O que fazer em Bonito: 15 atrações imperdíveis e super dicas – com preços

2

Atualizado em 11 de abril de 2021

O que fazer em Bonito

Nesta terra de águas cristalinas e natureza exuberante, há  tantas atividades imperdíveis  que seria impossível descrever tudo o que fazer em Bonito. Então, para ajudar você a planejar sua viagem, eu listei aquelas que mais gostei.

Também tenho uma dica fresquinha – uma novidade que vou contar no final. É só continuar lendo.

Bonito fica no Mato Grosso do Sul, a quase 300 quilômetros da capital, Campo Grande. Com uma natureza realmente privilegiada, a cidade se tornou o destino número um de ecoturismo no Brasil.

Muito mais do que carregar um nome promissor, essa cidade leva consigo um legado de organização e de proteção do meio ambiente que é modelo para o mundo.

O que fazer em Bonito

Apesar de ter  fama de ser um destino caro,  há muitas formas de deixar a viagem mais barata sem perder qualidade, garantindo que você verá os principais atrativos.

Mas, é muito importante saber que as maravilhas que fazem a cidade ser tão famosa estão espalhadas por uma área muito grande. Então, você precisa considerar esses deslocamentos na hora de planejar sua viagem.

→ Lista de agências de Bonito

Só para você ter ideia, o Recanto Ecológico Rio da Prata, onde a gente faz flutuação pelo rio, fica a 50 quilômetros, na cidade vizinha de Jardim.

Então, na prática, Bonito é a base para fazer os passeios e eles podem durar um dia inteiro.

Para entender isso melhor, dê uma olhada no mapa abaixo.

Neste ponto, eu preciso explicar uma coisa: em Bonito, todos os  passeios são feitos com agência e guia local.

É desta forma que eles conseguem limitar o número de visitantes em cada lugar para não causar tantos impactos ao meio ambiente.

Isso é levado a sério e se você não se organizar, não vai poder fazer os passeios.

LIMITE DE VISITANTES
Bonito é considerado o destino número um em ecoturismo no Brasil. Muito mais do que marketing, isso é o resultado de anos de muita organização e, principalmente, de compromisso com o meio ambiente.

Por isso, para fazer qualquer passeio na região, é preciso ter uma reserva, porque cada lugar tem um limite diário de visitantes. Então, se você deixar tudo para a última hora, pode ser que não consiga uma vaga e, neste caso, não há o que fazer.

As reservas são feitas exclusivamente pelas agências e todos os passeios são acompanhados de um guia.

Bonito tem fama de ser um destino caro, mas nem tudo está acima do que podemos pagar. Muitos passeios, aliás, têm  preços mais baratos na baixa temporada  e isso pode ajudar muito a aliviar o bolso. Por isso, é importante escolher a melhor época para viajar.

→ Quando ir a Bonito

Eu fiz todos os passeios com a agência Águas Turismo. Se quiser, você pode tirar dúvidas e fazer as reservas pelo WhatsApp: (67) 98111-2812.

Agora, sim, eu posso mostrar a minha lista de lugares favoritos em Bonito e nas cidades vizinhas de Jardim e Bodoquena.

15 atrações imperdíveis de Bonito

  1. Cachoeiras da Boca da Onça
  2. Cachoeiras da Estância Mimosa
  3. Cachoeiras de Ceita Corê
  4. Rios Sucuri e da Prata
  5. Aquário Natural
  6. Grutas do Lago Azul e de São Miguel
  7. Abismo Anhumas
  8. Lagoa Misteriosa
  9. Balneários do Sol e Municipal
  10. Praia do Figueira
  11. Buraco das Araras
  12. Parque Ecológico
  13. Rio Perdido
  14. Circuito de arvorismo Cabanas
  15. Culinária local

Ufa! Não foi fácil escolher apenas 15 atrações, porque existe muita coisa boa nesta terra privilegiada. Eu tentei escolher  um pouco de cada coisa:  tem opções para quem quer aventura, para quem só quer curtir a natureza sem fazer muito esforço e para quem viaja com crianças.

Com a lista em mãos, é hora de entender melhor como funcionam esses lugares e quais as atividades você pode fazer em cada um deles.

Trilhas e cachoeiras

Há ótimas trilhas para fazer em Bonito. Quase todas ficam em fazendas que se abriram para receber viajantes apaixonados por natureza – como você e eu.

Muito organizadas, elas têm sinalização e medidas de segurança rígidas, que deixam qualquer passeio muito mais tranquilo.

Além disso, todos os roteiros devem ser feitos com a presença de um guia local.  Eles são treinados e acostumados com o terreno e com a rotina do lugar.

Há caminhadas de diferentes níveis e você poderá escolher a que melhor lhe agradar. Mas o mais gostoso são as paradas nas cachoeiras, onde podemos nos refrescar e ser revigorados com uma energia natural incrível.

Mas, antes de prosseguir, eu quero que você entenda um pouco mais da região para onde está planejando viajar.

SERRA DA BODOQUENA
O Parque Nacional da Serra da Bodoquena é uma área de proteção ambiental com quase 77 mil hectares que é a origem de várias belezas naturais de Bonito.

Muitos rios que fazem parte do roteiro turístico das cidades vizinhas nascem na Serra: o Rio Perdido, que tem esse nome porque desaparece por caminhos subterrâneos e volta à superfície logo depois, é o  único ponto dentro do Parque  que pode ser visitado.

Buscando o reconhecimento da Unesco como geoparque, toda essa área – considerando 13 municípios dos arredores de Bonito e incluindo partes do Pantanal e da Serra de Maracaju – tem vários outros atrativos abertos a visitação, como as Grutas de São Miguel e do Lago Azul e o Buraco da Araras.

Agora, vamos ver quais os principais roteiros de cachoeira da região de Bonito.

CACHOEIRAS BOCA DA ONÇA

Fazer a trilha pelas cachoeiras da Fazenda Boca da Onça é simplesmente sensacional, porque, além de conhecer as cachoeiras, a gente pode mergulhar nas águas cristalinas do Rio Salobra.

Ele é um dos rios que nasce na Serra da Bodoquena, conjunto de montanhas protegidas por um Parque Nacional.

A Fazenda Boca da Onça é uma propriedade particular, que começou a receber turistas no ano 2000.

São mais de dois mil hectares de mata preservada e, em quatro quilômetros de caminhada, a gente encontra pelo menos nove cachoeiras. Entre elas está a Boca da Onça, a queda d’água mais alta do Mato Grosso do Sul, com 156 metros.

Trilha das cachoeiras

A caminhada começa tranquila e já nos primeiros metros encontramos as Piscinas da Cotia. Como o nome diz, esse conjunto de cachoeiras forma pequenos tanques cristalinos, mas o banho não é permitido porque é tudo muito frágil.

A trilha avança e muitas outras cachoeiras aparecem: a Garganta da Arara, a da Anta, a do Jabuti e o Buraco do Macaco, uma das mais emocionantes do passeio.

Com ou sem emoção?

No Buraco do Macaco, a gente pode nadar e cruzar o paredão passando debaixo dele para chegar ao local exato onde a cachoeira derrama suas águas. É muito sinistro e a adrenalina vai lá no alto.

O que fazer em Bonito

Quando fui fazer a travessia, justamente na entrada do buraco – a poucos metros da minha cabeça –  encontrei uma cobra  que havia acabado de dar um bote em um morcego, que ainda lutava para se soltar.

A coral escorregava do penhasco em direção ao rio, justamente onde eu precisava passar. Então, eu tinha que ficar com os olhos nela e tentar me concentrar para atravessar o buraco e chegar à cachoeira – consegue imaginar como foi esse momento?

Eu fui e voltei sem que nada acontecesse. Enquanto isso, a cobra ficou na peleja com seu prato do dia.

Avançando na trilha, a gente encontra a Caverna do Morcego, a Cachoeira da Paca e chega à Cachoeira do Fantasma. Essa última foi a que achei mais linda: ela tem uma cúpula natural e seu aspecto meio sombrio deixa tudo misterioso.

A gente ainda passa pela Cachoeira da Queixada e pelo Poço da Lontra. Na Praia da Boca da Onça é preciso caminhar até o meio do rio para ver, de longe, a maior de todas as cachoeiras.

Antes de chegar ao ponto mais desejado – a Cachoeira Boca da Onça – ainda dá para dar um mergulho no Poço da Pedra do Baú.

Cachoeira Boca da Onça

A Cachoeira Boca da Onça fica a poucos metros da prainha e do Poço do Baú. Quando cheguei à cachoeira, o tempo mudou completamente e a chuva atrapalhou um pouco – coisas que a gente não controla, né? – mas, mesmo assim, deu para ver o quanto ela é magnífica.

É impossível não reparar as tufas, formações calcárias que surgem ao longo dos anos e, nessa cachoeira – assim como na do Fantasma –, elas formam curiosas esculturas naturais.

Aliás, a cachoeira tem esse nome porque suas tufas formam o que muitos dizem ser a cara de uma onça com a boca aberta – eu não consegui ver isso, mas será que você consegue enxergar?

Depois da trilha, é hora de voltar para a sede da Fazenda. Nesta hora é que o bicho pega: é preciso encarar uma escadaria enorme – são  exatamente 886 degraus  construídos ao longo do paredão do Cânion do Rio Salobra.

Eu subi no pique, fazendo apenas duas paradas. Yeah! As panturrilhas doeram, mas a visão do alto é revigorante: faça uma caminhada até a maior plataforma de rapel para ver o caminho percorrido ao longo do Rio Salobra e suas águas incrivelmente azuladas.

Se você tiver um nível alto de sedentarismo ou dificuldade de locomoção, eu indico não fazer essa parte, mas será preciso voltar pela trilha. Isso só será possível se você avisar ao guia com antecedência. Se preferir, pode subir devagar, fazendo várias paradas pelo caminho.

A trilha termina quase cinco horas depois da partida e a parte final é realmente muito cansativa, mas tudo é extremamente prazeroso. De volta à sede da fazenda, um almoço feito no fogão à lenha repõe as energias deixadas na trilha.

A trilha de cachoeiras da Boca da Onça

O passeio pelas cachoeiras da Boca da Onça  custa R$ 267 veja os detalhes – e inclui o seguro obrigatório, o guia e o almoço.

O limite diário de visitantes na trilha é de 200 pessoas.

É necessário estar de tênis. Use calça ou bermuda de tecido leve e camiseta, e roupa de banho para entrar nas cachoeiras. Leve água, protetor solar, repelente, chinelos, uma troca de roupa e toalha.

Também é bom levar lanches rápidos para comer durante o trajeto – eu sempre tenho muita fome.

↑ Voltar para o índice

ESTÂNCIA MIMOSA

Entre árvores centenárias e a abundante presença de animais silvestres, a Estância Mimosa é outra fazenda que se dedicava à produção de gado até o ano 2000, quando abriu suas porteiras para o ecoturismo.

Ela fica em Jardim, a 25 quilômetros de Bonito. Toda essa região faz parte da Serra da Bodoquena, com montanhas que se espalham por onde nossos olhos alcançam.

O que fazer em Bonito

Na trilha que nos leva a  nove cachoeiras  que escorrem da correnteza do Rio Mimoso, a gente vê e sente a natureza preservada: todo o percurso é bem sinalizado e sem muita dificuldade.

A caminhada dura cerca de 3h30, em um ritmo tranquilo, sem exigir muito preparo físico. E, assim que a gente começa a trilha, já é possível ouvir o som das cachoeiras.

As cachoeiras

A Cachoeira do Sol é a mais interessante para banho. Ela tem a queda d’água mais alta  da Estância Mimosa e uma gruta em meio às rochas.

A Cachoeira Mutum, a primeira que visitei, tem um cenário lindo, perfeito para fotos.

Para quem quer adrenalina, a Cachoeira do Salto tem uma plataforma de seis metros de altura de onde podemos nos jogar livremente – com ou sem medo -, já que a profundidade chega a quatro metros.

A Cachoeira do Desejo é a mais emblemática de todas. Cheia de mistérios, dizem que ela realiza os desejos de quem chega até a gruta que fica atrás da queda d’água.

Com o desejo em mente, basta olhar para o alto e um sorriso brotará em seu rosto – o resto você vai descobrir pessoalmente.

Hora de matar a fome

Depois de visitar todas as cachoeiras e de tomar banho em algumas delas, a gente volta para a sede da fazenda para almoçar  – a melhor hora, né?

Imagine aquela comida feita no fogão à lenha que só de pensar dá água na boca. Existe coisa melhor?

A trilha das cachoeiras na Estância Mimosa custa  a partir de R$ 117 veja os detalhes.  No preço estão inclusos guia, colete salva-vidas, seguro contra acidentes e almoço. Botas de neoprene estão disponíveis para aluguel.

Cada grupo pode ter, no máximo, 12 pessoas.

É necessário estar de tênis, calça ou bermuda de tecido leve e camiseta. Use roupa de banho para entrar nas cachoeiras. Leve água, protetor solar, repelente, uma sandália, uma troca de roupa e toalha. Leve também lanches rápidos para comer durante o trajeto.

↑ Voltar para o índice

CEITA CORÊ

Outro roteiro de cachoeiras é a Ceita Corê – que na língua tupi-guarani significa terra de meus filhos.

A fazenda tem sete quedas d’água no percurso do Rio Chapeninha. É neste rio que está um dos grandes mistérios da região: uma caverna submersa, que já  foi explorada até 155 metros  de profundidade – imagina só isso.

A trilha tem 4.000 metros, seis paradas para banho e dura cerca de três horas. Mas, como a Ceita Corê fica a 36 quilômetros de Bonito, é preciso considerar os deslocamentos.

Então, praticamente, é um dia inteiro para fazer o passeio – incluindo parada para almoço e tudo mais.

O circuito a Ceita Corê custa  a partir de R$ 217 veja os detalhes. Na sede da fazenda há restaurante e bar e é melhor levar dinheiro, porque nem sempre a maquininha de cartão funciona.

↑ Voltar para o índice

Flutuação nos rios

Um dos passeios mais famosos desta região é a flutuação, feita nos rios de água cristalina e cheios de peixes.

RIO DA PRATA

É no Recanto Ecológico Rio da Prata, uma fazenda do município de Jardim, que está a nascente do Rio Olho D’água, afluente do Rio da Prata, um dos rios mais procurados para fazer flutuação.

As regras são simples: não podemos bater as pernas, temos que evitar encostar o pé no chão para que os sedimentos não atrapalhem a visibilidade e sempre seguir em fila, dando uma distância de dois metros entre as pessoas.

O que fazer em Bonito

Ainda na nascente, é fácil ver cardumes de piraputangas, dourados e muitos outros animais: em dias de sorte, é possível ver ainda lontras, antas, jacarés e até sucuris – melhor evitar, né?

Para evitar imprevistos, todas medidas de segurança são adotadas e seguidas à risca pela equipe que coordena a flutuação. O sistema utilizado pelo Rio da Prata é, inclusive, auditado pelo InMetro e foi implantado em parceria com o Ministério do Turismo.

Descendo rio abaixo, a gente encontra o que eles chamam de cratera, que na verdade é uma imensa nascente onde a areia borbulha como lava em um vulcão.

Alguns metros depois, está o Rio da Prata que por ser mais volumoso não tem a água tão cristalina como a do Olho D’água.

A flutuação no Rio da Prata  custa a partir de R$ 266 veja os detalhes. O passeio tem duração de quatro horas e o limite diário é de 150 pessoas.

↑ Voltar para o índice

RIO SUCURI

Outro rio muito famoso pela flutuação é o Rio Sucuri. Na verdade, foi o primeiro rio que entrei e logo vi um imenso cardume de peixes –  foi aquele impacto muito positivo, sabe como é?

A fazenda onde fica a nascente do rio tem mais de 640 hectares protegidos, que fazem parte de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural  – RPPN, e, por isso, todos temos que obedecer às regras de preservação da natureza.

Uma dessas regras é  não usar repelente ou protetor solar  antes de entrar na água, mas há outras como a proibição de mergulhar e de tocar no fundo do rio.

O que fazer em Bonito

A flutuação começa bem perto da nascente do Rio Sucuri, onde a água é tão transparente como a de uma torneira.

Mas antes da gente descer, há uma explicação de funcionam os equipamentos: roupa de neoprene para manter a temperatura do corpo, máscara e esnórquel.

Para quem não está familiarizado com eles, é possível praticar na piscina da fazenda antes de ir para o rio.

Quem preferir, pode usar um colete salva-vidas. Eu usei e indico que você também use: o colete nos ajuda a flutuar sem exigir muito esforço.

O que fazer em Bonito

Num ritmo lento, a correnteza nos leva por cerca de 1.800 metros. Durante todo esse percurso, o grupo com quem estou é acompanhado por um barco de apoio.

Em qualquer emergência, a gente pode subir nele até terminar o passeio, que é acompanhado de um guia local.

A flutuação no Rio Sucuri custa  a partir de R$ 180 veja os detalhes. A equipe do passeio faz fotos subaquáticas que são vendidas à parte.

↑ Voltar para o índice

AQUÁRIO NATURAL

O Aquário Natural de Bonito fica a mais ou menos sete quilômetros do Centro, e é um dos passeios de flutuação mais tradicional da cidade.

O Rio Baía Bonita tem águas extremamente cristalinas, calmas e cheias de peixes coloridos – isso é tudo o que a gente mais quer encontrar em uma flutuação.

Para quem não tem muita familiaridade com os equipamentos de esnórquel, também é dado um treinamento rápido – assim como no Rio Sucuri.

Depois, há uma caminhada de aproximadamente 500 metros pela mata até chegar ao deque principal da nascente.

Dentro do rio, com toda a maravilha natural que nos cerca, a gente desce 800 metros até o encontro dos rios Formoso e Formosinho.

Neste ponto, a gente faz uma parada para descer de tirolesa. É sensacional!

A flutuação no Aquário Natural custa  a partir de R$ 206 veja os detalhes.

↑ Voltar para o índice

Balneários de Bonito

É incrível como a cada ano aparecem mais e mais coisas interessantes para fazer em Bonito. Um grande exemplo disso são os balneários que surgiram nos últimos cinco anos.

Eles são ótimos para passar o dia, porque tem toda a estrutura que precisamos – quem está com crianças vai adorar.

O que fazer em Bonito

BALNEÁRIOS DO SOL

Um dos mais famosos atualmente é o Balneário do Sol, que fica na zona rural de Bonito.

Na sede do Balneário do Sol tem restaurante, bar e quiosques que vendem churrasquinho. Além das piscinas naturais e das cachoeiras, também dá para descer de tirolesa. Tem também banheiros e vestiários para trocar de roupa.

A entrada no Balneário do Sol custa  a partir de R$ 70 veja os detalhes. Não aceita cartão.

Tem também o Nascente Azul, o Bosque das Águas e o Balneário Municipal de Bonito.

↑ Voltar para o índice

BALNEÁRIO MUNICIPAL

Um dos programas mais barato de Bonito, o Balneário Municipal também é ótimo para passar o dia.

Além  disso, ele fica pertinho do Centro, a apenas sete quilômetros. Isso facilita muito e deixa tudo ainda mais barato.

Nas águas cristalinas do Rio Formoso, a gente mergulha com piraputangas tão grandes que mal caberiam em um prato. Acostumadas a serem tratadas com ração pelos turistas, elas sempre ficam por perto.

Com estacionamento, quadras de vôlei, banheiros, lanchonetes e restaurantes, o Balneário Municipal de Bonito é uma ótima opção para famílias com crianças.

A entrada no Balneário Municipal custa a partir de R$ 50veja os detalhes. O limite diário de visitantes é de 750 pessoas.

↑ Voltar para o índice

PRAIA DO FIGUEIRA

Outro Balneário que ganhou fama por motivos muitos justos é a Praia do Figueira. Então, trata de arrumar um lugar para ela na sua lista do que fazer em Bonito.

O que fazer em Bonito

Na margem de uma lagoa que se forma no Rio Formoso, ela tem águas cristalinas, quentinhas o ano inteiro e areia branca, onde a gente pode se jogar e esquecer da vida.

Além de curtir a excelente estrutura do bar e do restaurante, a gente ainda pode fazer flutuação e curtir a piscina que tem um escorrega gigante.

É um lugar bem completo, perfeito para quem está  viajando com crianças.

A entrada na Praia do Figueira custa  a partir de R$ 67 veja os detalhes.

↑ Voltar para o índice

BURACO DAS ARARAS

O Buraco das Araras surgiu do desmoronamento do teto de uma caverna. Essa imensa cratera no meio do Cerrado virou a casa de milhares de pássaros, incluindo as lindas araras vermelhas – por isso o nome Buraco das Araras.

O que fazer em Bonito

Esse lugar está na minha lista do que fazer em Bonito, porque é uma graça e dá para fazer a visita quando você for fazer a flutuação no Rio da Prata.

Assistir à revoada das araras é um dos programas mais tocantes de Bonito, porque nos mostra como a natureza é generosa em sua simplicidade.

O que fazer em Bonito

A visita ao Buraco das Araras  a partir de custa R$ 82 veja os detalhes.

↑ Voltar para o índice

PARQUE ECOLÓGICO RIO FORMOSO

O Parque Ecológico Rio Formoso é um lugar que está na minha lista de coisas para fazer em Bonito porque é perfeito para quem está em família: a estrutura é realmente sensacional e é possível fazer muita coisa.

O que fazer em Bonito

Além disso, ele fica pertinho do Centro, a sete quilômetros e a rodovia é toda asfaltada: dá para chegar de carro, de bicicleta e até mesmo andando, dependendo de onde estiver seu hotel.

O Rio Formoso é um dos principais de Bonito e tem água cristalina, perfeita para flutuação e mergulho. A trilha do Rio Formoso, a principal do Parque, dura pouco mais de três horas e passa pelos principais lugares.

O que fazer em Bonito

Mas tem muito mais coisas legais para fazer: o boia cross é muito divertido – você vai gostar.

A trilha do Rio Formoso custa a partir de R$ 130,  o boia cross custa  a partir de R$ 102 veja os detalhes e o mergulho com cilindro custa  a partir de R$ 312 veja os detalhes.

↑ Voltar para o índice

Grutas e cavernas

As formações de arenito que são uma forte característica da Serra da Bodoquena têm grande influência na área ao redor do Parque Nacional. É por isso, também, que há várias cavernas e grutas em Bonito e nas cidades vizinhas.

GRUTA DO LAGO AZUL

A Gruta do Lago Azul é uma das maiores cavernas inundadas do mundo, e a gente pode chegar bem perto do Lago Azul caminhando por uma trilha de, aproximadamente, 300 metros.

Apesar de curta, é bom preparar as canelas porque há uma escadaria bem íngreme com 300 degraus – é a parte mais cansativa, mas vale a pena. Sem dúvidas, deve estar na sua lista com o que fazer em Bonito.

O que fazer em Bonito

O passeio dura cerca de 1h30 e  não é permitido entrar no lago  – toda a gruta é protegida ambientalmente e, como tudo é muito frágil, todo o cuidado é pouco.

É bom saber que a Lagoa Azul fica azul de verdade a partir do meio de dezembro até o começo de fevereiro, quando o sol incide dentro da gruta.

O que fazer em Bonito

A visita à Gruta do Lago Azul custa  a partir de  R$ 89 veja os detalhes. Esse preço inclui o guia e todos os itens de segurança.

↑ Voltar para o índice

GRUTA DE SÃO MIGUEL

Há mais de 650 milhões de anos, o movimento das camadas rochosas de Bonito construiu cuidadosamente uma de suas atrações mais interessantes: a Gruta de São Miguel, que fica na Reserva Natural Parque Ecológico Vale Anhumas: ela tem cerca de três mil metros quadrados e é cheia de peculiaridades.

As curiosas formas – chamadas espeleotemas – aparecem quando o teto é inclinado e a água que chega pelas frestas não pinga verticalmente, mas escorre seguindo a curvatura do teto e das paredes. Há ainda estalactites, estalagmites e travertinos – sim, eu tive que anotar esses nomes.

Eu só falei isso tudo para você prestar atenção em uma coisa, quando estiver na Gruta: a pérola da caverna. Peça seu guia para explicar como elas são formadas – há cerca de dois milhões de anos.

O que fazer em Bonito

No interior da Gruta São Miguel, a gente faz uma trilha bem delineada de aproximadamente 200 metros.

Dentro da imensidão subterrânea, todo cuidado é pouco: não podemos tocar em nada, apenas admirar, porque é tudo muito frágil e levou tempo para que tudo ficasse como está.

O que fazer em Bonito

A visita à Gruta de São Miguel custa  a partir de R$ 52 veja os detalhes – e tem duração aproximada de uma hora.

↑ Voltar para o índice

ABISMO ANHUMAS

O Abismo Anhumas é um dos passeios mais completos – por isso está na minha lista do que fazer em Bonito – e também o mais caro.

É um circuito de aventura dentro de uma caverna inundada que inclui rapel por um paredão de 72 metros, mergulho em um lago de água cristalina que tem o tamanho de um campo de futebol e  80 metros de profundidade.

O que fazer em Bonito

Foto: Caio Vilela

A água é um pouco fria – em torno dos 18 graus – mas com a roupa de borracha a gente acaba não sentindo tanta diferença térmica.

O circuito do Abismo Anhumas  custa R$ 1.120 veja os detalhes. Vale lembrar, que para fazer o rapel, é necessário passar por um treinamento no dia anterior.

↑ Voltar para o índice

LAGOA MISTERIOSA

Outro lugar sensacional, que deve entrar na sua lista de coisas para fazer em Bonito, é a Lagoa Misteriosa.

Ela tem esse nome simplesmente porque ainda não foi possível saber qual a sua profundidade – ainda é um grande mistério.

O que fazer em Bonito

Com uma incrível  visibilidade de até 40 metros,  é o lugar perfeito para fazer mergulho – para quem é iniciante, dá para fazer batismo.

Mas, se você já é experiente, não se esqueça de levar a carteirinha de mergulho. Ela é obrigatória.

O mergulho na Lagoa Misteriosa custa R$ 400 veja os detalhes. Não é permitido usar repelente ou protetor solar.

↑ Voltar para o índice

ARVORISMO E BOIA CROSS

Para quem quer mais aventura e adrenalina eu indico o arvorismo e o boia cross.

No Hotel Cabanas, eu encontrei um circuito de arvorismo com 18 diferentes obstáculos, sendo duas tirolesas de 60 metros de comprimento cada.

Começando a uma altura de três metros, o percurso de quase 400 metros chega aos 15 de altura – é muito alto.

O que fazer em Bonito

O arvorismo no Cabanas custa  a partir de R$ 118 veja os detalhes.

Também dá para fazer boia cross no Cabanas e, no Parque Rio Formoso, eu fiz stand up paddle em um lago bem perto da sede da fazenda – mais uma opções para você.

↑ Voltar para o índice

RIO PERDIDO
A partir de janeiro de 2021, a região de Bonito vai ganhar mais um atrativo que promete entrar na lista do que fazer em Bonito, sem chances de perder lugar para outro: o Rio Perdido.

O rio e o primeiro lugar dentro do Parque Nacional da Serra da Bodoquena que será aberto para visitação e ele tem esse nome porque desaparece por caminhos subterrâneos e volta à superfície logo depois.

O percurso dentro do Parque terá cerca de 3,5 quilômetros e inclui paradas para contemplação da exuberante natureza e banhos no rio.

O limite de visitação diária é de 70 pessoas e é preciso estar acompanhado de um guia local. A reserva deve ser feita com uma agência credenciada pelo ICMBio.

Culinária local

Provar pratos típicos é uma das coisas que mais gosto de fazer durante uma viagem. Então, se você é como eu, coloque esses restaurantes em sua lista com tudo o que fazer em Bonito se prepare para  ficar com água na boca.

Você não pode deixar de experimentar alguns pratos da cozinha sul-mato-grossense e pantaneira: isso inclui caldo de piranha e carne de jacaré –  o ceviche de jacaré   é uma delícia.

OS MELHORES RESTAURANTES

O meu restaurante favorito é o Casa do João, que tem um cardápio bem variado e com aquela comida que deixa a gente com saudade, sabe como é? A traíra frita é o carro-chefe e você precisa provar.

No Juanita Restaurante, eu sugiro experimentar o pacu assado. Esse peixe de água doce tem um sabor especial e, da forma que eles preparam – assado na brasa -, fica sensacional.

Quem gosta de uma boa carne, precisa provar o costelão rubinéia assado: é o meu prato favorito no restaurante.

No Pantanal Grill Gourmet, eu experimentei gorjão de jacaré. É um ótimo petisco para acompanhar uma cerveja gelada – um alívio no calor do Mato Grosso do Sul.

Na  hora da merenda,  o café da tarde que é servido pelas melhores pousadas, você precisa experimentar a chipa, um pãozinho de polvilho muito comum no Mato Grosso do Sul.

Onde ficar em Bonito

É muito importante saber que as maravilhas que fazem Bonito ser tão famoso estão espalhadas por uma área muito grande. Então, você precisa considerar esses deslocamentos na hora de planejar sua viagem.

→ Onde ficar em Bonito

Na prática, Bonito é a base para fazer os passeios e eles podem durar um dia inteiro.

As melhores áreas

Bonito tem uma estrutura muito boa de hospedagem e estas são as melhores áreas para se hospedar em Bonito:

PRAÇA DA LIBERDADE

Ficar hospedado no Centro – especialmente nos arredores da Praça da Liberdade – é a melhor escolha. É nesta parte que estão bares, restaurantes, lojas, agências de turismo e outros serviços que a gente sempre precisa durante uma viagem.

Nesta parte do Centro, boas opções são os hotéis Pirá MiúnaParaíso das Águas e Hotel da Praça.

Duas pousadas excelentes também ficam nesta área: Arte da Natureza e Gira Sol.

AVENIDA CORONEL PILAD

Na principal avenida da cidade, há duas regiões interessantes. A primeira é justamente nos arredores da Praça da Liberdade. A outra fica numa área mais nova, no começo da avenida, entre os bairros Formoso e Singular.

Onde ficar em Bonito

Na avenida, a apenas algumas ruas do Centro, estão as pousadas Surucuá e Chalé do Bosque, e o Wetiga Hotel.

ÁREA RURAL

Se você quiser uma imersão completa na natureza exuberante desta parte do Brasil, é só escolher um hotel bem completo. Assim, mesmo longe do Centro, você não sentirá falta de nada.

Onde ficar em Bonito

Nesta categoria mais próxima da natureza, o Zagaia Eco Resort fica pertinho do Centro e é sensacional. Tem também a incrível Pousada Boyrá, o Hotel Santa Esmeralda e o Hotel Cabanas.

Casas de temporada

Há várias casas e apartamentos ótimos em Bonito e elas podem ser uma boa opção se você for viajar com a família, em grupo de amigos ou, simplesmente, se quiser ter mais privacidade.

→ Todas as casas de temporada

Neste caso, ficar na área do Centro é melhor,  porque os restaurantes e os mercados ficam nesta área – e você pode preparar a própria comida. Se estiver de carro, pode até escolher casas mais distantes da Avenida Coronel Pilad, a principal da cidade, mas a diferença de preço não é tão grande.

RECOMENDAÇÕES DE VIAGEM - COVID-19

Devido à pandemia de Covid-19, novas medidas de saúde e segurança foram adotadas. Elas são importantes para evitar o contágio, protegendo você, quem trabalha diretamente com o turismo e as comunidades locais.

Antes de viajar, verifique a situação do seu destino para não encontrar atrativos fechados e, claro, não colocar a sua vida e a de seus familiares em risco.

Veja algumas medidas adotadas:

  • Álcool gel disponível nos quartos e nas áreas comuns;
  • Uso obrigatório de máscaras nas áreas comuns;
  • Respeito às regras de distanciamento físico;
  • Uso de produtos de limpeza eficazes contra o coronavírus;
  • Café da manhã pode ser servido no quarto.

Veja mais dicas do Mato Grosso do Sul

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas.

SOBRE O AUTOR

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

2 Comentários

Escreva um comentário