Viajar neutraliza emoções negativas

0

Atualizado em 3 de outubro de 2017

Ao longo da vida todos nós já passamos ou vamos passar por momentos em que questionamos nossa rotina. Algumas pessoas passam por momentos de estresse ou cansaço excessivo devido ao dia a dia de trabalho, estudo e afazeres domésticos; outras, volta a meia sentem-se entediadas e desestimuladas com as repetições que a vida diária traz, onde momentos de novidades e mudanças positivas acabam se tornando exceções. Em meio a tal realidade, emoções e pensamentos negativos tendem a emergir e com o tempo se instalar, virando também parte da rotina.

Um grande exemplo de sentimento negativo, é o “cansaço”. Você pode pensar: mas cansaço não é uma sensação física? De fato. Podemos nos sentir cansados após termos nos esforçado fisicamente, como depois de ter feito exercícios, por exemplo. Mas nos cansamos também dos problemas, da falta de estímulos ou até mesmo da falta de tempo. Podemos sofrer com cansaço mental, após uma semana de muitas exigências no trabalho, mesmo tendo passado oito horas por dia sentados em frente ao computador. A questão é que emoções e sentimentos são sentidos no corpo, sejam eles positivos ou negativos e estão intimamente relacionados com nossa saúde.

Dentro desse contexto, para quem gosta de viajar, as férias ou mesmo um feriado prolongado podem se tornar momentos muito esperados. A viagem torna-se uma válvula de escape e um momento onde se pode recarregar as energias e a motivação. Você sabe porquê?

A importância de “mudar os ares”

Parece óbvio, mas o simples fato de passar um tempo longe de casa, do trabalho, do estudo e até mesmo das pessoas com as quais estamos acostumados a conviver é algo que exerce um papel muito importante em nossa saúde emocional. “Viver outros ares”, ou simplesmente sair da rotina e desligar-se das obrigações formais e sociais nos oportuniza não somente relaxar, como também pensar em nós mesmos, no que queremos e em como estamos buscando nossos objetivos. Por mais que viajemos acompanhados, o contexto da convivência torna-se também diferente, o que nos possibilita rever nossas relações interpessoais e até mesmo enxerga-las com novos olhos.

Ao estar em um lugar diferente nossa percepção é alvejada com novos estímulos, pois as pessoas, o ambiente, a comida, os comportamentos e modos de ser são outros. Precisamos, então, nos adaptar às novidades e é quando redescobrimos habilidades que a rotina nos faz esquecer ou deixar de lado, por estarmos sempre no “piloto automático”. É por isso que quando retornamos de uma viagem nos sentimos renovados, muitas vezes com ideias mais criativas, inspirações e mais motivação.

Quebrando um ciclo

Por falar em “piloto automático”, é importante mencionar que, ao ficar por muito tempo no mesmo lugar (seja fisicamente ou metaforicamente), é natural que adentremos nesse estado. Isso pode ser bom, se você gosta de ter uma rotina fixa, ter o controle sobre as coisas e sente-se bem dessa forma. No entanto, é necessário que se saiba que quando decidimos permanecer por muito tempo em um mesmo ciclo, dificilmente aprendemos algo novo: consequentemente, não nos renovamos e as coisas e pessoas ao nosso redor permanecem sempre as mesmas.

É preciso pouco ou quase nada para adentrar em um ciclo que pode se tornar cansativo e entediante. Basta pararmos para observar nosso próprio comportamento e o comportamento de alguns de nossos amigos e familiares. Mas se formos parar pra pensar, pode ser necessário muito mais do que imaginamos para sair desse mesmo ciclo, principalmente quando falamos de emoções negativas que se instalam em nosso dia a dia. Uma viagem, nesse sentido, é como uma quebra abrupta e que vem para o bem, pois viajar é um comportamento visto como a busca de descanso e de momentos prazerosos.

É claro que nem toda viagem é totalmente livre de estresses e negatividade, mas mesmo com todos os problemas que podem ocorrer, os ganhos que se obtém são bastante enriquecedores. Novas histórias para contar, vivências diferentes, sensações nunca antes obtidas ou há muito tempo esquecidas, tudo isso contribui para a quebra de ciclos e para aquela sensação de renovação que muitas vezes é o que precisamos para sair dos vários ciclos de emoções e pensamentos negativos que vamos adquirindo com o tempo.

Novas formas de existir

Por fim, não se pode deixar de mencionar que os diferentes tipos de pessoas, comportamentos e costumes com os quais temos contato ao viajarmos possuem um papel fundamental em nossa autocrítica e desejo por mudança. Ao estarmos por muito tempo absortos em nossas certezas e modos de ser, muitas vezes não conseguimos encontrar soluções para nossos dilemas. Quando observamos e entramos em contato com novas formas de existência e comportamentos, percebemos que muitas vezes o que precisamos é apenas olhar para o problema por um novo ângulo e logo a solução aparece; às vezes, o que estávamos considerando um problema, passa a não ter mais razão de ser; e aquelas dificuldades que permanecem, podem ser tratadas de outra ou outras formas, diferentes das quais havíamos imaginado.

A mudança ambiental pode nos trazer inúmeros aprendizados e novas formas de encarar a vida, mesmo que momentaneamente. Ela é de extrema importância, pois volta e meia precisamos de algo que nos lembre que existem outras formas de ser, de agir e de lidar com diversas situações. Fazer uma autorreflexão, olhar para nós mesmos e como temos nos sentido e nos comportado também é uma atitude que podemos obter ao nos afastarmos um pouco de nosso espaço conhecido. Saiba também que para fazer isso não é preciso necessariamente desembolsar rios de dinheiro ou ir para muito longe. Existem diversas opções para quem quer gastar pouco e quer viajar para as proximidades. O que importa é o desejo por mudança e por se ressignificar.

Viajar é bom

Foram apresentados aqui os principais benefícios emocionais e comportamentais que se pode obter durante e após uma viagem. Caso queiram conversar mais sobre emoções negativas e como afetam nossas vidas, além de outros temas, fiquem à vontade para entrar em contato comigo e agendar um horário através do site: www.zenklub.com.br.

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Alana Borges

Sou uma psicóloga (CRP-10/03892) com alma de viajante e a vida me conduziu a trabalhar ajudando adolescentes, jovens e adultos no processo de controle da ansiedade e de adaptação relacionados a viagens, intercâmbios ou mudança de país.

Escreva um comentário

Inline
Inline