Casco Viejo: um dia no Panamá

4

Atualizado em 2 de janeiro de 2019

Muita gente chega à Cidade do Panamá para passar apenas algumas horas. Isso acontece porque a Copa Airlines, uma das principais companhias aéreas da América Latina, tem seu principal aeroporto aqui. Com isso, eles nos colocam em muitas conexões longas. Se você tiver, pelo menos, um dia no Panamá, aproveite para explorar algumas áreas da cidade, como o Casco Viejo.

Eu fiz esse passeio em seis horas, sem correria, e gostei demais. O Casco Viejo é considerado Patrimônio Mundial da Humanidade. Então, se você gosta de história e de bater pernas, esse é seu lugar.

Casco Viejo: um dia no Panamá

A paisagem do Casco Viejo.

Casco Viejo: um dia no Panamá

O estilo colonial está por todos os lados.

Para sair do aeroporto é simples, mas você terá que fazer o processo de imigração. Ou seja, é preciso preencher os formulários na alfândega e carimbar o passaporte. Se estiver com mala, terá que passar no raio x, mas isso é moleza. Como você só tem um dia no Panamá, tente agilizar ao máximo as coisas, tendo em mãos os documentos, e apenas os itens essenciais.

Do Aeroporto Internacional Tocumen (PTY) até Casco Viejo são cerca de 35 minutos de Uber. Foi essa a opção que eu escolhi para fazer esse trajeto, mas há ônibus que ligam o aeroporto ao centro. Você pode consultar as linhas e os horários no site da empresa local.

Arquitetura e engenharia

A viagem é feita pela autopista Corredor Sur – popularmente chamada de Tramo Marino -, que ladeia a costa e que, algumas vezes, passa sobre o mar. Essa estrada é muito emblemática e é considerada um marco da engenharia nacional. Igualmente fantástica é a Cinta Costanera, uma avenida que contorna justamente o Casco Viejo, o bairro histórico que, com suas ruas estreitas, não comporta o trânsito da cidade moderna.

Nos finais de semana e feriados, a Cinta Costanera costuma ficar fechada para veículos. Essa é uma ótima oportunidade para você desfrutar da vista e da brisa que vem do Oceano Pacífico.

Aliás, a Cidade do Panamá tem uma arquitetura linda. Se aqui, no Casco Viejo, a herança colonial ainda resiste, nos arredores a gente vê prédios enormes com fachadas muito bem projetadas. É uma mistura incrível, e você pode ver isso no caminho até o aeroporto.

Casco Viejo: um dia no Panamá

A Cinta Costanera: modernidade e tradição no mesmo lugar.

Explore o Casco Viejo

Há muita coisa para ver e fazer nesta área. Então, como talvez você não tenha todo o tempo que gostaria – um dia no Panamá é muito pouco -, aqui estão algumas dicas do que é imperdível. Todas essas atrações estão a uma curta distância da outra, e isso significa que dá pra fazer tudo a pé, sem pressa.

Paseo de las Bóvedas | Oficialmente chamado Paseo General Esteban Huertas, esse caminho percorre a muralha construída, pelos espanhóis, à beira-mar e é cheio de lojinhas e barracas de artesanato, entre muitas outras coisas.

Aqui é um bom lugar para comprar uma lembrancinha do país, mas não se esqueça de pechinchar e de comparar os preços de uma banca e outra, porque eu tenho certeza que você poderá economizar.

Casco Viejo: um dia no Panamá

O Paseo de las Bóvedas.

Casco Viejo: um dia no Panamá

Uma das muitas barracas que funcionam aqui.

Plaza de Francia | Em uma das extremidades do Paseo de Las Bóvedas, essa bela praça é uma homenagem aos franceses que ajudaram a construir o Canal do Panamá. O monumento lembra que 22 mil homens morreram nesta tarefa – a maioria de malária e febre amarela – e destaca o trabalho do médico cubano, Carlos Finlay, que identificou como o mosquito transmitia a febre amarela, ajudando a controlar a doença.

Os galpões construídos na muralha, que antes eram usados pelos espanhóis e pelos colombianos – quando Panamá e Colômbia eram um só território – como armazéns e dormitórios, hoje, abrigam órgãos do governo, como o Instituto Nacional de Cultura, e uma galeria de arte.

Casco Viejo: um dia no Panamá

A Plaza de Francia homenageia os franceses que constríram o Canal do Panamá.

Casco Viejo: um dia no Panamá

Bustos e monumentos aos 22 mil trabalhadores mortos.

Casco Viejo: um dia no Panamá

A praça fica em uma das extremidades do Paseo de las Bóvedas.

Um fato curioso, aqui, é que existe uma lenda que diz que quem tocar uma porta específica desses galpões, encontra o tão esperado amor para a vida toda. Não custa tentar, pois vai que depois de passar um dia no Panamá a vida da gente muda.

Casco Viejo: um dia no Panamá

As bóvedas que, hoje, são ocupadas por órgãos públicos.

Casco Viejo: um dia no Panamá

A porta que pode trazer o seu amor.

Arco Chato | Esse antigo convento foi construído no século 17, mas depois que pegou fogo, em 1756, nunca foi reconstruído. O arco chato – que, hoje, dá nome ao local – tem 10 metros de comprimento.

Esse monumento tem, além de sua importância arquitetônica, uma relevância política: ele serviu como argumento para o país trazer para cá o Canal do Panamá, já que o Arco Chato era uma prova clara de que o país não sofria constantes terremotos, diferentemente da Nicarágua, país que duelava com o Panamá pela construção do canal.

Mesmo assim, em 2003, o arco simplesmente desabou sem qualquer aparente motivo. Reconstruído, ele permanece como uma das atrações turísticas da cidade.

Casco Viejo: um dia no Panamá

Fachada do antigo convento.

Casco Viejo: um dia no Panamá

O famoso arco chato.

Casco Viejo: um dia no Panamá

A construção vista por outro ângulo.

Catedral do Panamá | A Basílica de Santa Maria la Antigua começou a ser construída em 1688 e demorou exatos 108 anos para ficar pronta. Suas duas colunas claras, contrastam com a fachada mais escura e se destacam na Plaza de La Independência. Atualmente, a Catedral do Panamá está em restauro.

Casco Viejo: um dia no Panamá

A catedral está em restauro.

Plaza Bolívar | Essa praça homenageia Simón Bolívar, militar e líder político venezuelano que lutou pela independência de vários países sul-americanos da Coroa Espanhola. A praça é simples, mas pode ser uma boa pedida para você se refrescar do calor que faz aqui durante o verão.

Nos arredores da praça, há duas igrejas que você deve conhecer. São elas: a Iglesia de San Francisco e a Iglesia de San Felipe de Neri.

Casco Viejo: um dia no Panamá

A Plaza Bolívar homenageia o herói da independência.

Casco Viejo: um dia no Panamá

Fachada da Iglesia de San Francisco

Casco Viejo: um dia no Panamá

Os arredores da praça.

Teatro Nacional | Embora não seja um prédio que chame muita atenção, o Teatro Nacional merece uma foto. Projetado pelo arquiteto italiano Genaro Ruggieri, no estilo de teatro de opereta, ele foi inaugurado em 1º de outubro de 1908. Aqui, cabem 853 pessoas. O teto do teatro tem um enorme afresco pintado pelo artista panamenho Roberto Lewis.

Casco Viejo: um dia no Panamá

Fachada do Teatro Nacional.

Museu do Canal do Panamá | Esse é um lugar interessante para você conhecer se estiver com tempo e dinheiro. O museu mostra toda a história da construção do canal, lembrando como era feita a navegação antes dele e sua importância para a economia do país. A entrada custa USD 10 e você pode ver outras informações no site do museu.

Casco Viejo: um dia no Panamá

O Museu do Canal do Panamá.

Certamente, que há muito mais para ver no Casco Viejo, mas como você tem apenas um dia no Panamá, aproveite tudo com calma. Há vários restaurantes, cafés e bares nesta área. A ideia é que você relaxe antes de seguir viagem para o próximo destino, seja ele sua casa ou um novo país a ser explorado.

Chapéu do Panamá

O produto mais famoso produzido aqui no país é, sem dúvida, o chapéu Panamá. E, o Casco Viejo é um bom lugar para garantir o seu, já que no aeroporto eles são bem mais caros. O importante é verificar se ele tem o selo de autenticidade e escolher o modelo que melhor se adapte ao seu estilo. Sim, há alguns modelos diferentes de chapéu Panamá.

Eu comparei os preços em várias lojinhas e, pelo que vi, eles variam entre USD20 e 35.

Casco Viejo: um dia no Panamá

O produto mais famoso do país.

Casco Viejo: um dia no Panamá

Veja se tem o selo de qualidade e de originalidade.

Um dia no Panamá

A Cidade do Panamá, muito diferentemente do que muitos imaginam, não surgiu no Casco Viejo. O povoado original ficava a alguns quilômetros daqui, mas foi saqueado e destruído por piratas, em 1671. Com isso, a Coroa Espanhola decidiu transferir seus moradores para uma área mais segura.

Hoje, conhecida como Casco Viejo, essa área foi escolhida por ter uma proteção natural. Ela está cercada por recifes que impedem a aproximação de embarcações maiores.

Casco Viejo: um dia no Panamá

Parte do sítio arqueológico de Panamá Viejo.

Se tiver mais que um dia no Panamá, você pode visitar as ruínas do Panamá Viejo. Elas ficam a cerca de 12 quilômetros do Casco Viejo, no caminho para o aeroporto. A entrada custa USD 15. Veja mais informações no site do complexo arqueológico.

Só para deixar claro, a moeda do Panamá é o balboa, que equivale ao dólar. Como você passará apenas algumas horas no país, não é necessário fazer o câmbio. Por aqui, todo o comércio aceita dólar com tranquilidade. Outras moedas, como euro e real, podem ser recusadas.

Além do passaporte, para entrar no país será preciso apresentar o comprovante de vacinação contra febre amarela. Para saber mais, leia: Como solicitar o certificado de vacinação.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

4 Comentários

  1. Avatar

    Excelente dicas, sou de terceira idade e quero conhecer o Panamá, quantos dias preciso? qual outro país da pra juntar comnwdse roteiro? mais já conheço a Colômbia, não quero repetir pelo menos agora.

    • Altier Moulin

      Oi, Iran.

      Para conhecer a Cidade do Panamá, uns quatro dias seriam essenciais. Se gosta de praia, vá ao lado caribenho do país, especialmente em San Blas.
      Um país que você pode incluir é a Costa Rica, que fica do lado e é lindíssimo.

      Espero ter ajudado. Um abraço!

Escreva um comentário