Você pode dar a volta ao mundo de trem

4

Atualizado em 3 de maio de 2016

Uma volta ao mundo faz parte dos sonhos de muita gente. Conhecer o globo num único itinerário, no melhor estilo Julio Verne, tem feito uma galera deixar tudo pra trás e se jogar no mundo. Mas, o que você talvez não tenha imaginado é que dá pra fazer uma volta ao mundo de trem.

Essa novidade que via mudar suas expectativas foi lançada pela TT Lufthansa operadora que tem um serviço exclusivo de viagem ao redor do mundo focado no público brasileiro. Com duração de 35 dias, englobando três viagens aéreas e sete ferroviárias, o roteiro trespassam toda a Europa – de Portugal à ponta Leste da Rússia – e também a América do Norte, de Vancouver a Nova Iorque.

Roteiro da volta ao mundo de trem

O trem parte da estação Oriente, na capital portuguesa, considerada um marco da arquitetura moderna e desenhada por Santiago Calatrava. O Sud Expresso então percorre um dos mais antigos caminhos ferroviários europeus, datado de 1887, com troca de trens em Hendaia. Aqui, você terá direito a um almoço especial no restaurante próximo à estação, já na fronteira com a Espanha.

Em Paris, o clima já não é tão calmo: o moderno trem francês Train à Grande Vitesse é reconhecido por sua velocidade máxima extraordinária – cerca de 320 km/h. Na cidade da luz, você poderá aproveitar da gastronomia mais famosa do mundo em em um espaço reservado para os viajantes num dos cartões postais de Paris: a torre do Montparnasse.

Você pode dar a volta ao mundo de trem

O ágil trem francês. Foto: SNCF – Patrick Curtet

Embarcando no grande Expresso Paris-Moscou, que tem o título de uma das rotas transeuropeias mais longas – são 3.169 quilômetros! -, a viagem segue num ritmo mais lento. Enquanto atravessa cinco países em dois dias, você pode ainda curtir o tradicional e atendimento nos vagões dormitórios e restaurante, com uma tranquila noite de sono no balanço gostoso do trem.

A partir de Moscou, pela centenária Transiberiana com mais de 9.000 quilômetros de extensão, o trem seguirá com destino à Vladivostok, com paradas em algumas das áreas de mais difícil acesso do mundo, incluindo vilarejos típicos e mercados locais, às margens do místico Lago Baikal.

Você pode dar a volta ao mundo de trem

O transiberiano que corta toda a Rússia. Foto: Eurasia Trains & Tours

O único trecho aéreo da viagem parte de Vladivostok e chega a Vancouver, no Canadá. Aqui, a jornada de trem será retomada a bordo do luxuoso Rocky Mountaineer e o clássico vagão panorâmico, perfeito para observar as Rocky Mountain canadenses: você nunca vai se esquecer da cor esmeralda do Lake Louise.

Pela Icefields Parkway vem o acesso a estação de Jasper para pegar o clássico The Canadian, para  percorrer o Canadá de costa a costa. O desembarque final da rota canadense é em Toronto, de onde parte o último trem da rota, o americano Amtrak – Maple Leaf, rumo à sempre viva Big Apple, em solo estadunidense.

Você pode dar a volta ao mundo de trem

As Rocky Mountain canadenses. Foto: Rocky Mountaineer

Você pode dar a volta ao mundo de trem

O interior do Rock Mountaineer: conforto em primeiro lugar

New York é a parada final. Um jantar de encerramento será oferecido no coração do Central Park, onde os participantes serão agraciados com o certificado Volta ao Mundo de Trem, da TT Operadora.

A criação da viagem volta ao mundo de trem foi tem o objetivo de unir a tradição histórica dos trens internacionais a serviços especializados, resultando a atração mais inesquecível que alguém pode experimentar. “A viagem será uma experiência exclusiva, com belezas naturais ainda intocadas, um forte apelo cultural e um certo tom exótico, mantendo o refinamento que uma viagem deste porte exige”, completa Pablo Bernhard, CEO da TT Operadora.

SOBRE O AUTOR

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

4 Comentários

Escreva um comentário