30 coisas indispensáveis para ver e fazer em Salvador – com preços

6

Atualizado em 11 de abril de 2021


Antes de planejar sua viagem, dê uma olhada nestas dicas do que fazer em Salvador, porque elas vão deixar tudo muito melhor.

Salvador é uma terra esplêndida,  perfeita para quem gosta de História,  de ótimas praias, de cultura viva e, claro, de comida boa.

Sem falar da simpatia do baiano, que sempre nos recebe com um sorriso no rosto.

Não há como negar que há na capital da Bahia uma beleza muito peculiar: sol, praia, mar e construções históricas dividem o mesmo espaço, e é assim que os cartões-postais mais famosos do Brasil se configuram e nascem.

Reflexo da alma baiana, a capital soteropolitana é a Meca de quem curte carnaval de rua agitado e embalado pelo axé, ritmo que nasceu nas terras douradas da Bahia e que é apenas um exemplo da criatividade de seu povo.

O que fazer em Salvador

Para facilitar sua vida, eu organizei as atividades em três áreas principais: Pelourinho, Barra e Rio Vermelho.

Dê uma olhada no mapa abaixo para entender melhor as distâncias.

Pelourinho

O Pelourinho é apenas um dos muitos bairros que formam o Centro Histórico de Salvador e, na maioria das vezes, a gente acaba ficando restrito a ele.

Nesta parte da cidade, são estes os lugares que você não pode deixar de conhecer:

  1. Mercado Modelo
  2. Elevador Lacerda
  3. Museu da Misericórdia
  4. Cruz Caída
  5. Praça da Sé
  6. Largo Terreiro de Jesus
  7. Igreja e Convento de São Francisco
  8. Olodum
  9. Largo do Pelourinho
  10. Casa Jorge Amado
  11. Igreja de Nossa Senhora do Rosários dos Pretos
  12. Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM
  13. Basílica do Senhor do Bonfim
  14. Dique Tororó
  15. Passeio de escuna

Eu sugiro que você comece pela parte de baixo, perto da Baía de Todos os Santos onde estão o Forte de São Marcelo – que a gente só vê de longe – e o Mercado Modelo.

30 coisas indispensáveis para ver e fazer em Salvador

O Mercado é super tradicional e nem que seja para dar apenas uma passada, vale a pena conhecer, porque ele já foi o principal mercado de abastecimento da cidade. Hoje, apesar de ter as lojinhas e barraquinhas, é mais turístico.

De frente para o Mercado está o Elevador Lacerda, outro ícone da capital soteropolitana. Inaugurado em 1873 ele liga a Cidade Baixa à Cidade Alta e você jamais pode deixar de ter a experiência de subir nele. O preço é bem baratinho, R$ 0,15.

Depois de colocar o pé para fora do Elevador, você estará no Pelourinho.

30 coisas indispensáveis para ver e fazer em Salvador

Você sentirá o clima, vai perceber as casinhas coloridas e, provavelmente, vai notar os homens que ficam dia e noite à espera de turistas que descem do Elevador.

Esses homens se aproximam com simpatia, oferecem uma pulseira do Senhor do Bonfim como presente e, se você der confiança, eles vão grudar em você até conseguir uns trocados.

30 coisas indispensáveis para ver e fazer em Salvador

Então, sendo bem realista, passe direto, agradeça qualquer mimo e não dê bola para eles. Se você não fizer isso, eles podem estragar seu passeio.

Na parte alta da cidade, a poucos metros do Elevador, você pode visitar o Museu da Misericórdia e o Monumento da Cruz Caída, que ficam nos arredores da Praça da Sé.

30 coisas indispensáveis para ver e fazer em Salvador

Nesta parte – em outras também – é muito comum encontrar baianas usando trajes típicos: vestido branco, turbante na cabeça e colares coloridos no pescoço.

Elas ficam paradas esperando que você tire uma foto para lhe pedir uns trocados. Outras vezes, elas se aproximam com simpatia e se oferecem para sair na foto. Também, claro, no intuito de ganhar alguns reais.

Se considerar que vale, dê um agrado a elas. Se não, siga aquela regra: agradeça e siga seu rumo.

30 coisas indispensáveis para ver e fazer em Salvador

No caminho, a gente passa pelo Largo do Terreiro de Jesus e, mais à frente, está a Igreja e Convento de São Francisco de Assis – a entrada custa R$ 5 -, uma das mais lindas e ricas de Salvador.

Seguindo o roteiro, vamos encontrar a sede do Olodum. Com sorte, dá para assistir um ensaio. Se quiser se programar, dê uma olhada na agenda do grupo.

30 coisas indispensáveis para ver e fazer em Salvador

O Largo do Pelourinho é coração da parte antiga de Salvador.

Era aqui que ficava o pelourinho, o poste onde eram amarrados, humilhados e chicoteados os negros escravizados durante o período do Brasil Colônia – especialmente, do século 16 até a abolição da escravatura em 1888.

É impossível ser indiferente a isso. Eu jamais conseguiria passar por essas ruas sem pensar no que elas representam e tenho certeza que você também.

PELOURINHO
O Pelourinho era um método de punição muito comum em Portugal e no Brasil durante o período colonial.

O instrumento de punição brutal, que se assemelha a um poste, era usado pelos donos de terras para castigar negros escravizados tidos como rebeldes.

Eles eram amarrados e chicoteados aos olhos do público, que nada podia fazer.

Mesmo assim, o pelourinho mudou de lugar várias vezes por causa de protestos, até ser estabelecido no Largo do Pelourinho, o Centro da Antiga capital do Brasil.

Esse método de tortura só foi extinto com assinatura da Lei Áurea, em 1888.

Hoje, o Pelourinho é um símbolo de resistência e da herança afro-brasileira.

No Largo do Pelourinho ficam a Casa Jorge Amado – a entrada custa R$ 5 -, um centro cultural muito importante para Salvador, e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos.

Para encerrar essa parte da cidade, dê uma passada no Dique do Tororó, onde estão as clássicas esculturas de oito orixás.

Quando estiver na área do Pelourinho, dê uma esticada até a Basílica de Nosso Senhor do Bonfim, onde acontece anualmente a lavagem do Bonfim.

Um passeio que eu acho super legal em Salvador e que pouca gente comenta é o passeio de escuna pela Baía de Todos os Santos. Há vários roteiros, mas se puder fazer o que vai para as ilhas dos Frades e Itaparica já vale a pena – custa R$ 45.

No retorno, entre o Pelourinho e a Barra, faça uma parada no Museu de Arte Moderna – MAM.

Barra

A Barra é uma área deliciosa, perfeito para curtir praia: as melhores são a Praia do Porto da Barra, a Praia do Farol da Barra e a Praia de Ondina.

Nesta área ficam o Forte de Santa Marta e o Forte de Santo Antônio da Barra, o Forte do Farol da Barra, onde funciona o Museu Náutico da Bahia.

Então, os pontos que você precisa colocar em sua lista são estes:

  1. Forte de Santa Maria
  2. Farol da Barra
  3. Museu Náutico da Bahia
  4. Praia do Farol da Barra
  5. Morro do Cristo
  6. Praia de Ondina

Nesta parte de Salvador você vai aproveitar o mar e o sol, que sempre dá as caras, sem pressa: eu gosto dessa parte para curtir  desde a manhã até o pôr do sol  – que é sensacional.

Você pode almoçar em um dos restaurantes da Barra, como o Barravento, fica perto do Morro do Cristo, e depois de assistir o pôr do sol pode esticar até o Boteco do Caranguejo.

Rio Vermelho

Rio Vermelho é um bairro super tradicional, que concentra bares, restaurantes e boates, além de ser lar das tradicionais baianas que vendem o seu prato mais famoso: o acarajé.

Algumas coisas que você precisa ver experimentar estão nesta lista:

  1. Orla do Rio Vermelho
  2. Praia do Rio Vermelho
  3. Escultura Jorge e Zélia
  4. Acarajé da Dinha
  5. Acarajé da Cira
  6. Boteco do França
  7. Antigo Mercado do Peixe
  8. Casa do Rio Vermelho
  9. Praia de Itapuã

No Largo de Santana, todo mundo precisa experimentar o famoso Acarajé da Dinha, e no Largo da Mariquita, o que reina é o Acarajé da Cira.

Falando em coisa gostosa, se for almoçar nesta área, uma boa pedida é o arroz de polvo do Boteco do França. Ele fica na esquina de uma ruazinha bem simples, mas o que falta de sofisticação sobra em sabor.

O antigo Mercado do Peixe está reformado e as barraquinhas, onde os pescadores comercializavam o fruto de seu trabalho, deram lugar a restaurantes e quiosques super badalados.

Como tudo fica pertinho, esse lugar acabou se tornando uma ótima opção para quem quer fazer um esquenta e gastar a sua noite em uma das baladas da região.

Para quem é mais diurno e preocupado com o corpo, a orla do Rio Vermelho está novinha em folha. Ciclovia, calçadão e quadras de esportes foram instaladas e você pode aproveitá-las também.

Se você gosta de apreciar a arquitetura histórica de Salvador, nessa região há ótimas opções. Igrejas, casas e prédios públicos centenários inspiram nossos passos e enchem nossos olhos.

A antiga Igreja de Santana é uma desses preciosos patrimônios do Rio Vermelho.

Construída na primeira metade do século 19, hoje ela é tombada e nela não acontecem mais missas, já que as celebrações foram transferidas para a igreja nova que funciona a poucos metros daqui.

Na frente da antiga igreja há uma escultura em bronze que homenageia o escritor baiano Jorge Amado e sua esposa Zélia Gattai.

Foto: Mauricio Moura

Por falar em estátua, outra que chama muita atenção por aqui é a de Iemanjá. Ela fica no Largo da Mariquita, e um dos principais pontos de homenagens dos devotos no dia 2 de fevereiro, dia de Iemanjá.

Não volte pra casa sem dar uma passada na Praia de Itapuã, que fica mais longe, mas não vale ignorar a inspiração de Caymmi.

Agora que você já tem uma ideia de como montar seu roteiro, dê uma olhadas nestas dicas práticas.

Quando ir

Dá pra visitar Salvador o ano todo, mas entre os meses de abril a julho chove mais.

No carnaval, a cidade fica lotada – muito mesmo – e tudo fica mais caro: do hotel à água de coco.

De dezembro a março as temperaturas alcançam facilmente os 30 graus. Mas é, sem dúvida,  uma boa época para conhecer Salvador. 

Como chegar

O Aeroporto Deputado Luís Eduardo Magalhães (SSA) fica longe, a cerca de menos 25 quilômetros do Centro.

Um táxi até o Rio Vermelho custa pelo menos R$ 90. Com carro de aplicativo ficar em torno de R$ 40.

Onde ficar em Salvador

Há três áreas principais para você escolher onde ficar em Salvador.

  • Centro Histórico, para quem quer conhecer bem o Pelourinho;
  • Orla Central, ideal para quem quer curtir praia e o carnaval;
  • Orla Norte, mais tranquila e um pouco afastada.

Todas essas áreas são bem diferentes entre si e o legal disso é que há opções para todos os gostos e bolsos.

Vale lembrar que existem algumas regiões onde a relação custo-benefício compensa mais. Na Barra e no Rio Vermelho – um dos bairros mais boêmios da cidade -, você consegue pagar um preço justo por acomodações muito boas. Tem ainda Ondina e Pituba.

No mapa abaixo, você encontra todas as opções de hospedagem de Salvador– especialmente as da área mais central. Você só precisa  clicar sobre os pins azuis  para ver mais detalhes de cada uma delas.

Há pousadas, hotéis, apartamentos e hostels. Então, tem opções para todos os estilos e com diferentes preços.



Booking.com

Eu sempre faço minhas reservas com o Booking.com, o site que mais confio. O processo é sempre muito fácil, as regras de cancelamento gratuito são flexíveis e quanto mais uso o site para fazer reservas, mais descontos ganho.

Agora, antes de decidir onde ficar em Salvador, você precisa saber o que tem em cada uma dessas áreas.

Centro Histórico e o famoso Pelourinho

Mundialmente famosa, a parte histórica de Salvador é um pouco controversa. Há quem ame e há quem odeie o Pelourinho e toda essa região.

Isso acontece porque, talvez, as pessoas cheguam aqui com uma expectativa muito alta. Eu até entendo isso, porque o Pelourinho é um cartão-postal da cidade e deveria estar mais bem cuidado. Sem falar que  no quesito segurança ele também deixa a desejar. 

Mas, não há como negar que as ladeiras de paralelepípedo com casinhas coloridas têm seu encanto, um fascínio inexplicável.

Onde ficar em Salvador: Pelourinho

Essa é, sem dúvida, a região mais cultural da cidade com ótimas programações o ano inteiro. Isso faz dessa região uma boa escolha para quem quer aproveitar a noite tradicional de Salvador.

Eu acho importante dizer mais uma coisa: durante o dia, essa parte histórica é bastante monitorada e dá para fazer os passeios a pé em segurança. Á noite, isso já muda um pouco e é bom evitar sair das vias principais.

Melhores opções do Centro Histórico

A região do Centro Histórico é uma boa escolha, mas lembre-se que boa parte dos hotéis daqui funcionam em prédios mais antigos. Então, a sua decisão de onde ficar em Salvador deve levar isso em consideração.

Eu selecionei os melhores, os hotéis mais procurados por quem quer explorar essa área sem abrir mão do conforto e da segurança. Claro, eu também separei um hostel excelente, perfeito para quem quer economizar. Dê uma olhada nessa lista:

HOTEL FASANO SALVADOR

Não é preciso dizer muito sobre o hotel Fasano Salvador, porque ele é uma das melhores opções da cidade e aprovado por todos. Se você quer ficar bem localizado e ter todo o conforto do mundo, esse é o seu lugar.

Onde ficar em Salvador: Fasano

O café da manhã é excelente, o atendimento segue o padrão da rede Fasano – sempre muito bom -, os quartos são espaçosos, bem decorados e a piscina é fantástica. Para quem gosta e pode pagar por isso, os serviços do SPA são excelentes.

Onde ficar em Salvador: Fasano

POUSADA BAHIA PELÔ

Essa pousadinha fica em Santo Antônio, a 500 metros do Pelourinho. Ela tem quartos ótimos, super aconchegantes e bem práticos – alguns têm até banheiro de hidromassagem. Se sua ideia é ter dias tranquilos, mas estar perto de tudo, esse é um bom lugar para se hospedar em Salvador.

Onde ficar em Salvador: Bahia Pelô

Outro atrativo da Pousada Bahia Pelô é o preço: tenho certeza que você vai gostar. O café da manhã é bom e há vários bares e restaurantes aqui por perto.

Onde ficar em Salvador: Bahia Pelô

HOTEL VILLA BAHIA

O Hotel Villa Bahia tem uma decoração colonial super elogiada pelos hóspedes: tem camas com dossel e o café da manhã é servido em um salão que lembra aqueles imperiais. Os quartos são espaçosos e confortáveis, a equipe é super atenciosa no atendimento e a limpeza é de excelência.

Onde ficar em Salvador: Villa Bahia

Com tantos atributos assim, é obvio que a diária é um pouco mais cara. Mesmo assim, se quiser ficar aqui é bom fazer a reserva com antecedência, porque o hotel vive lotado.

HOSTEL LARANJEIRAS

O Pelourinho é a área mais animada de Salvador e eu já expliquei isso. Com  boa gastronomia e muitas manifestações culturais, escolher uma hospedagem por aqui é perfeito para quem busca exatamente isso.

Onde ficar em Salvador: Laranjeiras Hostel

O Laranjeiras Hostel tem um ambiente supersimpático, recepção fina e espaços ornamentais com a galera mais gente boa da cidade. O hostel fica no coração do Centro Histórico e tem quartos básicos, mas confortáveis o suficiente.

Orla Central: praias famosas e carnaval inesquecível

É nessa parte de Salvador que ficam as praias mais famosas da cidade. Você já deve ter ouvido falar do Farol da Barra e do Porto da Barra, certo? Elas são baianidade pura e é impossível não aproveitá-las nem que seja um pouco.

Tanto  as praias da Barra quanto as do Rio Vermelho são praias urbanas,  porque ficam em bairros bem movimentados e isso acaba fazendo com que elas lotem nos finais de semana mais quentes.

O lado positivo disso é que há muitos bares e restaurantes por perto, então, quem está pensando em passar o dia nessa área vai se dar bem.

Onde ficar em Salvador: Farol da Barra

A maior oferta de hospedagem de Salvador fica nessa região. Isso significa que você terá muitas opções para escolher, avaliar o serviço e, principalmente, comparar preços.

Essa área também é excelente para quem pretende usar o transporte público, porque há conexão fácil com toda a cidade.

Agora,  se você vem a Salvador para curtir o carnaval,  não há melhor lugar na cidade para ficar do que na região da Barra e de Ondina. É que o melhor do carnaval baiano acontece mesmo é no Circuito Dodô, o famoso Barra-Ondina.

Então, para ter pouco deslocamento, a ideia é ficar em um desses bairros.

Melhores opções da Orla Central

Eu selecionei algumas das melhores opções de hospedagem dessa região e você pode confiar que vale muito a pena.

Tem hotéis mais caros, aqueles básicos que nos garantem o conforto necessário sem gastar muito e até um hostel muito bem avaliado e com ótima localização. Dê uma olhada na lista abaixo:

MERCURE RIO VERMELHO HOTEL

O Mercure Rio Vermelho foi feito para viajantes exigentes. Com serviços de primeira, piscinas relaxantes e vista para o mar, você não vai querer voltar para casa. E pode relaxar também quanto à localização: as avenidas que cercam o Mercure são as mais badaladas da noite baiana e, daqui ao Centro Histórico, são só 15 quilômetros.

Onde ficar em Salvador: Mercure

O padrão Mercure não deixa dúvidas quanto à qualidade: os quartos são muito bem pensados, super confortáveis e silenciosos. O atendimento é bom, no mesmo padrão das grandes redes e o valor de uma diária é justo.

NOVOTEL RIO VERMELHO

O Novotel é a referência em acomodações cinco estrelas e, em Salvador, não poderia ser diferente. Vista para o mar, piscinas enormes, sauna, academia e tudo o que se pode esperar de um gigante da hospedagem internacional.

Onde ficar em Salvador: Novotel

Além disso tudo, as melhores praias de Salvador ficam pertinho daqui, um dos bairros mais modernos da capital. Como sempre, é preciso pagar para ter todo esse conforto e comodidade, mas acredite, há preços bem interessantes neste hotel.

IBIS RIO VERMELHO

No coração do Rio Vermelho, você também pode contar com a conhecida rede Ibis. Esse três estrelas fica bem de frente à praia e são só doze quilômetros até o Centro Histórico, onde está o Pelourinho.

Onde ficar em Salvador: Ibis

Os quartos e o atendimento seguem um padrão mundial e isso significa que não há chances para surpresas desagradáveis: tudo é como a gente vê nas fotos. Outro ponto positivo de ficar hospedado aqui é o preço.

PORTOBELLO ONDINA PRAIA HOTEL

Em Ondina, a melhor escolha é o Portobello Ondina Praia. A localização é excelente, a cerca de 20 minutos de caminhada do Porto da Barra e bem próxima do Rio Vermelho, onde há muitos bares e restaurantes – você vai gastar cerca de R$ 10 de Uber.

Onde ficar em Salvador: Portobello

Os quartos são limpos, espaçosos e confortáveis. O café da manhã tem bastante variedade e o atendimento é sempre bem elogiado. Os apartamentos ficam de frente para o mar e têm uma vista linda.

TÔ EM CASA HOSTEL

Se você está procurando um lugar com aquele alto astral baiano bem pertinho da Praia da Barra, uma das melhores opções de Salvador é o Tô em Casa Hostel. Ele é perfeito para quem gosta daquela atmosfera típica de hostel, mas não abre mão do conforto e da segurança.

Onde ficar em Salvador: Tô em Casa

O café da manhã é básico e você também pode usar a cozinha para preparar suas refeições. O hostel fica a duas quadras da praia e dá para fazer muita coisa caminhando e, claro, para usar o transporte público tranquilamente.

Orla Norte, uma tarde em Itapuã

A Bahia é cheia de clichês e eles foram imortalizados nas artes de forma geral, especialmente na literatura e na música.

Nessa parte de Salvador você vai poder viver uma das experiência da baianidade que é desfrutar da brisa da Praia de Itapuã, eternizada na letra de Dorival Caymmi.

Embora eu não ache que ela seja lá grandes coisas, tanto Itapuã quando a Praia do Flamengo são opções para você ficar em Salvador.

O lado positivo é que, diferentemente das áreas mais urbanizadas, elas são mais calmas, mais sossegadas. E, de fato, talvez seja isso que vai fazer seus dias melhores.

Nessa área também há muitos bons resorts internacionais e a distância para o aeroporto é menor: cerca de nove quilômetros.

Melhores opções da Orla Norte

Sabendo que estará mais longe do Centro e das principais atrações turísticas da cidade, considere que vai gastar mais tempo com deslocamentos. Mas, o ponto positivo é que você pode encontrar diárias mais baratas.

Eu selecionei três opções na praia de Itapuã para você ter uma ideia. Elas têm estilos bem diferentes. Veja só:

HOTEL DEVILLE PRIME SALVADOR

Muito elogiado, o Hotel Deville Prime Salvador tem quartos confortáveis, banheiro espaçoso e limpo. Os funcionários são educados, simpáticos e sempre querem ajudar: isso conta mutos pontos, não é mesmo? A área da piscina é sensacional.

Onde ficar em Salvador: Deville

O restaurante tem pratos muito bem servidos a um preço justo e o café da manhã é bem farto. Vale lembrar que ele foi reformado recentemente e está muito bem cuidado.

POUSADA B&B JPD

Essa pousada fica em um lugar tranquilo, bom para relaxar, mas muito próximo da praia: dá para ir andando. A limpeza e o atendimento da equipe são sempre muito elogiados. Os quartos são básicos, mas atendem no quesito conforto.

Onde ficar em Salvador: B&B

O café da manhã é simples, saudável e preparado com muito zelo: você vai notar isso. O B&B JPA é ideal para quem gosta de se sentir em casa quando viaja e, principalmente, está disposto a conhecer pessoas amáveis e com bom papo.

QUINTAL DA SEREIA HOSTEL

Uma boa opção para quem busca um quarto compartilhado de hostel nos arredores da Praia de Itapuã, o Quintal da Sereia fica muito bem localizado e tem uma ótima relação custo-beneficio.

Tudo é muito limpo e os funcionários fazem de tudo para nos ajudar. Há, também, quartos individuais e para família com televisão e banheiro provativo. Eles são bons para quem gosta do ambiente de hostel, mas não abre mão da privacidade.

Veja mais dicas da Bahia

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas.

SOBRE O AUTOR

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

6 Comentários

  1. Fui a Salvador agora em Julho, tive como base esse roteiro, nunca tinha ido pra lá. A cidade é demais e as dicas são show de bola, pq Salvador é um mundo, se a gente vai sem um norte, fica perdido em tantas opções e acaba não conhecendo nada.

  2. Lamento você não ter experimentado as diversas opções de Salvador e ter vivido a alma da cidade, ficando restrito ao que os guias para gringos manda visitar.
    Sua experiência foi a mesma de quem vai ao Rio e faz uma rápida visita ao Corcovado, ao Pão de Açúcar e ao Lapa 40°.

    • Oi, Antoniel.

      É assim mesmo, quando estamos turistando, nem sempre conseguimos conhecer tudo e todas as coisas, né?
      Sempre que vou a Salvador é na correria, e acabo conhecendo aos poucos.
      De qualquer forma, o post foi escrito para quem não conhece a cidade e precisa de um norte, um rumo do “basicão”.
      É para essas pessoas que os guias de viagem existem.

      Um abraço.

Escreva um comentário