Um bate-volta para conhecer Morretes

22

Atualizado em 23 de outubro de 2017

Quem viaja no trem que sai de Curitiba tem o prazer de conhecer Morretes, uma das cidades mais charmosas do litoral paranaense. Dona de casarões bem preservados e onde é servido o famoso barreado, a cidade tem aquele clima gostoso de interior: o Rio Nhundiaquara corre lentamente enquanto alguns moradores veem o tempo passar sentados nos bancos das praças.

Vivendo basicamente da agricultura e do turismo, Morretes tem um atrativo a mais: quem vem de carro para cá passa por uma das estradas mais lindas do país. Antigo caminho dos índios que desciam a Serra para pescar no litoral, e depois subiam na época do pinhão, a Estrada Graciosa corta a Serra do Mar em um ziguezague majestoso por 33 quilômetros.

Pelo caminho, o maior conjunto de remanescentes de Mata Atlântica, riachos e cachoeiras completam a formosura dessa terra, e só essa viagem já valeria a pena. Mas há muito mais.

Na cidadezinha, a Ponte Velha é um dos cartões-postais. Mas tem também as construções do centrinho, o Hotel Nhundiaquara – que hospedou Dom Pedro II quando esteve por aqui – e a Igreja Matriz, todas no melhor estilo colonial para nos levar de volta ao passado.

Um bate-volta para conhecer Morretes

O casario da pequena Morretes.

Um bate-volta para conhecer Morretes

A ponte velha, um dos cartões-postais da cidade.

Um bate-volta para conhecer Morretes

O Rio Nhundiaquara e o Hotel que leva seu nome, à direita.

Para quem estiver com tempo, dá para aproveitar o Santuário Nhundiaquara com suas piscinas naturais, cachoeiras e trilhas. Esse parque, com 400 hectares de extensão, possui uma ótima infraestrutura para lhe receber.

Nessa região também está o Parque Estadual Pico do Marumbi. Ele tem 64 quilômetros quadrados e suas terras se estendem pelos municípios de Morretes, Piraquara e Quatro Barras. Muitos turistas vêm até aqui para escalar o pico que dá nome ao parque. Com 1.547 metros de altura, ele proporciona muita adrenalina nas escaladas e em muitas outras modalidades com diferentes graus de dificuldade.

Em Morretes tudo lembra banana. O principal prato da cidade – o barreado – é servido com banana. Os doces da sobremesa têm banana. Na chegada da estação as barraquinhas vendem banana frita em saquinhos. Até a cachaça aqui tem cheiro e gosto de banana. Você tem que provar.

Um bate-volta para conhecer Morretes

O Pico do Marumbi. Foto: Guilmann

Um bate-volta para conhecer Morretes

A lojas do movimentado centrinho de Morretes.

Um bate-volta para conhecer Morretes

O famoso barreado, receita mais tradicional da cidade.

Programe seu bate-volta para conhecer Morretes

Quando ir | Dá para conhecer Morretes o ano inteiro. Janeiro é o mês mais quente e a partir de maio as temperaturas já começam a cair na Serra do Mar, o que deixa a Estrada Graciosa com mais neblina.

Onde comer | No restaurante Ponte Velha eu comi um bem servido barreado. O prato é acompanhando de arroz, banana, peixe, camarão e salada. Essa refeição custa R$ 47 e serve facilmente até quatro pessoas.

Como chegar | Uma boa opção é chegar aqui no trem que sai de Curitiba. Eu explico como é esta viagem em: Curitiba: a viagem de trem para Morretes. Você também pode chegar aqui de ônibus. Quem faz o trajeto até a capital paranaense é a Viação Graciosa. Há também vans que cobram R$ 30 para fazer a viagem de Morretes a Curitiba. Elas ficam concentradas na área da estação rodoviária.

Um bate-volta para conhecer Morretes

Chegada do trem na estação de Morretes.

Quem leva | A Special Paraná tem pacotes que incluem o traslado, o tíquete do trem, o almoço em Morretes, e uma esticada até Antonina numa viagem que vai dos 960 metros de altitude até o nível do mar. Para fazer sua reserva basta acessar o site da agência.

Minha viagem teve o apoio da Special Paraná.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

22 Comentários

  1. Avatar

    Uma vergonha convidar pra passear numa cidade onde invadem um metro e meio da estrada planta árvore no meio da estrada veja beira do rio porto de cima estrada da prainha esta as marcas que a maquina passava na estrada ai existe prefeitura fiscalização .

  2. Avatar

    Olá, vou me hospedar em Morretes . Vou de carro mas estarei com minha bike. Qual é a opção para ir até o início da serra da graciosa ? Para poder descer de bike. Tem como pegar o trem invertido com a bike para subir e, depois, descer de bike? Algum contato de grupos de bikers?

    • Altier Moulin

      Oi, Sandra.

      Você pode ir de van/carro até o começo da estrada e voltar de trem depois de fazer a descida de bike.
      Infelizmente não tenho contato de grupos de bikers. Fico lhe devendo essa. 🙁

      Um abraço.

  3. Avatar

    Olá! Vou a Curitiba dia 24 de maio. Quero fazer o passeio de trem para Morretes.
    Sabe dizer se sai mais barato, comprar a ida de trem e só contratar a volta de van em Morretes?
    Ou é melhor comprar o pacote ( ida de trem e volta de van, com alguma empresa de turimo)?
    Obrigada

  4. Avatar

    Vou com um grupo de 9 pessoas. Vamos de trem e voltaremos de van ou onibus. Depois iremos para Ilha do Mel. Pensei em ir direto de Morretes para Ilha do Mel mas acho que ficará cansativo e corrido. Sabe dizer se lá em morretes consigo van com facilidade para não ficar dependente do horário do ônibus? Conhece algulma empresa que faz o transporte de van??
    Obrigada
    Angelina

  5. Avatar
    Elizabete Alves de Oliveira on

    Olá Altier.
    Quero sair de SP para Morretes, mas, não há ônibus em muitos horários. O melhor é ir até Curitiba e de lá pegar o trem. Iremos eu e minha filha. O que vc sugere sobre Curitiba, onde ficar e dormir uma noite e no dia seguinte pegar o trem. O que conhecer em Curutiba . Em Morretes como estarei sem carro, qual melhor roteiro??
    Obrigada

  6. Avatar
    Ari Silveira do Nascimento on

    Altier, Vou passar o Natal em Curitiba. Pretendo fazer o passeio, de moto, de Curitiba a Morretes no domingo dia 23/12, se o tempo estiver com sol.
    Saindo cedo, consigo ir e voltar no mesmo dia, correto?
    Quais dicas poderá me passar? Agradeço desde já sua atenção.
    [email protected]
    Um abraço e fique com Deus !

  7. Avatar

    Olá Altier!
    Eu gostaria de fazer o passeio por conta propria, sem contratar agência, é possivel?
    Tem trem tds os dias para Morretes?
    Outra coisa: a estação de trem fica bem no centro onde tem estas lojinhas da foto, e onde eu possa me alojar ?
    Gostaria de ficar um dia a mais para ir ate Antonina.
    Grata
    Juju

      • Avatar

        Oi Altier !
        Obrigada pela resposta, mas eu vou a pé mesmo.
        Na verdade, sou uma caminhante e mochileira inveterada!

        Uma dúvida:
        Eu gostaria de ficar uma noite por ali, em Morretes ou Antonina.
        O que vc recomenda ?
        Ja li que em Antonina, depois das 15 hs fica td fechado e nao tem onde comer!
        Pensei pernoitar em Morretes e no outro dia ir visitar Antonina e a tarde voltar pra Morretes.
        O que vc acha ?

        • Altier Moulin

          Oi, Juju.

          Acho uma boa ideia.
          Eu adorei Antonina, mas acredito que a escolha de ficar em Morretes é boa porque a cidade tem mais estrutura.
          Você vai gostar.

          Um abraço.

  8. Avatar

    Olá Altier! Vc falou acima que posso contratar uma Van para voltar para Curitiba. Mas é fácil de conseguir no dia? não corro o risco de ter ficar por lá por falta de transporte de volta? ou vc aconselha comprar a passagem de ônibus da Viação Graciosa com antecedência? Obrigada. Suzana

Escreva um comentário