Uma histórica visita à Citadelle de Quebec

6

Atualizado em 20 de abril de 2020

Quebec é muito diferente de todas as outras cidades do Canadá. A começar pelo fato de que ela ainda mantém a muralha que cerca sua parte mais antiga – a Citadelle de Quebec. Construída pelos franceses na tentativa de impedir o avanço do exército britânico-canadense, a muralha resistiu, mas a cidade não. Tomada pelo exército inimigo, Quebec passou a integrar oficialmente o território do país.

Dentro dos muros há outra fortaleza. Conhecido como Citadelle de Quebec, o forte foi edificado pelo grupo de origem inglesa para se defender dos contra-ataques franceses. Hoje, esse lugar é um centro do exército canadense na região, e uma visita guiada por aqui percorre os museus que recontam essa história de luta que os quebequianos ainda carregam consigo.

Depois de sucessivos embates, as tropas britânicas atacaram novamente Quebec, naquela que ficou conhecida como a Batalha do Campo de Abraham. Derrotado, o exército francês se rendeu, e toda a região foi ocupada e, mais tarde, entregue ao Canadá por meio do Tratado de Paris, assinado em 1763.

Uma histórica visita à La Citadelle de Quebec

A muralha que cerca a cidade de Quebec.

Uma histórica visita à La Citadelle de Quebec

Detalhe do muro e o Campo de Abraham, onde os franceses perderam a batalha.

Uma histórica visita à La Citadelle de Quebec

Algumas as áreas limitares do forte.

Uma histórica visita à La Citadelle de Quebec

A guarda que faz a segurança é impecável.

A lembrança das batalhas entre franceses e britânicos ainda é muito viva para a maioria da população francófona. Quem visita Quebec pode ler por todos os cantos a frase je me souviens. Ela está nas placas dos carros, nas lembrancinhas que compramos, nos jardins e em muitos outros lugares. Com ela, os moradores de Quebec declaram a todo momento que jamais esquecerão das suas origens francesas, das vidas que se foram, dos territórios perdidos e das atrocidades vividas no tempo da guerra.

Conhecer esse lado de Quebec é imprescindível para sua viagem e, durante a visita guiada, você vai ouvir sobre os ataques, o desenvolvimento das fortificações e a construção da La Citadelle, além de ter uma vista excepcional da cidade de Quebec e da região ao redor.

A província de Quebec é considerada o principal centro produtor de cultura do Canadá. As maiores expressões artísticas do país são daqui. Para citar duas: Celine Dion e o Cirque du Soleil. Aqui em Quebec, durante o verão, a trupe tem um espetáculo gratuito em um palco montado debaixo de um viaduto. Assistir ao show foi uma experiência inesquecível.

Uma histórica visita à La Citadelle de Quebec

Je me souviens: eu me lembrarei.

Uma histórica visita à La Citadelle de Quebec

Um dos museus da Citadelle.

Uma histórica visita à La Citadelle de Quebec

O espetáculo do Cirque du Soleil.

Programa sua visita a La Citadelle de Quebec

Quanto custa |  A entrada na La Citadelle custa CAD 16 – estudantes pagam CAD 13 –  e com ela você pode visitar parte da estrutura militar do forte e os museus, sempre acompanhado pelo guia. O passeio dura em torno de uma hora.

Quando ir | O horário de funcionamento do forte é das 9h às 17h, entre maio e setembro, e das 10h às 16h, de outubro a abril. A Citadelle de Quebec fecha no Natal e no Ano Novo.

Como chegar | O forte fica bem perto de algumas das principais atrações da cidade, como o Parliament Building e o Château Frontenac, de onde você pode ir caminhando ou de bicicleta. Carros não podem circular em todas a áreas da cidade murada, e o estacionamento por aqui é gratuito por até duas horas. De ônibus, as linhas 3 e 11 param bem perto da entrada.

O principal aeroporto de Quebec é o Jean Lesage (YQB). Ele recebe voos de outras cidades canadenses e também de outros países.

Onde ficar | Quebec tem muitas ótimas opções de hospedagem. Se quiser ficar em um hotel histórico para esbanjar riqueza, o Château Frontenac é o mais famoso da cidade e parece um verdadeiro palácio. Mas, se o seu bolso não está para tanto, dê uma olhada nestas outras opções da cidade.

Visto | Brasileiros precisam de visto para entrar no país. Veja aqui como solicitar o visto para o Canadá.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

6 Comentários

  1. Avatar

    Bom dia, tudo bem?
    Pretendo visitar quebec ainda esse ano e queria saber se consigo ver alguma coisa da Citadelle se não pagar pra entrar, apenas por fora. Digo, se consigo ver algumas construções, canhões e coisas assim? ou se só conseguirei ver um muro e nada mais?

  2. Avatar

    Olá,

    CongratZ por seu trabalho aqui.

    Em Novembro pretendo ficar uns dias em Toronto e depois (de carro alugado) ir à Niagara, de lá à Boston e depois NYC.

    Você sabe se há alguma restrição em cruzar a fronteira de carro alugado no CA?

    O contrário eu fiz em 2007. 😉

    agradeço se souber ou algum fã do Blog

    Onwards!!

    VB

  3. Avatar

    Parabéns pelo excelente blog Altier !

    Qual o meio de transporte que você utilizou para percorrer as cidades canadenses? Sei que os trens canadenses são muito utilizados por turistas, porém muito caros. Na sua opinião os ônibus seriam uma boa opção de transporte?

    • Altier Moulin

      Oi, Daian.

      Os trens são realmente caros. De ônibus, as viagens são confortáveis, mas bem longas. Então, eu preferi fazer tudo de avião. Fiz reservas com antecedência e ficou num preço bem bacana.

      Um abraço.

Escreva um comentário