Visita ao Instituto Inhotim, em Brumadinho

0

Atualizado em 22 de fevereiro de 2018

Em Brumadinho, município com pouco mais de 30 mil habitantes e que está a 60 quilômetros de Belo Horizonte, encontrei o Instituto Inhotim, uma antiga fazenda que hoje se destina à conservação, exposição e produção de trabalhos de arte contemporânea. Tive conhecimento do Inhotim através de Regina Casé, no programa Um pé de quê?, do Canal Futura. Na ocasião a grande árvore plantada às margens de um dos lagos era o fio condutor do programa. O convite para conhecê-lo pessoalmente partiu dos amigos Ricardo e Léo, mineiros de BH.

Pensado pelo empresário Bernardo Paz, ainda na década de 80, o Inhotim apresenta um acervo com mais de 500 obras, de mais de 100 artistas de diversas partes do mundo. São esculturas, instalações, pinturas, desenhos, fotografias e vídeos produzidos a partir da década de 60.

Visita ao Instituto Inhotim

A árvore do ‘Um Pé de Quê?’.

Visita ao Instituto Inhotim

Ricardo e Leonardo, amigos de Belo Horizonte.

Visita ao Instituto Inhotim

Aqui é possível ouvir o som que vem da terra.

As obras, que estão espalhadas pelo Jardim Botânico, possibilitam experiências inovadoras. Lá, você pode ouvir o som que vem de um buraco com mais de 200 metros de profundidade e apreciar um conjunto de estacas cravadas sem qualquer ordem no alto de um monte. No Inhotim suas opções incluem, ainda, andar por um quarto vermelho com todos os objetos – inclusive um canário e os peixes do aquário – nos tons preferidos de Almodovar; e caminhar sobre estilhaços de vidro se desviando de barreiras quase invisíveis. Sem contar os painéis e um caleidoscópio gigante que gera imagens fantásticas.

Há espaços que parecem passar em branco, isso é verdade. Mas, a arte que propõe o Inhotim não é aquela que vem de graça. É algo reflexivo. É aquela arte que nos leva para dentro e que em cada um ganha um sentido diferente. A galeria Adriana Varejão, esposa de Bernardo, e o Galpão Miller & Cardiff, dos canadenses Janet Cardiff e George Bures Miller são sensacionais. Trata-se de um galpão revestido com fibra de vidro que abriga um conjunto de caixas acústicas que emitem sons aleatórios que se complementam.

Visita ao Instituto Inhotim

Uma das criativas obras do Inhotim.

Visita ao Instituto Inhotim

As estacas do topo do monte.

Visita ao Instituto Inhotim

O galpão com os mil sons.

Como visitar o Instituto Inhotim

Nas terças-feiras, exceto nos feriados, a entrada é gratuita. Nas quartas e quintas-feiras, o ingresso custa R$ 20,00. Nas sextas, nos sábado, domingos e feriados, R$ 28,00. O Instituto Inhotim não funciona nas segundas-feiras. Crianças de 6 a 12 anos, idosos acima de 60 anos, estudantes identificados, funcionários da Vale, assinantes credenciados Estado de Minas, Hoje em Dia e O Tempo pagam meia entrada. O pagamento pode ser feito em dinheiro ou com os cartões American Express, Elo, Mastercard e Visa. Você pode comprar o seu ingresso online.

Com 110 hectares de área de visitação, o Inhotim possui um serviço de transporte interno com carrinhos elétricos, mas o barato mesmo é visitá-lo a pé.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

Escreva um comentário