Onde comer em Fernando de Noronha sem gastar muito

4

Atualizado em 10 de junho de 2020

Umas das preocupações de quem está planejando conhecer essa fantástica ilha é onde comer em Fernando de Noronha sem gastar muito. E a boa notícia é que isso é possível.

Mas, antes de contar as minhas dicas, eu preciso explicar uma coisa.

Minha impressão sobre Noronha é que o mundo desenhado pelas celebridades não existe: tudo é muito mais simples do que aquelas fotos ostentação mostram. A ilha é muito pé na areia – e na lama, porque várias ruas não têm calçamento – e comer em Fernando de Noronha pode ser mais barato do que você imagina.

É que o mais incrível daqui é a beleza natural e, claro, o povo desse lugar. Então, o que eu quero dizer: sim, dá para conhecer Fernando de Noronha de uma forma mais econômica, sem regalias e sem apertos.

Vale lembrar que a questão não é apenas ter ou não ter dinheiro. O ponto que eu mais levo em consideração é: eu realmente preciso gastar tanto com isso?

Onde comer em Fernando de Noronha sem gastar muito

Gastos inevitáveis

Claro que alguns gastos são inevitáveis, como a Taxa de Preservação Ambiental (TPA), popularmente chamada de taxa de permanência, que custa cerca de R$ 70 por dia, e o ingresso no Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, que custa R$ 106 e vale por dez dias.

Um dos itens que dá para economizar é a alimentação: há muitas opções para comer em Fernando de Noronha sem gastar muito.

Onde comer em Fernando de Noronha

Tapioca da Babalu tem bons lanches a partir de R$ 18 e a tapioca custa R$ 13. O restaurante da Mãezinha tem comida no quilo – meu prato deu R$ 27 – e ele serve almoço e jantar.

Restaurante do Valdênio é um dos meus favoritos e tem refeição por R$ 35: você pode escolher uma carne e quatro complementos. No Porto, a barraca da Tia Regina tem um prato feito delicioso por R$ 25. Essa opção é perfeita para quem chega morto de forme dos passeios de barco.

Onde comer em Fernando de Noronha sem gastar muito

Outra ótima opção é comprar comida nos mercados e preparar no hostel ou na pousada, se tiver cozinha disponível, claro. Também dá para comprar pão, leite, presunto e preparar o seu próprio café da manhã. A garrafa grande de água custa R$ 6 e uma dúzia de ovos, por exemplo, vale R$ 10.

E tem mais: há vários restaurantes que entregam marmita – ou quentinha, como chamam alguns – por preços bem camaradas em qualquer lugar da ilha: até nas praias.

Onde comer em Fernando de Noronha sem gastar muito

Os mais caros e tradicionais

Há, claro, os restaurantes tradicionais da ilha: o famoso Bar do Cachorro, que cobra R$ 18 em uma long neck, e o Zé Maria, que faz o festival gastronômico que custa, mais ou menos, R$ 275 e não inclui bebidas. Eu, até comi um lanche muito bom no Cachorro, mas me recusei a entrar nele à noite pagando R$ 50 no ingresso.

Onde comer em Fernando de Noronha sem gastar muito

O Mergulhão é famoso pela vista – que eu nem achei lá essas coisas. Ele fica de frente para o Porto e tem pratos variados e bem caros. O máximo que fiz aqui foi comprar uma garrafinha de água, que custou R$ 9: um absurdo em qualquer lugar do mundo.

Outro clássico é o Bar do Meio, que fica entre a Praia da Conceição e a do Cachorro. Eu passei lá, tirei fotos do pôr do sol e sai sem gastar um centavo. Quem disse que eu não tenho uma foto em um dos lugares mais procurados da ilha? Bobo é quem gasta um absurdo para fazer isso.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

4 Comentários

    • Altier Moulin

      Sim, Taiz.

      A bicicleta custa R$ 50 a diária.
      Infelizmente, não tenho valores para bugre e moto.

      Mas, olha, dá pra fazer muita coisa a pé, de carona e de ônibus.
      Aproveite.

      Altier Moulin

Escreva um comentário