Cânion do Xingó: como visitar essa maravilha do sertão sergipano

10

Atualizado em 10 de agosto de 2020

Cânion do Xingó: como visitar essa maravilha do sertão sergipano

Cheio de paredões alaranjados cortados por um lago de tom verde claro intenso, o Cânion do Xingó, na divisa entre Sergipe e Alagoas, é o maior cânion navegável do mundo.

Olhando assim, de tão bonito que é, a gente até acha que ele é uma obra da natureza. Mas, até poucos anos, a paisagem era bem diferente.

→ Onde ficar em Aracaju: as melhores áreas da cidade

É que, com a construção da Hidrelétrica de Xingó, as corredeiras do rio São Francisco que passavam velozmente por entre as rochas, deram lugar a um gigantesco lago com 65 quilômetros de extensão.

Isso transformou a vida de quem morava nas cidades que foram alagadas  e atraiu gente do mundo inteiro para ver de perto esse incrível conjunto de canais.

Cânion do Xingó: como visitar essa maravilha do sertão sergipano

A construção da represa

O Cânion do Xingó fica na cidade de Canindé de São Francisco, no sertão sergipano, a 215 quilômetros de Aracaju.

Para que os cânions pudessem ser alagado, criando a maravilha que hoje contemplamos, foi necessário demolir a antiga cidade de Canindé de São Francisco e transferir todo os seus moradores ara uma área nova, mais longe da margem do rio.

Cânion do Xingó: como visitar essa maravilha do sertão sergipano

A barragem da Usina Hidrelétrica de Xingó foi concluída 1988 e, a partir disso, a paisagem nos cânions começou a mudar drasticamente.

De pouco a pouco, a represa foi enchendo e inundando os cânions, criando uma impressionante paisagem dominada pelo verde da água e pelo alaranjado dos paredões.

Ao cobrir todo território, a barragem criou um lago com 65 quilômetros de extensão no sertão nordestino.

Com a água mais calma, passou a ser possível navegar entre os cânions: de catamarã, de lancha ou de escuna a gente vai entrando num labirinto de belíssimas formações rochosas que, segundo se estima, têm mais de 60 milhões de anos.

Cânion do Xingó: como visitar essa maravilha do sertão sergipano

Área de proteção ambiental

Em 2009, o governo brasileiro criou o Monumento Natural do Rio São Francisco para proteger uma área de, aproximadamente, 26.700 hectares entre os estados de Sergipe, Bahia e Alagoas.

Esta área de proteção ambiental abrange quatro cidades: Canindé de São Francisco, em Sergipe, Delmiro Gouveia, Olho d’Água do Casado e Piranhas, em Alagoas, e Paulo Afonso, na Bahia.

Nessa região, a Caatinga rasteira é abundante e a fauna é rica e variada, incluindo inúmeras espécies de répteis, insetos e aves.

O cânion formado pelo lago da usina de Xingó tem 65 quilômetros de extensão e uma profundidade média de 50 metros. Em alguns pontos, a distância de um paredão a outro pode chegar a 300 metros.

Passeio de catamarã pelo Cânion do Xingó

As embarcações que fazem o passeio de catamarã pelo Cânion de Xingó saem do pier do restaurante Karrancas.

Ladeados por paredões de rocha, a embarcação navega por cerca de 50 minutos pelo imenso lago Rio São Francisco.

Dele, sai a energia que ilumina casas, movimenta motores e alimenta a economia de quase todo o Nordeste brasileiro.

Cânion do Xingó: como visitar essa maravilha do sertão sergipano

Paraíso do Talhado

A entrada no ponto mais famoso dos cânions é anunciada nos alto-falantes do catamarã: chegamos ao Paraíso do Talhado – que tem esse nome porque os paredões de rocha parecem talhados à mão -, na região que eles chamam de Sítio Arqueológico de Justino.

Nossa parada é no Porto de Brogodó, uma estação construída na entrada da principal gruta de Xingó.

Estamos no outono e aqui, no semiárido sergipano, a temperatura bate os 38 graus.

Diante dessa imensidão de água, é impossível não experimentar um mergulho, mas não é permitido nadar fora da área demarcada.

É que há rumores de que a pirambeba, parente das temidas piranhas, foram encontrada na região e, para evitar incidentes, essa medida foi adotada.

Além dela, outras 60 espécies de peixes nadam livremente nas águas da barragem.

Cânion do Xingó: como visitar essa maravilha do sertão sergipano

Depois do mergulho para refrescar as ideias, entro em uma canoa para fazer o curto trajeto entre o porto e o ponto mais estreito da gruta.

O passeio não demora mais do que dez minutos, mas é a única oportunidade de estar bem próximo dos rochedos que formam os cânions. Em alguns casos você poderá tocá-los.

Cânion do Xingó: como visitar essa maravilha do sertão sergipano

Uma hora mais tarde, já estamos prontos para voltar à margem sergipana do Rio.

O tempo é curto e a sensação é de que ele passa ainda mais rápido.

Em uma das paisagens mais lindas do Brasil, parece mesmo que todo o tempo do mundo não seria suficiente para apreciar tanta beleza.

Cânion do Xingó: como visitar essa maravilha do sertão sergipano

Como chegar ao Cânion do Xingó

O aeroporto de Aracaju (AJU) recebe voos regulares de várias cidades brasileiras. Ele esta á cinco quilômetros da Praia de Atalaia, uma ótima região para ficar hospedado com muitas opões de hotéis.

Outra opção é voar até o aeroporto de Paulo Afonso (PAV) com a Azul, única companhia que atende a cidade.

De ônibus

Para quem vai viajar de ônibus, é importante saber que há dois terminais rodoviários em Aracaju.

O Terminal Rodoviário Luiz Garcia, conhecido como Rodoviária Velha, concentra as partidas estaduais; e o Terminal Rodoviário Governador José Rollemberg Leite, conhecido, como Rodoviária Nova, que concentra as viagens interestaduais.

A empresa que faz o trajeto entre Aracaju e Canindé de São Francisco é a Rota. A passagem custa cerca de R$ 40 e a viagem dura quatro horas.

De carro

De Aracaju até Canindé de São Francisco, onde está o Cânion do Xingó, são cerca de 202 quilômetros e a viagem é feita pela SE-230.

A Rota do Sertão, como é chamada essa rodovia estadual, liga o agreste ao sertão sergipano e está em bom estado de conservação.

Porém, os 76 quebra-molas que encontramos pelo caminho podem atrasar um pouco a viagem.

Se estiver de carro, dá para fazer um bate-volta saindo de Aracaju, mas, se tiver tempo, prefira e pernoitar na região.

Cânion do Xingó: como visitar essa maravilha do sertão sergipano

Com agência

A Nozes Tur tem saídas diários para o Cânion. A agência tem uma boa negociação com restaurante Karranca’s, então a gente chega na hora certa de almoçar e partir para o passeio. Perfeito para quem não quer se preocupar com nada.

Esse passeio custa R$ 159,99 e inclui o traslado de Aracaju- Canindé-Aracaju e Catamarã e o guia de turismo.

Inclua no seu roteiro

Agora, veja essas dicas para complementar a experiência que você terá ao navegar pelo Cânion do Xingó.

Museu de Arqueologia do Xingó

Se você tiver oportunidade, visite o MAX, o Museu de Arqueologia do Xingó.

Ele reúne objetos, esqueletos e reproduções de pinturas rupestres que revelam os aspectos culturais da civilização que habitava a região.

De quarta a domingo, das 9h às 17h.

Show de Sanfoneiro

Canindé de São Francisco é a cidade dos sanfoneiro, mas essa tradição estava ameaçada.

Até que, recentemente foi criada uma Escolinha de Sanfoneiros que despertou o interesse de novo aprendizes de música.

José Alves Machado, 49, é um dos mestres da sanfona. Conhecido como Esquerda do Acordeão, ele trabalha como motorista se apresenta em programas de rádio e shows na região, e ensina a nova geração de sanfoneiros.

Artesanato

Em Canindé de São Francisco, o artesanato local é feito principalmente em madeira.

São esculturas, peças decorativas e utensílios domésticos – e o símbolo maior é a carranca.

Não deixe de visitar a Casa de Cultura e Arte Dona Givalda Fernandes.

Piranhas

Piranhas é uma cidade alagoana, pertinho de Canindé de São Francisco, e vale muito a pena dar uma esticada no roteiro para passar pelo menos algumas horas lá.

Foi deste pequeno povoado que partiu, em 1938, o grupo de policiais que matou Lampião, Maria Bonita e outros nove integrantes do temido bando de cangaceiros.

Veja mais em: A cidade de Piranhas, em Alagoas, e a terrível história do cangaço.

Onde ficar

O Xingó Parque Hotel & Resort tem a melhor infraestrutura da região. Ele fica pertinho da Hidrelétrica do Xingó, em uma área sossegada, agradável e com uma vista panorâmica da usina.

Os quartos são espaçosos e têm uma vista linda para a barragem. A piscina ao ar livre é ideal para nos refrescar no calor do sertão nordestino e as crianças podem brincar no toboágua. O café é servido restaurante Maria Bonita, e você ainda pode usar o bar ou  o serviço de quartos.

→ Veja todas as opções de hospedagem em Canindé de São Francisco

Onde Comer

Experimentar a comida do sertão nordestino é outra coisa que deve fazer parte do seu roteiro.

Uma boa opção é o restaurante Karrancas, de onde partem os catamarâs.

O cardápio é bem completo, com destaque para os peixes que chegam fresquinhos.

Veja mais sobre Sergipe

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo e aproveite para ver outras dicas.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

10 Comentários

  1. Avatar

    Excelente dica, já favoritei aqui e tão logo eu faça, venho postar.

    Encontrei seu blog e já quero fazer muitas coisas mediante suas recomendações.

    Pretendo fazer sozinho e também com o crush rs.

  2. Avatar

    Verdade, Altier. E muita gente nunca ouviu falar, e nem ao menos conhece.
    Seu blog é show.
    Irei para o Egito em fevereiro de 2018, ai justamente caí de paraquedas no seu blog.
    Li todas as suas dicas sobre o Egito.

    Forte abraço!

  3. Avatar

    Altier,
    Eu fiz esse passeio nos Cânios do Xingó e realmente, tudo que você abordou em seu texto, eu presenciei. Lá é realmente muito lindo mesmo e espetacular.

    Forte abraço!

Escreva um comentário