Quando ir a Ilhabela

2

Atualizado em 13 de setembro de 2018

Quem ainda não conhece o litoral de São Paulo precisa corrigir isso. É que eu acho que ir a Ilhabela, por exemplo, é uma ótima maneira de sair do caos que a capital paulista representa para relaxar em praias paradisíacas e em cachoeiras revigorantes.

Com quase todo seu território protegido por um Parque Estadual, a ilha tem trilhas um ar puro, bem diferente do que respiramos na selva de pedras que fica logo ali: de São Paulo até Ilha bela são apenas 200 quilômetros.

Mas, se você só pode viajar no verão ou nos feriados prolongados, é bom se preparar para encontrar a ilha mais movimentada. Isso fica mais evidente na hora de utilizar os transportes: a fila para a balsa já é famosa, como eu explico em: Como chegar a Ilhabela.

Mesmo com um fluxo de turistas maior na alta estação, ir a Ilhabela é sempre uma experiência renovadora, já que quase todas as atividades envolvem o sossego da natureza e, para quem curte, esportes. Só tem uma coisa: os mosquitos nunca dão uma trégua. Então, leve repelente.

Quando ir a Ilhabela

Quer encontrar a cidade mais tranquila? Fuja do período de férias.

Quando ir a Ilhabela

Dá para curtir Ilhabela em qualquer época do ano. Claro que, no verão, tudo fica mais rico, mas a verdade é que você encontra passeios e atividades para se divertir sempre. Para lhe dar um gostinho do que esta ilha tem, eu sugiro que você leia: O que fazer em Ilhabela.

Primavera e verão | Os meses de primavera e verão – de setembro a março – são os melhores para ir a Ilhabela, especialmente se você quer aproveitar ao máximo os passeios ao ar livre: como as trilhas para as cachoeiras e as belas praias.

Em outubro e novembro, a ilha esta mais vazia e ainda tem dias de muito sol e calor, com noites mais frescas. Em dezembro, com as férias escolares, o aumento de turistas é visível e tudo fica bem mais lotado – e caro.

Em janeiro e fevereiro o calor pode assustar: a temperatura chega aos 40 graus, mas opções para se refrescar não faltam. É nesta época, também, que chuvas fortes e rápidas aparecem.

Quando ir a Ilhabela

O sol sempre dá as caras, mas é no verão que tudo ganha mais vida.

Outono e inverno | Durante os meses de outono e inverno – de abril a agosto – você, talvez, não pegue o esplendor das praias, mas é justamente nesta época que você encontra mais sossego.

A temperatura, nesse período, é mais agradável, com uma brisa fresca no fim da tarde. Em julho e agosto, a chance de pegar dias nublados é maior.

Festas e vida cultural

Um grande barato dessa ilha é que as festividades podem deixar sua viagem ainda mais marcante. No mês de maio, por exemplo, acontece a festa da cultura Caiçara, homenageando São Benedito. São diversas danças folclóricas e apresentações pelas ruas de Ilhabela, incluindo procissões e missas.

Em julho, acontece a Semana Internacional da Vela de Ilhabela, a maior da América Latina, reunindo mais de 1.500 velejadores. Além das regatas, você pode passar o dia curtindo a programação, com exposições de fotografia, filmes, documentários e shows.

Quando ir a Ilhabela

Além de praias e cachoeiras, Ilhabela tem vida cultural e festas o ano inteiro.

Depois que a Semana de Vela termina a ilha se prepara para sediar o tradicional Festival de Jazz, garantindo agito pelas ruas com diversos shows gratuitos.

No mês de agosto acontece o Festival do Camarão, ótima desculpa para ir a Ilhabela e se jogar na alta gastronomia da região. São cursos, concursos, degustações e cardápios especiais de chefes renomados. Para completar, a ilha também recebe apresentações musicais e teatrais nesse período.

Agora que você já sabe quando programar a viagem, que tal aproveitar para reservar seu hotel ou hostel em Ilhabela? Se precisar de mais informações, eu explico tudo em: Onde se hospedar em Ilhabela.

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

2 Comentários

  1. Albino L M WERLANG on

    Esqueceu de comentar sobre o incômodo mais importante, os borrachudos que atacam sem dó e os repelentes comuns não fornecem uma barreira confiável

Escreva um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.