Pirenópolis: um retrato da história

2

Atualizado em 29 de março de 2016

Pirenópolis está a 130 quilômetros de Goiânia. Tombada como Patrimônio Histórico Nacional e consagrada como pólo turístico regional, a cidade guarda em seus casarões seculares um retrato vivo da história goiana. Cercada por natureza exuberante, oferece a quem a visita muitas surpresas – cachoeiras, reservas ecológicas, parques, mirantes e são o mínimo que você vai encontrar por lá. Além de uma farta culinária e festividades folclóricas tradicionais. Sem dúvida, vale a pena conhecê-la, mesmo que seja em um bate-volta, partindo da capital de Goiás.

Palco da famosa cavalhada, festividade que gira em torno de uma representação dramática de uma luta entre Mouros e Cristãos pela soberania da Península Ibérica durante a Idade Média, na Europa, reúne centenas de mascarados, montados a cavalo ou não. O mascarado típico de Pirenópolis usa a máscara de boi. Esta festa é considerada como uma das mais belas e expressivas do Brasil. Quando estive em ‘Piri’, como é carinhosamente chamada, acontecia a cavalhada mirim. Nela, são as crianças se fantasiam e saem às ruas para brincar.

Pirenópolis, Goiás

Matriz: a Igreja de Nossa Senhora do Rosário.

Pirenópolis, Goiás

No pavimento superior desse prédio funcionava a Câmara Municipal, e no térreo, a Cadeia Pública.

Pirenópolis, Goiás

Cavalhada Mirim: as crianças se divertem vestidas com máscaras de boi.

Já a Festa do Divino Espírito Santo é um festejo religioso que dura cerca de 20 dias. De origem portuguesa, é reconhecida como Patrimônio Cultural Brasileiro e tem como símbolos o Imperador do Divino, a Coroa, o Cetro e as Bandeiras. Ambas as festas acontecem durante as festividades de Pentecostes, 50 dias após a Páscoa, e reúnem diversas outras manifestações, como congadas, reinados, juizados, folias, queima de fogos, pastorinhas, missas e a Novena do Divino, com seus cânticos em Latim.

Em Pirenópolis também está a Fazenda Vagafogo, a primeira Reserva Particular do Patrimônio Natural do Estado de Goiás e uma das seis primeiras criadas no Brasil. A fazenda tem 46 hectares e é formada por cerrado, cerradão, mata ciliar, cortada pelo Rio Vagafogo que dá o nome à reserva. Transformada em uma estância de educação ambiental e agroturismo, a fazenda produz mais de 70 deliciosos produtos provenientes das frutas, verduras e animais lá cultivados.

Pirenópolis, Goiás

O brunch da Fazenda Vagafogo.

Pirenópolis, Goiás

Natureza: a fazenda é umas das seis primeiras reservas particulares do país.

Como chegar a Pirenópolis

Saindo de Goiânia, todo o trajeto é asfaltado e está em ótimo estado de conservação. Pela BR 153, são 50 quilômetros até o trevo de Anápolis. No trevo, pegue a BR 414 até Planalmira, então entre à esquerda na GO 338 e siga aproximadamente 25 quilômetros  até Pirenópolis.

De Brasília, são aproximadamente 140 quilômetros de estrada asfaltada. A duração da viagem é, em média, duas horas. Saindo  do Plano Piloto para Taquatinga, pela Via Estrutural, siga sempre em frente pela BR 070, que passa pela Barragem do Descoberto, na divisa do Distrito Federal com Goiás, e logo em seguida pela cidade chamada Águas Lindas. Depois de aproximadamente 100 quilômetros, vire à esquerda no trevo e pegue a BR 414 até Cocalzinho de Goiás. Percorra mais 21 quilômetros e chegue em Corumbá de Goiás.

Mesmo da estrada é possível ver a belíssima cachoeira do Salto Corumbá. Aqui vale uma parada. No trevo antes de Pirenópolis, entre à direita, e depois de 1,5 quilômetro você encontrará outro trevo. Entre novamente à direita na GO 225 e dirija mais 20 quilômetros até Pirenópolis.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

2 Comentários

  1. Avatar

    Excelente matéria, Altier. Estou morando faz 2 anos em Caldas Novas e ainda não tive oportunidade de ir até Pirenópolis. Já ouvi falar muito bem, mas depois de ler esse conteúdo me aguçou ainda mais.
    Abraço.

Escreva um comentário