O restaurante da Posada CampoTinto

0

Atualizado em 23 de dezembro de 2016

O táxi para em frente à recepção da Posada CampoTinto e, enquanto me dirijo até o restaurante, ouço tocar Chico Boarque nos alto-falantes. Ao ouvir a canção do mestre brasileiro já podia imaginar que aquele era mais um sinal de que o bom gosto seria meu companheiro durante toda a tarde.

Sentado em uma mesa voltada para o campo que termina onde começam as videiras, sinto levemente o cheiro do jardim de lavanda que chega até a mim soprado pelo vendo frio do outono uruguaio.

Depois de uma viagem de Colonia del Sacramanto, chego a Carmelo para passar dois dias, e aqui a minha experiência começa saboreando o sofisticado cardápio de um dos hotéis mais requintados da região. Membro do The Best Boutique Hotels, a Posada CampoTinto inaugurou recentemente um novo conceito de hospedagem que proporciona conforto e um contato próximo à natureza. E tem mais, segundo a publicação Drink Business – uma das mais respeitadas da Europa – a CampoTinto é um dos dez melhores hotéis do mundo para os amantes de vinhos.

Aqui, no restaurante da Posada CompoTinto, minha escolha é o Polpette de Risoto, de entrada, e o Chops de Cordero, como prato principal. Para acompanhar, uma laranjada fresquinha. Tudo por pouco mais de URY 900.

O restaurante da Posada CampoTinto

O Polpette de Risoto.

O restaurante da Posada CampoTinto

A suculência desse bolinho de risoto.

Não demora quase nada e logo a minha entrada chega. Esse bolinho de risoto servido com um suave molho de cogumelos é de lascar, viu?! Ele tem uma suculência sem limites que me faz salivar. São servidos quatro bolinhos, mas eu acho que comeria bem mais.

Bom, é melhor focar no prato principal, que parece bem saboroso. Desde que cheguei ao Uruguai eu desejava comer um cordeiro e agora era a minha hora. Eu e ele estávamos, finalmente, frente a frente. O cheiro que sobe do meu prato é completamente apetitoso. As costeletas servidas com um suave molho de hortelã e batatas estão divinas e parecem se desfazer dentro da boca de tão macias.

O restaurante da Posada CampoTinto

O Chops de Cordero.

O restaurante da Posada CampoTinto

Costeletas de cordeiro servidas com batatas e molho de hortelã.

O restaurante da Posada CampoTinto

O delicioso molho de hortelã que faz todo o sentido nesse prato.

Satisfeito, me embebedo com a paisagem ao redor enquanto aguardo a minha sobremesa: pêra cozida no vinho servida com sorvete de creme.

O restaurante da Posada CampoTinto

Sim, ainda tive essa sobremesa.

O restaurante da Posada CampoTinto

O ambiente interno do restaurante da Posada CampoTinto.

O restaurante da Posada CampoTinto

A paisagem externa da CampoTinto.

Planeje sua visita ao restaurante da Posada CampoTinto

Quando ir | A cidadezinha de Carmelo fica mais bonita em dias ensolarados, mas é no outono que seus parques e suas ruas se enchem com o colorido das árvores. Nessa época faz frio, mas não como no inverno. Na estação mais gelada do ano os termômetros podem chegar a 3 graus. No verão, as praias que se formam às margens do Rio da Prata ficam lotadas e o calor alcança os 30 graus. A média de chuvas na cidade é de seis dias por mês, sendo que agosto e dezembro são os meses mais chuvosos.

Como chegar | De Colonia del Sacramento partem ônibus das empresas COT e Berrutti em vários horários. A passagem na Berrutti custa UYU 131 e a viagem dura cerca de 1h30. Eu viajei com a Berrutti e o ônibus era novo, confortável, bem espaçoso e tinha sinal wi-fi. De Montevidéu saem os ônibus da Central Agencia e da Intertur. Eu viajei com a Central Agencia e a viagem foi muito tranquila, em ônibus confortável, espaçoso em com wi-fi. A passagem custa UYU 394 e a viagem dura cerca de 3h30. Um táxi do Centro até a CampoTinto custa URY 250.

Viajar de carro para Carmelo é uma ótima opção. As duas principais rodovias que cortam a cidade são a Ruta 21 e a Ruta 97. A primeira, liga Carmelo a Nueva Palmira, Dolores e Mercedes, no sentido norte; e a Colonia del Sacramento e Montevidéu no sentido sul. Essa estrada tem pouquíssimas curvas e todo o trecho é duplicado, mas há cobrança de pedágio em dois pontos. A tarifa é de R$ 55, cada. A Ruta 97 liga a cidade a Cardona, pela Ruta 12.

Você também pode chegar a Carmelo de avião. O Aeroporto Internacional de Zagarzazú atende à cidade e fica a cinco quilômetros do Centro. As companhias aéreas que operam neste aeroporto fazem exclusivamente em voos privados.

De barco, você pode cruzar o Rio da Prata, partindo da cidade de Tigre ou de Buenos Aires, na Argentina. A empresa que faz esse trajeto é a Cacciola e a tarifa até Buenos Aires custa UYU 1.500, ida e volta.

Minha viagem a Carmelo, no Uruguai, teve o apoio da Bop Comunicação e da Posada CampoTinto.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

Escreva um comentário

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Altier Moulin (@penaestrada) em