio que ladeia a praça de São Francisco demorou um século, de 1693 a 1793. Na capela de estilo Barroco, o altar é construído em madeira talhada e revestido de ouro. Uma parte do prédio abriga o Museu de Arte Sacra com centenas de peças dos séculos XVII e XVIII. De terça a sábado, das 10h às 16h. Aos domingos, das 9h às 13h. Entrada, R$ 5.

Lar Irmã Imaculada Conceição | Na antiga Santa Casa de Misericórdia de Sergipe já funcionou um orfanato e um internato. Hoje, restaurado, se dedica a projetos sociais pra a comunidade carente.  Diariamente, das 8h às 17h.

Praça de São Francisco, São Cristóvão, Sergipe

Praça, Igreja e Convento São Francisco: herança dos espanhóis.

Praça de São Francisco, São Cristóvão, Sergipe

Igreja e Convento Nossa Senhora do Carmo: Irmã Dulce começou aqui.

Praça de São Francisco, São Cristóvão, Sergipe

Sacristia da Igreja Nossa Senhora do Carmo: arte e devoção.

Igreja de Nosso Senhor dos Passos | A Igreja da Ordem Terceira dos freis franciscanos tem o orgulho de sediar a segunda maior romaria da Região Nordeste – a primeira é a de Padre Cícero, que acontece em Juazeiro do Norte, no Ceará. Encontrada no Rio Paramopama, a imagem que atrai tanta devoção é adorada por milhares de romeiros no segundo fim de semana da quaresma.

Convento e Igreja Nossa Senhora do Carmo | A igreja é famosa por ser o local onde a beata baiana Irmã Dulce fez os seus votos de noviciado e entrou para a vida religiosa.

Igreja Matriz – A Igreja de Nossa Senhora da Vitória foi construída em 1608. O prédio atual foi construído no lugar do anterior, destruído durante a invasão holandesa. As características atuais do neoclássico baiano foram aplicadas em meados do século XIX. Na praça em frente à matriz, está o coreto, muito comum nas cidades do interior sergipano.

Museu Histórico de Sergipe | Essa bela construção do século XIX foi sede do governo Sergipano até que a capital fosse transferida para a planejada Aracaju. Hoje, funcionando como museu, tem no seu acervo peças da fase final do período do Império.

Praça de São Francisco, São Cristóvão, Sergipe

O coreto e a Igreja Matriz, ao fundo.

DSC_0119

O tradicional e levíssimo brecelete: sobremesa de freiras.

O que comer em São Cristóvão

Bricelet | Aproveite sua visita ao Lar Irmã Imaculada Conceição para experimentar os bricelets, biscoitos de massa finíssima produzidos artesanalmente pelas irmãs do lar para ajudar na manutenção dos projetos da casa. A máquina que dá forma aos biscoitos veio da Suíça e foi uma doação de irmãs alemãs.

“Quando a máquina chegou, o desafio era saber fazer a massa. Foi então que nós descobrimos uma moça que já havia deixado o convento e que sabia fazer o biscoito. Então, nós a convidamos e ela passou muito tempo aqui até que nós aprendêssemos tudo”, conta a irmã Maria de Lourdes Rodrigues.

Com uma bola de sorvete e calda de chocolate, essa iguaria se transforma na ‘Sobremesa das Freiras’, doce que tem ganhado fama na região.

Como chegar a São Cristóvão

A cidade fica na Região Metropolitana e está a 27 quilômetros do centro de Aracaju. Siga pela BR-349 até a BR-101. No sentido Sul, antes de chegar a Itaporanga, entre na SE-04. A estrada está em boas condições e a parte da BR101 está duplicada. A Nozes Tur tem passeios de um dia para São Cristóvão.

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

2 Comentários

  1. Visitei as cidades de São Cristóvão e Laranjeiras em 2006 e encontrei tudo fechado. Fiquei um pouco decepcionado porque contratei um táxi e só conheci as igrejas por fora. Como bom mineiro curto cidades históricas. Quando você foi as igrejas estavam abertas? Lembro que em uma delas tinha o museu dos orixás, único que estava aberto.

    • Altier Moulin

      Oi Carlos,

      Que pena hein… sempre é bom checar o horário e os dias de funcionamento dos locais antes de partir.

      Acho que vc está se referindo ao Museu de Arte Sacra que funciona na Igreja de São Francisco. Eu também fui e gostei bastante.

      Um abraço.

Escreva um comentário

Inline
Inline