O complexo das cachoeiras de Carrancas

4

Atualizado em 22 de fevereiro de 2018

Pra quem gosta de cachoeiras, a pequena cidade de Carrancas, a 330 quilômetros de Belo Horizonte, é um excelente destino. A cidadezinha, que é conhecida como a Terra das Cachoeiras, tem quase 50 quedas d’água e, portanto, sempre haverá uma que lhe agrade. Pequenas, volumosas ou contemplativas as cachoeiras de Carrancas são mais um dos atrativos da Estrada Real, um roteiro inspirado na rota utilizada durante o período colonial para levar o ouro e o diamante de Minas Gerais até o litoral.

Hoje, vou conhecer as cachoeiras que ficam no Parque Municipal Cachoeira da Fumaça, uma área com cerca de dez hectares, criada em 2010 e coberta pela exótica vegetação do Cerrado brasileiro, de onde brotam seis cachoeiras: Serrinha, do Fundo da Fumaça, Fumaça de Cima, Luciano, Véu de Noiva e a Cachoeira da Fumaça.

O Complexo da Cachoeira da Fumaça, como também é chamado o Parque, fica pertinho do centro de Carrancas, a cerca de três quilômetros, e tem várias piscinas naturais formadas pelas quedas d’água.

Meu primeiro mergulho nas cachoeiras de Carrancas é na Serrinha. A água é gelada, não vou mentir, mas é tudo o que preciso depois da caminhada que fiz para chegar aqui. As cachoeiras do Parque são facilmente acessadas – o carro para a poucos metros de algumas delas, mas para chegar à Serrinha, por exemplo, é preciso fazer uma caminhada leve.

cachoeiras-de-carrancas-15

A Cachoeira da Serrinha: minha primeira parada nas cachoeiras de Carrancas.

cachoeiras-de-carrancas-09

A beleza do Cerrado me acompanha na caminhada.

cachoeiras-de-carrancas-13

Na Terra das Cachoeiras, a água parece brotar de todos os lugares.

Depois do primeiro banho, o segundo mergulho foi na Cachoeira Véu de Noiva. Ela tem mais de 40 metros de altura e é uma das mais altas cachoeiras de Carrancas. Esse é um daqueles lugares que a gente passaria o dia inteiro, sabe? As árvores ao redor, o canto dos pássaros, o contato direto com a natureza e um belo banho de cachoeira para lavar a alma. Não é tudo que você procura em um lugar como esse?

Seguindo a caminhada, dou a volta por cima da Véu de Noiva. A visão daqui é linda. Estou em um dos pontos mais altos do Parque e daqui de cima vejo a sua principal queda. A Cachoeira da Fumaça tem 15 metros de altura e o seu conjunto de quedas é que chama atenção.

A Cachoeira da Fumaça está a poucos metros da estrada de chão que leva ao centro da cidade. Ela tem uma enorme piscina natural e, justamente por isso, muitas pessoas vinham passar o final de semana aqui, faziam churrasco, ligavam o som dos carros em alto volume e tiravam um pouco da tranquilidade do lugar. Hoje, você não encontra mais isso, mas não é por que as pessoas se conscientizaram. Poluída com o esgoto lançado no córrego que a abastece, a Cachoeira que dá nome ao Parque não pode ser mais tocada, apenas contemplada.

cachoeiras-de-carrancas-08

Do alto da Véu de Noiva, uma bela paisagem com vista para a Cachoeira da Fumaça.

cachoeiras-de-carrancas-02

A bela, mas poluída, Cachoeira da Fumaça.

Planeje seu passeio pelas cachoeiras de Carrancas

Quanto custa | A entrada no Parque Municipal Cachoeira da Fumaça é gratuita.

Como chegar | De carro, saindo de Belo Horizonte, siga pela BR-381, Rodovia Fernão Dias, até o trevo de Lavras. A partir daqui, siga pela BR-265 até Itutinga. Então, entre na cidade e siga por 27 quilômetros pela MG-451 até Carrancas. Todo o trajeto é asfaltado.

Se preferir, há a opção de seguir pela BR-040 até Barbacena e de lá dirigir pela BR-265, passando por São João Del Rei até chegar a Itutinga. Para quem quer aventura, além das cachoeiras de Carrancas, o caminho da Estrada Real é uma ótima pedida. Na BR-265, na altura de São Sebastião da Vitória, entre na estrada de terra com destino a Caquende, Capela do Saco e depois Carrancas. Esse trajeto é indicado apenas para veículos 4×4. A paisagem é incrível, mas a estrada realmente é para quem tem alma de aventureiro.

O complexo de cachoeiras de Carrancas fica a três quilômetros do Centro. A estrada não tem calçamento, mas está em boas condições.

Onde comer | Nessas bandas de cá, a melhor pedida é almoçar na Pousada Mirante da Serra Verde. Essa construção colonial foi erguida no topo da Serra e tem uma visão sensacional de tudo ao seu redor.

cachoeiras-de-carrancas-14

Carrancas é um dos encantos da Estrada Real e tem aventura pra chegar aqui.

cachoeiras-de-carrancas-16

O restaurante sobre a Serra Verde.

Minha viagem a Carrancas teve o patrocínio do Instituto Estrada Real e da Bancobras.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

4 Comentários