O que fazer em Cuiabá e arredores: as melhores dicas do Mato Grosso

25

Atualizado em 12 de outubro de 2020

Antes de lhe contar o que fazer em Cuiabá, você precisa saber algumas coisas sobre a capital do Mato Grosso.

Ela fica  exatamente no centro da América do Sul  – as distâncias das extremidades norte, sul, leste e oeste se encontram sobre essa cidade – e, só por isso, já é motivo para ser visitada, principalmente se você for uma daquelas pessoas que persegue marcos, pontos míticos e coisas assim.

A cidade é a porta de entrada para diversas atrações turísticas, como o Pantanal e a Chapada dos Guimarães, mas, olhando com jeitinho, Cuiabá tem seus encantos.

Ela é resultado de uma mistura curiosa de povos tradicionais e imigrantes que chegaram ao longo dos anos.

A cidade tem igrejas seculares, museus, galerias de arte, praças, monumentos, uma vida noturna agitada, boa comida e uma natureza exuberante em seus arredores.

Influenciada por essas diferentes culturas, a culinária local está entre as mais saborosas do Brasil.

Uma característica que a faz ser tão especial é a utilização de produtos locais, como o pequi, a mandioca e os peixes de seus fartos rios.

Bom, então, vamos descobrir o que fazer em Cuiabá.

O que fazer em Cuiabá

Esta é a lista dos itens essenciais que você deve conhecer em Cuiabá para ter uma visão geral da cidade.

→ Onde ficar em Cuiabá: as melhores áreas

Em um ou dois dias inteiros, você consegue ver o básico, mas, para aproveitar o seu tempo, tem que seguir as dicas de hospedagem do jeitinho que expliquei.

Centro Geodésico da América Latina

Este marco funciona oficialmente como a identidade de Cuiabá – assim como o Cristo Redentor, no Rio. Porém, acho bom você diminuir as expectativas ao visita-lo, pois ele nada mais é do que um monumento sem expressão no meio de uma área urbana.

A promessa é que essa área ganhe mais atrativos com a criação de uma praça nos próximos anos. Rua Barão de Melgaco, Praça Moreira Cabral, Centro Norte.

Museu do Morro da Caixa D’água

Esse espaço de arte funciona numa antiga caixa d’água inaugurada no ano de 1882, e é um lugar gostoso e bem interessante de se visitar.

O museu é muito bem organizado e oferece uma apresentação da história de Cuiabá em fotos.

As obras expostas aqui sempre são interessantes. Rua Comandante Cosa, s/n, Centro Sul. Diariamente, das 8h às 17h. A entrada é gratuita.

Museu do Rio e Aquário Municipal

Eu achei ambos muito mal cuidados. O museu é pequeno, simples e várias salas estavam fechadas para manutenção. No Aquário há alguns peixes da região, mas não é nada exuberante.

Se estiver por perto, aproveite para ver como estão as coisas agora. Avenida Beira-Rio, s/n, Porto. De segunda a sexta, de 8 às 17h. A entrada é gratuita.

Centro Histórico

Toda área do Centro Histórico é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, e uma caminhada por ele vai lhe apresentar um pouco da história da cidade.

A dica é observar a arquitetura dos prédios mais antigos e visitar os museus.

Santuário de Nossa Senhora do Bom Despacho

Ela é considerada, por muitos, a igreja mais bonita da cidade e dizem ter sido inspirada na Catedral de Notre Dame, em Paris.

Se do lado de fora ela tem uma arquitetura mais exuberante, seu interior é mais modesto. Praça do Seminário, s/n., Dom Aquino.

Museu de Arte Sacra

O acervo deste museu também é muito simples. Ele conta um pouco da história da cidade a partir de sua movimentação religiosa e tem algumas peças do tempo da escravidão no Brasil.

Aproveite para visita-lo quando for conhecer o Santuário de Nossa Senhora do Bom Despacho, pois o museu fica no mesmo prédio. Rua Clovis Hugney, Praça do Seminário, 239. De segunda a sexta, de 13h às 18h. A entrada custa R$ 4.

Igreja do Rosário e São Benedito

A cidade de Cuiabá nasceu exatamente onde está a igreja. Construída sobre a mais produtiva mina de ouro da região, em 1730, essa igreja é um belíssimo exemplar da arquitetura barroca e um dos cartões postais da cidade.

Um fato curioso é que, raramente encontramos uma igreja que homenageia dois santos, como essa, que está ligada à Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e de São Benedito dos Homens Pretos.

Nela acontece a festa de São Benedito que dura um mês e é a mais longa do Mato Grosso. Praça do Rosário, Centro. De terça a sexta, de 15h às 17h.

Parque Mãe Bonifácia

Cheio de espécies vegetais típicas do Cerrado, esse parque é perfeito para fugir do calorão que faz em Cuiabá. De fácil cesso, ele tem banheiros, bebedouros e pistas para caminhada.

O Mãe Bonifácia é ideal para quem viaja com crianças, mas não apenas. Avenida Miguel Sutil, Duque de Caxias.

Casa do Artesão

Só uma visita a este casarão já vale a pena. Ele é extremamente bem cuidado e tem uma arquitetura – interna e externa – que impressiona. No subsolo, há um acervo bem preservado e organizado de trabalhos manuais indígenas e peças antigas.

Na Casa do Artesão você encontra vários tipos de artesanato de muito bom gosto. Rua 13 de junho, 315, Porto. De segunda a sexta, das 8h30 às 17h15. Sábados, das 8h30 às 13h15.

Arena Pantanal

Ele foi um dos estádios da Copa do Mundo e possui uma moderna estrutura. Diferente dos demais que são arredondados, ele tem um formato mais retangular. Eu assisti um jogo do Vasco contra o Luverdense e, para variar, o Vasco perdeu. Avenida Agrícola Paes de Barros, Verdão.

Ponte Estaiada

A Ponte Sergio Motta é a terceira mais importante ponte suspensa por cabos do país. Ela cruza o rio Cuiabá e liga a capital à cidade de Várzea Grande, na Região Metropolitana.

Foto: Daniel Meneguini

Um programa bem interessante para fazer é atravessar a ponte, por baixo, de caiaque.

Arredores de Cuiabá

Chapada dos Guimarães

O Parque Nacional de Chapada dos Guimarães é considerado um dos Patrimônios Mundiais da Humanidade, pela Unesco, no Brasil. Ele fica a 80 quilômetros de Cuiabá e tem mais de 32 mil hectares de terra protegida com um relevo peculiar.

Foto: Rafael Soares

Essa área cheia de paisagens fascinantes, trilhas perfeitas para quem gosta de aventura e cachoeiras de água gelada podem estar no seu roteiro se decidir das uma esticadinha quando visitar Cuiabá.

→ Veja dicas da Chapada dos Guimarães

Pantanal do Mato Grosso

A Transpantaneira é uma estrada de chão que corta o Pantanal do Mato Grosso ligando a pequena cidade de Poconé ao distrito de Porto Jofre, já na divisa com Mato Grosso do Sul.

Ela tem quase 150 quilômetros de extensão e é um dos grandes atrativos turísticos desta região.

→ Como cruzar a Transpantaneira

Nobres e Bom Jardim

Se Bonito, no Mato Grosso do Sul, já tem fama internacional por suas águas cristalinas, Bom Jardim, um distrito de Nobres dá seus primeiros passos rumo ao estrelato do ecoturismo brasileiro.

A principal atração da região é o Aquário Encantado. Ele chega a ter seis metros de profundidade e, por causa do calcário presente nas rochas de onde brota a água, ela fica sempre clara e com os raios solares ainda mais cristalina.

→ Como visitar Nobres e Bom Jardim

Planeje sua viagem a Cuiabá

Quando ir

Normalmente, faz muito calor em Cuiabá e no verão a temperatura chega fácil aos 40 graus. Na região de Chapada dos Guimarães, o verão é a melhor época, sendo que a temporada de chuvas vai de novembro a maio. No Pantanal o período de seca vai de maio a setembro e em novembro tudo já está alagado.

Como chegar

O Aeroporto Internacional Marechal Rondon (CGB) fica na cidade de Várzea Grande, a oito quilômetros do centro de Cuiabá.

De carro, partindo do sul ou do sudeste, chega-se a Cuiabá pela BR-163, a partir de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. De Goiás e Brasília, siga pela BR-060 até Jataí e, a partir daí, pela BR-364 até Cuiabá.

De ônibus, algumas opções são as empresas Útil, Eucatur e São Luiz.

Onde comer

Um dos restaurantes mais tradicionais da cidade é o Choppão. Nele, eu experimentei um delicioso escaldado, um prato muito consumido na madrugada, justamente para evitar a ressaca dos beberrões. Mas como ele é forte – e delicioso – não hesite em experimentá-lo independente do horário.

E, outra coisa, não ouse sair de Cuiabá sem comer o arroz com carne seca e uma farta porção de farofa de banana. Quando fizer isso, lembre-se de mim.

Onde ficar em Cuiabá

Cuiabá não está entre os principais destinos turísticos do Brasil, mas o movimento nos hotéis da cidade é grande.

Outra coisa que você deve observar é a localização. Isso, claro, depende muito do que você está programando para a viagem, mas, de forma geral, o melhor lugar é aquele que se conecta facilmente a outras áreas da cidade.

Nesse aspecto, o Centro tem algumas vantagens – especialmente o Centro Norte.

Além de ser a área mais histórica da cidade, onde estão os principais atrativos que você pode visitar em um ou dois dias – dependendo do seu ritmo -, há bastante opções de hospedagem nessa região. Isso gera uma concorrência saudável.

Onde ficar em Cuiabá

Sem falar que há muitas opções de bares, restaurantes, mercados e outros serviços que você pode precisar durante sua viagem.

Os hotéis mais indicados são o Amazon Plaza Hotel, o Hotel D’Luca, o Hotel Deville Prime Cuiabá, o Nacional Inn Cuiabá, o Hotel Taiamã e muito outros

Onde ficar em Cuiabá

→ Onde se hospedar em Cuiabá

Veja mais sobre o Mato Grosso

Ficou mais fácil planejar seus dias em Cuiabá? Se precisar de ajuda, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo. Agora, aproveite para ver outras dicas do Mato Grosso.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde criança, sonhei em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

25 Comentários

  1. Avatar

    PARABÉNS pelas dicas, ADOREI!!! Só uma dúvida, quantos dias na Chapada, no Pantanal e em Nobres vocês acharia ideal. Tenho uma semana em Cuiabá e gostaria muito de conhecer esses lugares. Abração

  2. Avatar

    Fui e não gostei … sendo bem franca: o calor deixa tudo extremamente desagradável, mas isso é gosto. Não gosto de temperaturas altas onde a sensação térmica fica na casa dos 45 graus. Para mim não dá.

  3. Avatar
    paulo sergio dias on

    Olá, vamos eu e minha esposa a cuiaba em fevereiro de 2017,chegamos numa sexta feira e saímos na terça feira, gostaríamos de conhecer: a chapada dos guimaraes e o pantanal , você conhece alguma agencia por la que me forneça esses passeios? e principalmente com bom serviço e preço acessível?
    aguardo retorno.
    achei muito bom seu blog!
    um abraço
    Paulo

  4. Avatar

    Boa Tarde!!!
    Estou pensando em ir para a Cuiaba e Chapada no mês de Março/17 com a minha mãe , vou passar uns dias no SESCPantanal , mas antes estava pensando em passar uns dias em Cuiaba e Chapada, o que vcs me aconselha.
    Ela tem 70anos, e eu 48anos.
    Vale a pena, o Pantanal ja conheço e acho maravilhoso.

  5. Avatar

    Olá
    Obrigada pelas dicas. Estou com passagens compradas para Setembro , minhas férias! Quero conhecer a Chapada, Pantanal, Véu de noiva, Nobres e a noite de Cuiaba . ?

  6. Avatar

    Quem visita Cuiabá não pode deixar de almoçar na comunidade de São Gonçalo, que fica a beira do Rio Cuiabá.
    Trata-se de uma rua com vários restaurantes bem simples, rodeados de arvores, que servem o melhor peixe da região: ventrecha de pacu, mojica de pintado, pacu assado… acompanhados pela fantástica farofa de banana. Tudo a preço justo.
    A noite cuiabana é badalada principalmente na região da Praça Popular. Perto dali, indico o Malcom Pub pra quem gosta de boa música pop/rock.

  7. Avatar

    Altier, estou planejando ir a Cuiabá agora em maio, planejo visitar a cidade e arredores (pantanal, chapada e o que der), gostei muito de suas dicas. Parabéns e obrigado por disponibiliza-las. Sem querer abusar muito vc poderia sugerir quantos dias ficar ???

    • Altier Moulin

      Oi Mateus,

      Não faz exatamente muito frio, mas as temperaturas podem cair consideravelmente.
      Semana passada, por causa de uma frente fria, a previsão era de mínimas chegando a 11 graus em Cuiabá, e 6 graus na Chapada dos Guimarães.
      É, acho melhor levar um casaco. 😉

      Um abraço.

  8. Avatar

    Olá,

    Moro em Cuiabá há 23 anos, e parabenizo você, que enxergou Cuiabá como ela é… uma capital não planejada, mas que tem seus atrativos, e que não é somente o portal de entrada para Chapada, Nobres e Pantanal. A culinária é maravilhosa, o calor permite noites agradáveis, e tem muita história por trás de Cuiabá. Marechal Cândido Rondon é um exemplo de parte dela.

    Hoje atuo na Gestour Brasil, como licenciada exclusiva em Chapada dos Guimarães, e logo iniciando o trabalho em Nobres, Poconé e Cárceres. Aliás, convido-os a visitar o portal gestour.com.br/chapadadosguimarães, onde já podem ser vistos vários atrativos e algumas hospedagens. Em breve, mais segmentos estarão integrados à Gestour Brasil, a modernidade do turismo brasileiro, por um e-marketplace grandioso, que visa o produto Brasil.

    Parabéns, mais uma vez, pelas postagens.

  9. Avatar

    Olá. Gostei muito das dicas e estou planejando de ir ao pantanal, chapada dos Guimarães, explorar um pouco da cultura que poucos brasileiros conhecem.

  10. Avatar

    Ótimas dicas, bem fiéis à realidade. Só a distância Cuiabá Chapada que achei equivocada, seriam no máximo 80km de centro a centro. Abraço

Escreva um comentário