Parque das Aves: o incrível santuário dos pássaros de Foz do Iguaçu

11

Atualizado em 14 de julho de 2020

Parque das Aves

Araras, tucanos, flamingos, jacutingas, papagaios, corujas e tantas outras aves fazem deste um lugar mais que especial. Esbanjando simpatia e com a tranquilidade de quem realmente está em casa, os pássaros do Parque das Aves fazem questão de deixar claro que o visitante aqui somos nós.

E isso não é apenas uma expressão. É que, neste santuário, a gente pode entrar nos viveiros e ver bem de perto a beleza de animais que muitos de nós só conhecemos por foto.

Não é por acaso que o Parque das Aves é uma das atrações mais visitadas de Foz do Iguaçu, e uma grande oportunidade de conhecer mais sobre a Mata Atlântica e de aprender sobre preservação ambiental.

Então, se você está planejando uma viagem a Foz do Iguaçu, não deixe de visitar esse lugar, principalmente se você estiver com crianças.

A experiência do Parque das Aves

Já imaginou estar cercado por bicudos tucanos? Ficar pertinho de belas araras com seu colorido natural? Isso é um pouco do que você pode experimentar no Parque das Aves.

Ele tem mais de 1.300 pássaros de 130 espécies diferentes: mais da metade foi apreendida de criadores ilegais ou de traficantes, e é por isso que os animais não estão livres na natureza.

Mas, no maior parque de aves da América Latina, esses animais ganham uma nova chance, só que, infelizmente, muitos deles não conseguiriam viver em liberdade.

Parque das Aves

Por que o Parque existe?

A história do Parque das Aves começa nos anos 1970 com dois estrangeiros, Dennis e Anna Croukamp, que moravam na Namíbia quando ganharam um presente inusitado: um filhote de papagaio-do-congo.

A partir daí, eles se envolveram tão profundamente com o bichinho que acabaram agregando outras aves à família. Assim surgiu a ideia de criar um espaço de preservação de espécies em risco de extinção  e – principalmente – de recuperação de pássaros que foram vítimas de maus-tratos.

Para realizar este sonho, o casal de estrangeiros comprou uma área de mata preservada em Foz do Iguaçu e, então, os trabalhos começaram.

Hoje, são 16 hectares de Mata Atlântica, mais de 1.300 aves e diversos programas de conservação, que a gente pode conhecer, se encantar e participar.

O que você vai encontrar

Eu realmente gostei muito de conhecer o Parque das Aves. Principalmente, porque estava com meus sobrinhos e pude compartilhar esse momento com eles.

Parque das Aves

A visita é feita em imensos viveiros que recriam os habitats dos pássaros, como o Viveiro Pantanal, o Viveiro Floresta e o Aves de Rios e Mangues. A gente pode entrar nos viveiros e caminhar como se estivesse na mata mesmo e, de repente, os pássaros começam a aparecer por todos os lados.

Tem também o Reino das Borboletas e do Covil dos Répteis, que tem jacarés, iguanas e muitas cobras.

Falando em cobras, você também pode tocá-las.

É que as as cobras mais mansas – não sei se existe isso – são usadas em atividades de educação ambiental, assim como as araras que tranquilamente aceitam ser fotografadas com a gente.

Planeje sua visita ao Parque das Aves

Quanto custa

Turistas brasileiros pagam R$ 60. Estudantes pagam meia e crianças de até oito anos são isentas. Moradores de Foz do Iguaçu e região pagam R$ 10.

Quando ir

O Parque das Aves funciona de terça a domingo, das 8h30 às 17h.

Nos meses do verão a temperatura elevada e a alta umidade da floresta vão te fazer suar bastante. Por isso, não tenha pressa e aproveite o espaço entre um viveiro e outro para se hidratar e se refrescar.

Parque das Aves

Como chegar

No Centro, tome o ônibus 401 que te deixa na porta do parque. A tarifa custa R$ 3,95. O parque fica na Avenida das Cataratas, KM 17.1, ao lado da entrada para o Parque Nacional do Iguaçu.

Onde comer

O Parque tem um restaurante com vista exclusiva para o Lago dos Flamingos.

Parque das Aves

Veja mais sobre Foz do Iguaçu

Ficou com vontade de conhecer o Parque das Aves? Se tiver alguma dúvida, deixe a pergunta nos comentários que eu respondo. Agora, aproveite para ver mais de Foz do Iguaçu.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

11 Comentários

  1. Avatar
    Lourdes Aparecida Cardoso on

    Bom dia , minha amiga tem um papagaio mais gostaria de doa- lo para um santuário de aves , poderiam ajudar?? Indicando um aqui se possível em São Paulo ou no interior
    Obrigada pela atenção , aguardo resposta

  2. Avatar

    Boa noite, tenho um papagaio q ganhei já há alguns anos, ele tem anilha e td, e tbm tenho duas calopsitas, são super bem tratados, com frutas, verduras, folhas, além da ração de ótima qualidade q dou, mas sinto q é um egoísmo meu mantê-los numa gaiola, sendo q poderiam viver num lugar maior juntos com outros da sua espécie, procurei a guarda florestal da minha cidade e por incrível q parece, me aconselharam a ficar com eles, já q eu os conheço e sei td sobre a alimentação deles, vitaminas e estão saudáveis, mas achei um absurdo, não gosto de ver eles preso, gostaria muito de fazer uma entrega voluntária pra algum santuário das aves onde eles seriam “livres” dentro de um grande viveiro junto com os demais da sua espécie…se puderem me ajudar ficarei extremamente feliz por eles…

  3. Avatar

    Uma pessoa de desfez de um papagaio de 52 anos. Gostaria de mandá-lo para em Santuário, um lugar que ele possa viver bem. Sou do Rio de Janeiro.
    Acontece que ele se apaixonou por minha gata e ficou muito hostil.

    Ele é bem saudável.

    AGRADEÇO, Tania

  4. Avatar

    Gostei muito do seu Blog Altier, e da forma que você explica cada lugar que conhece, deixo aqui meu convite para quando voltar a foz do Iguaçu, trabalho com transporte de turistas em Foz, só me enviar um email, que será constesia. abraço.

  5. Avatar

    Apareceu um papagaio lindo em minha casa. Quero que ele tenha o melhor destino possível. Ele esta com uma corrente no pé ,e quando apareceu estava faminto estou mantendo ele aqui p q se eu o soltar ele pode parar nas mãos de pessoas ruins ou morrer de fome. Quero saber como encaminhado para um lugar onde ele possa ter os cuidados que precisa sem ter uma corrente no pezinho.

Escreva um comentário