Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos

0

Atualizado em 22 de fevereiro de 2018

Congonhas, como é chamada pela maioria das pessoas, é uma cidade pequena e que tem uma trajetória histórica muito interessante. Ela nasceu em 1734 durante o período áureo da corrida pelo ouro. Hoje, a cidade é uma das mais tradicionais de Minas Gerais e um dos pólos culturais do Estado. Lá, a Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos começou a ser construída em 1757. A obra só foi concluída em 1790.

No altar da igreja está a imagem do Senhor Morto. Para vê-lo, milhares de devotos visitam a Basílica todos os anos. O seu inestimável valor artístico somado às esculturas dos 12 profetas fazem desse conjunto a maior expressão do Barroco brasileiro.

A iniciativa de construir o grandioso Santuário de Bom Jesus do Matosinho partiu do português Feliciano Mendes, devoto do Bom Jesus, em pagamento a uma promessa. Além da basílica, 12 profetas em pedra-sabão e 66 esculturas em tamanho natural – representando os Passos da Paixão de Cristo – foram criadas pelos maiores representantes da arte barroca mineira do século XVIII: Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e Manoel da Costa Athayde, o Mestre Athayde.

O fabuloso conjunto dos 12 profetas bíblicos foi esculpido entre 1800 e 1805. Harmoniosamente distribuídos na escadaria que dá acesso à parte principal da igreja, os profetas traduzem suas profecias. Ali estão Jeremias, Baruc, Ezequiel, Daniel, Oséias, Joel, Abadias, Amós, Jonas, Habacuc, Naum e Isaías.

Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos

Profetas: esculpidos em pedra-sabão, doze figuras bíblicas adornam o templo.

Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos

O mais importante conjunto de obras barrocas do Brasil.

Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos

A sala dos milagres: milhares de fiéis deixam nela objetos que expressão sua gratidão.

Estudos supõem que Aleijadinho não escolheu os doze profetas por acaso. Há suspeitas de que o seu desejo seria registrar na história o seu nome, a complexa elaboração do artesão seria assim: Amós seria o primeiro da fila. A letra ‘L’ seria formada pelo profeta Baruc, que em hebraico significa ‘louvado seja’. Seguiam-se Ezequiel e a soma de Jonas e Joel, resultaria na letra ‘I’, já que em latim as duas iniciais seriam traduzidas como sendo esta vogal. Jeremias, Abadias, Daniel, Isaías, Naum, Habacuc e Oséias completariam o nome.

No caminho que leva à Basílica, as 66 estátuas esculpidas em cedro ornamentam as seis capelinhas construídas a partir de 1808. As figuras se inspiram no conjunto do Santuário do Bom Jesus do Monte, em Braga, Portugal. A Última Ceia, que merece destaque, tem imagens inteiramente esculpidas por Aleijadinho e pintadas por Athayde.

Críticas

O jornalista Leandro Narloch, em seu Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil, registra a polêmica em torno das obras de Aleijadinho. Segundo o autor, fortes críticas de seus contemporâneos desqualificavam as obras do artesão e destacavam as incoerências e deformidades registradas em suas obras. Segundo os relatos a imperfeição dos rostos e os membros com tamanhos diferentes seriam características de uma obra com baixa qualidade.

Narloch ainda apresenta questionamentos sobre a verdadeira história do artesão. No capítulo que trata sobre Antônio Francisco Lisboa, ele põe em dúvida a narrativa de que ele teria sofrido mutilações, resultados de uma doença degenerativa de desconhecida causa. O autor conta que não há registros sobre a doença do artesão, a não ser um texto escrito pelo jurista e deputado estadual Rodrigo Ferreira Bretas, cinco décadas depois da morte do artesão, sem nenhuma base científica ou documental. Narloch deixa claro que se tratava de uma história romantizada, propagada e incentivada pela Coroa. Naquela época, o Brasil precisava orgulhar-se de si mesmo, conta.

Aleijadinho, filho de mãe escrava e pai branco, morreu em 18 de novembro de 1814, aos 84 anos.

Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos

No caminho para a Basílica há esculturas da Paixão de Cristo.

Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos

A última ceia: uma das esculturas em cedro que retratam as últimas horas de vida de Cristo.

Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos: Patrimônio da Humanidade

O conjunto arquitetônico e artístico do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos recebeu da UNESCO o título de Patrimônio Cultural da Humanidade em 6 de dezembro de 1985. O monumento foi agraciado com esse título por possuir um dos mais completos grupos de esculturas de profetas do mundo. É considerado uma das obras-primas do barroco mundial, do gênio criativo e da perseverança de Aleijadinho, que, contra todas as limitações impostas pela doença, no final de sua vida, deixou no alto do Monte Maranhão uma obra impressionante.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

Escreva um comentário