Compras no Paraguai: veja os limites permitidos e como evitar golpes

249

Atualizado em 1 de fevereiro de 2022

Como fazer compras no Paraguai

Foto: Jaime Mendes

Muitos brasileiros chegam a Ciudad del Este apenas para fazer compras no Paraguai. É que, na cidade, a margem de lucro dos produtos é, geralmente, abaixo dos 10% e o peso dos impostos é bem mais leve do que os praticados no Brasil.

Isso faz com que os preços sejam muito mais atrativos do que no lado brasileiro.

Mas, como tudo na vida tem um ponto negativo, o grande problema são as falsificações: imitações quase perfeitas capazes de enganar a qualquer um.

Então, como ter certeza de que você está comprando um produto original? Essa tarefa não é tão simples assim.

Por isso, alguns cuidados devem ser tomados. Veja só:

  • Jamais compre em barraquinhas de rua, por mais que o preço seja zilhões de vezes mais em conta.
  • Prefira os shoppings mais conhecidos, mesmo que o preço seja um pouco mais alto que em outras lojas.
  • Pesquise muito antes de comprar e desconfie de preços muito abaixo da média. Nestes casos, quase sempre, o produto é falsificado ou não estará disponível para venda.
  • Pergunte se a loja tem garantia e não saia de lá sem testar o seu produto, principalmente eletrônicos.
  • Verifique se a embalagem do produto está lacrada e nunca aceite produtos do mostruário. Eles podem conter peças recondicionadas ou ser produtos que apresentaram defeitos e foram devolvidos.
  • Verifique a tensão elétrica dos produtos (220 ou 110 volts). Isso pode ser uma dor de cabeça a mais caso compre errado.

Como fazer compras no Paraguai

Compras no Paraguai

Eu passei mais de dez anos sem vir a Ciudad del Este e confesso que esperava que as coisas tivessem melhorado por aqui. Mas, infelizmente, tudo continua igual, a não ser pelos novos e bonitos shoppings que foram construídos desde então, como o Shopping Del Este Paraguay, o primeiro da cidade.

Nas ruas, a sujeira e os inúmeros camelôs – os mesiteros – continuam abundantes. O assédio e o mau-humor da maioria dos vendedores também.

Outro hábito que permanece, e que você vai perceber na hora de fazer a conversão do dólar para o real, é o câmbio injusto que vai lhe prejudicar. Portanto, prefira levar dólares americanos, embora o real seja aceito em todos os estabelecimentos no lado paraguaio.

Foto: 202Countries

Como chegar a Ciudad del Este

Assim como todos os caminhos levam a Roma, em Foz do Iguaçu tudo parece lhe conduzir à Ponte da Amizade. É onde está a fronteira entre Brasil e Paraguai.

De ônibus, de carro ou de van, você facilmente chegará ao paraíso das compras no Paraguai. Por outro lado, há quem chame de inferno.

Avião

O Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu (IGU) é a principal porta de entrada para turistas. Ele está localizado na BR-469, a 13 quilômetros do Centro e a 20 quilômetros da Ponte da Amizade. Daqui, a melhor opção para chegar a Ciudad del Este é seguir até o Centro. Depois, de lá, escolher uma das opções abaixo.

Ônibus

A partir do Centro, há várias linhas que chegam até à praça da Aduana, bem pertinho da Ponte da Amizade. Algumas dessas linhas são 355, 230, 215, 210 e 380. Da rodoviária, uma opção é a linha 040, que também chega até a Ponte. A tarifa custou R$ 3,95.

Van

Eu contratei uma van e paguei R$ 30 para os trajetos de ida e volta. A van me buscou no hotel pela manhã e me deixou em um ponto combinado – no meu caso, foi o estacionamento atrás do Shopping Americana. Nesse mesmo lugar, nos encontramos no fim de tarde para retornar ao Brasil.

Independentemente do meio de transporte que escolher, você deve saber que a segurança será um ponto importantíssimo. Sua atenção deverá ser redobrada com o trânsito, já que isso aqui parece ser um mundo sem leis, e os carros são tão velhos que se você for atropelado ou algo assim – que Deus nos livre! – é possível que seja contaminado por tétano.

Além do cuidado com os carros, sua atenção deve ser constante quanto às suas bolsas, tanto a de uso pessoal quanto àquelas com as suas mercadorias. Um minuto de desatenção pode fazer a alegria de marginais que aproveitam a falta de experiência dos turistas.

Foto: Roberth G

Onde fazer compras no Paraguai

Mas, afinal de contas, onde podemos fazer compras no Paraguai?

Para falar a verdade, eu só comprei um eletrônico depois de uma longa pesquisa de preços. O produto que comprei é original: veio na caixa lacrada, tem manual de instruções e – principalmente – funciona em tensão elétrica de 110 volts, ideal para a região onde moro.

Mas, como lhe disse, nem sempre as compras são bem sucedidas.

Conheço casos de pessoas que compram relógios à prova d’água que não resistem ao primeiro mergulho, aparelhos celulares que apresentam defeitos apenas algumas horas depois da compra, e perfumes que não passam de uma réplica barata.

Por isso, fiz uma lista com os principais pontos de compra de Ciudad del Este.

Eletrônicos

Um bom lugar é a Galeria Jebai Center. Ela não tem nada de especial, a não ser um monte de lojinhas que vendem de tudo.

A Casa Bariloche, no Shopping Americana, também pode ser interessante.

Roupas

Nos shoppings SAX e Forli você vai encontrar roupas de marcas como Armani, Hugo Boss, Diesel, Ferrari, Ralph Lauren, Calvin Klein e Colcci com preços bem mais interessantes do que no Brasil.

Também é comum ver pelas ruas lojas da Zoomp, Fórum, Lacoste e Carmen Steffens, entre outras.

Foto: GomezAle

Perfumes

O shopping Monalisa é um paraíso para perfumes e maquiagem, embora os preços sejam mais caros. Preços mais baixos e qualidade assegurada você vai encontrar na loja Charme, do Grupo Dien, que fica na Galeria Jebai.

Comida

Você não vai comprar comida para levar de volta ao Brasil, mas certamente terá que matar a fome depois de tanto andar.

Então, como higiene não é uma questão tão universal quanto desejamos, a melhor opção para se alimentar em Ciudade del Este é o restaurante Armazém da Gula, que funciona no Shopping Barcelona e serve comida brasileira no melhor estilo self service.

Nos outros shoppings você também encontra praças de alimentação com boas opções – incluindo redes de fast food.

Foto: GomezAle

Cuidados com as Regras da Alfândega

O princípio básico que você precisa ter em mente ao fazer compras no Paraguai é que você não pode sair comprando tudo que vê pela frente. Há um limite de isenção de impostos para importação estabelecido para cada pessoa, e isso varia de acordo com o seu meio de transporte.

Esse limite é popularmente conhecido como cota.

Para quem retorna ao Brasil por terra – de carro, de ônibus, de van e até mesmo a pé – o valor é de USD 500, e só pode ser utilizada a cada 30 dias.

A mesma regra vale para quem está viajando de avião, chegando e saindo de Foz do Iguaçu, porque o que importa é o momento que você vai cruzar a fronteira.

Para quem está em um voo internacional, saindo de Ciudad del Este de avião, a cota sobe para USD 1.000.

Mesmo obedecendo a esses valores, não pense que você pode comprar deliberadamente sem levar em conta algumas quantidades. Veja os limites estabelecidos pela legislação:

  • Até 12 litros de bebidas alcoólicas;
  • Até 10 maços de cigarro;
  • Até 25 unidades de charuto;
  • Até 20 unidades de produtos com valor inferior a USD$ 5, sendo que apenas 10 unidades podem ser idênticas;
  • Até 10 unidades de produtos com valor igual ou maior que USD$ 5, sendo que apenas 3 peças podem ser idênticas;
  • No total, a sua compra não pode ter mais do que 30 mercadorias.

Como fazer compras no Paraguai

Itens de uso pessoal

Bens considerados como de uso pessoal, teoricamente, não entram na cota de isenção de imposto.

Isso significa que, além do limite estabelecido, você  pode comprar um telefone celular, um relógio de pulso e uma câmera fotográfica usada durante a viagem.

Note que, neste caso, é preciso comprovar que você realmente necessitou comprar esses bens durante a viagem e que a aprovação vai depender da interpretação do oficial da Aduana, pois é costume aplicar esta regra apenas para pessoas que ficam hospedadas no Paraguai.

Quem passa o dia no Paraguai fazendo compras e retorna para Foz do Iguaçu, de forma geral, não pode se valer dessa regra.

O que acontece se ultrapassar o limite?

Ao cruzar a Ponte da Amizade, você poderá ter a suas mercadorias revistadas pela Receita Federal na Aduana Brasileira. Se tudo estiver certo e os limites forem obedecidos, você não pagará nenhum imposto, mas terá os seus dados registrados.

Se isso acontecer, você só poderá retornar ao Paraguai para fazer compras 30 dias mais tarde.

Se você quiser retornar no dia seguinte, por exemplo, e for novamente parado pela Receita Federal, terá que pagar imposto sobre todas as suas compras, caso a sua cota mensal tenha sido excedida.

Outra possibilidade é que você tenha ultrapassado o limite de compras no Paraguai logo no primeiro dia e teve o azar de ser parado pela Receita Federal.

Nesse caso, eles observarão a quantidade de mercadorias que está trazendo para o Brasil – lembra que são 30 produtos, independentemente do preço? – e o valor total das suas compras que não deve ultrapassar os limites descritos acima.

Se você ultrapassou apenas o limite de quantidade de produtos, o excedente será retido pela Receita Federal, ou seja, você perde esses produtos. Mas, se você exceder o limite de isenção, terá que pagar 50% do valor excedente como imposto de importação.

Por exemplo: se você comprou um eletrônico que custa cerca de USD 700 e foi parado na Aduana, você não excedeu o limite de quantidade, mas ultrapassou a cota de isenção em USD 500. Neste caso, o imposto de importação será de USD 100.

Notas fiscais e recibos

É imprescindível que você guarde todas as notas fiscais de suas compras no Paraguai.

Isso é importante por duas razões: a primeira delas é que, caso algum produto dê problema e a loja ofereça garantia, você precisará apresentá-la para requerer seus direitos. A segunda razão é que ela é o único meio de provar à Receita Federal o valor de uma mercadoria.

Caso você não tenha a nota fiscal, o valor considerado será o estabelecido pelo cadastro da Receita, que geralmente é muito mais alto do que os preços praticados no mercado, portanto o seu imposto será calculado com base nele.

Não pense que, ao cruzar a fronteira com o Paraguai, as suas questões com a Receita Federal estarão resolvidas: no aeroporto de Foz do Iguaçu você terá que passar todas as suas malas pelo raio X antes mesmo de fazer o check-in.

Caso seja encontrada alguma irregularidade, você terá que prestar contas às autoridades. Por isso, é sempre indispensável andar dentro da legalidade.

RECOMENDAÇÕES DE VIAGEM - COVID-19

Devido à pandemia de covid-19, novas medidas de saúde e segurança foram adotadas. Elas são importantes para evitar o contágio, protegendo você, quem trabalha diretamente com o turismo e as comunidades locais.

Então, antes de viajar, verifique quais as medidas protetivas  estão sendo adotadas no seu destino. Alguns lugares exigem o comprovante de vacinação contra covid-19, o uso de máscara e até seguro viagem.

Veja algumas medidas adotadas:

  • Álcool gel disponível nos quartos e nas áreas comuns dos hotéis;
  • Uso obrigatório de máscaras nas áreas comuns;
  • Respeito às regras de distanciamento social;
  • Uso de produtos de limpeza eficazes contra o coronavírus;
  • Café da manhã pode ser servido no quarto;
  • Restrição de horários e de capacidade de público em museus e eventos.

Veja mais dicas do Paraná

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas do Paraná.