Um bate-volta em Victoria, no Canadá

4

Atualizado em 20 de abril de 2020

A capital da British Columbia está a poucas horas de Vancouver, mas a viagem até aqui é longa: ônibus, metrô, barco, ônibus – mais uma vez – e, finalmente, chego a Victoria. A mais britânica cidade do Canadá exagera em seu papel de reduto do império da rainha Elizabeth II. Aqui, o chá das cinco, os ônibus de dois andares e as gaitas de fole são algumas das características mantidas orgulhosamente por quem fez dessa ilha um lar.

Victoria foi fundada em 1843, antes mesmo que o Canadá fosse, oficialmente, um país. Ela fazia parte de um território disputado entre a coroa Inglesa e a mineradora Hudson’s Bay Company, dona de grande parte das terras da região. Com a organização do Canadá como nação, em 1867, a cidade passou a ser capital da British Columbia, título que mantém até hoje.

A cidade, que recebeu esse nome em homenagem à monarca britânica que reinou entre 1837 e 1901, foi, durante muito tempo, a maior e mais importante de todo o oeste canadense. Mas, atualmente, Vancouver ocupa esse posto. Mesmo assim, Victoria, com seus 70 mil habitantes, ainda concentra o poder político da província.

Sabendo da rica história da cidade, logo que coloco meus pés nesta terra, corro para o Inner Harbour. Ele é uma grande área de frente para o mar onde atracam barcos de passeio e de pesca, e a movimentação por aqui é frequente.

É nessa região que estão as principais atrações de Victoria. O Empress Hotel, inaugurado em 1908, o Parliament Building e o Royal British Columbia Museum são atrações que podem ser visitadas a pé, a partir daqui. À noite, quando as luzes são acesas, as ruas e o prédio do parlamento ganham um charme especial.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

O iluminado Inner Harbour: ao seu redor estão as principais atrações da cidade.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

O Parliament Building com suas luzes.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

O prédio do parlamento visto do Inner Harbour.

Para quem quer conhecer um pouco mais da história natural da região, o Royal British Columbia Museum é ideal.  Mas, para ver toda a coleção, você terá que destinar algumas horas do seu dia: aqui, o belíssimo acervo ocupa três andares.

Em exibição, estão centenas de exemplares da fauna e da flora canadense, todos devidamente preservados e colocados em ambientes que recriam seus habitats. O mamute, com três metros de altura, impressiona e é uma das peças mais fotografadas.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

O mamute do Royal British Columbia Museum.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

A noite de Victoria é discreta, mas não perca a oportunidade de conhecer um dos pubs da capital. Aliás, essa é outra tradição britânica da cidade.

Avistando baleias

A manhã seguinte à minha chegada eu separei para fazer o Whale Whatching, um passeio na baía de Victoria para ver baleias e outras espécies da vida selvagem. Nesta época do ano, centenas de orcas visitam as ilhas da British Columbia para se reproduzir, mas já foram identificados grupos desses mamíferos que fazem dessas águas sua morada permanente.

Depois que entro no bote, não demora muito para que as primeiras barbatanas apareçam na superfície. Os machos, sempre maiores, me assustam quando se aproxima da embarcação, mas não há perigo. Protegidos pela legislação internacional, eles sabem que não correm nenhum risco e não nos ameaçam.

Em pouco mais de uma hora de navegação, eu vejo ainda vários tipos de aves e lobos-marinhos que, espertos, se aquecem sob o sol do hemisfério norte.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

Uma das primeiras nadadeiras que vejo em Victoria.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

Whale Whatching: orca esbanja beleza para nossa embarcação.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

Lobos-marinhos se aquecem nas ilhas da British Columbia.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

Espertos, os lobos-marinhos se protegem nas rochas enquanto se aquecem.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

Algumas das aves que vi no passeio.

Planeje seu bate-volta em Victoria

Quanto custa | A visita ao  Royal British Columbia Museum custa CAD 24. O tíquete combinado para dois dias sai por CAD 36. Estudantes pagam CAD 15 e 25, respectivamente. O passeio para avistamento de baleias custa CAD 120.

Quando ir | No Canadá, o clima é temperado, com as quatro estações bem definidas. No inverno, entre dezembro e março, as temperaturas sempre ficam abaixo de zero. Já no verão, especialmente entre julho e agosto, os dias são mais quentes e ensolarados. É nessa época que os as baleias orca se aproximam da costa para procriar.

Quem leva | Se quiser viajar com todos os passeios garantidos para economizar tempo – e evitar correrias de última hora –, dê uma olhada nestas opções. O passeio para ver baleias, eu comprei com a Prince of Whales.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

Bote semelhante ao que me levou para ver baleias.

Como chegarComo Victoria fica numa ilha – a Vancouver Island –, a viagem até aqui é por via aquática. O terminal de Vancouver está a cerca de 30 minutos do centro. O skytrain nos leva facilmente para o terminal Tsawwassen. Depois, é só embarcar num dos confortáveis barcos da BC Ferries até o terminal de Swartz Bay. Daqui, a viagem continua pela estrada 17 até o centro de Victoria.

A viagem é tranquila, e o barco atravessa diversos canais entre ilhas cobertas de pinheiros e algumas casas de luxo, quase todas com iates ancorados na frente.

O Aeroporto Internacional de Vancouver (YVR) é o principal da região. Ele recebe voos de outras cidades canadenses e também de outros países.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

A vista entre Vancouver e Victoria.

Um bate-volta em Victoria, no Canadá

O interior dos barcos que fazem a viagem.

Onde ficar | Victoria é uma cidade pequena, então eu acho bom você reservar seu hotel assim que decidir visitar a cidade. As opções aqui não são tantas, como em Vancouver, por exemplo, mas você poderá escolher aquela que atende melhor aos seus padrões e que esteja dentro do seu orçamento. Encontre, aqui, onde se hospedar em Victoria.

Visto | Brasileiros precisam de visto para entrar no país. Veja como solicitar o visto para o Canadá.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

4 Comentários

  1. Avatar

    Estamos indo em 3 pessoas de Vancouver para Victoria, seria o caso de alugar um carro ?
    Ou o deslocamento lá em Victoria é tranquilo pelo transporte público ?

Escreva um comentário

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Altier Moulin (@penaestrada) em