Como é fazer um safári na África do Sul

0

Atualizado em 24 de julho de 2018

A África do Sul é um país riquíssimo em cultura, diversidade e belezas naturais. Um dos maiores atrativos do país são os animais, já que a diversidade de espécies é grandiosa. Por isso, todos os anos, milhares de turistas de todas as partes do mundo chegam para fazer safári na África do Sul.

Embora esta não seja a principal atração da região de Cape Town, quem estiver passeando por aqui pode, tranquilamente, incluir um safári no cronograma sem preocupação com arrependimentos. Mas, para isso, será preciso dar um pulo na pequena e charmosa cidade de Little Brak River. Ela fica entre as montanhas Outeniqua e o Oceano Índico.

Reserve já o seu hotel em Cape Town e garanta os melhores preços.

Basicamente, existem dois tipos de safári na África do Sul. Há os que são realizados em reservas particulares e o safári nos parques nacionais, como no Parque Nacional Kruger. Este fica no nordeste do país, como já mostramos em: Como é o safári no Kruger National Park.

Como é fazer um safári na África do Sul

A área particular onde fiz o safári na África do Sul.

Neste post, eu conto como foi o safári que fiz na Botlierskop Private Game Reserve. Foi em meu último dia de viagem pela Garden Route – Rota do Jardim, em português – que fiz com a Hotspots2c.

Como fiquei hospedado de frente para a maravilhosa praia de Myoli, em Sedgefield, aproveitei para acordar bem cedo e caminhar pela praia enquanto o sol nascia. As cores vibrantes, logo pela manhã, anunciavam que um lindo dia de sol estava por vir.

A viagem até a reserva onde fiz o safári teve a duração de aproximadamente duas horas. Durante o percurso, o guia e motorista da viagem, Didi, fez uma parada em um mirante com uma vista incrível para o mar, e depois paramos em um supermercado para fazermos algumas compras.

Cheguei à reserva por volta das 9h30, e logo fiquei surpreso com o belíssimo local. Além de uma elegante recepção com lareira, sofás e poltronas, há uma loja de souvenirs, restaurante, banheiros e um deque externo com uma vista incrível.

Para fazer o safári não tive que reservar horário e nem comprar ingresso à parte, já que a Hotspots2c cuidou de tudo, tanto para mim quanto para os outros viajantes do grupo. Com certeza isso me trouxe mais comodidade e tranquilidade para aproveitarmos a viagem.

Como é fazer um safári na África do Sul

As charmosas zebras.

Os Big Five

O 4×4 que fiz o safári era bastante confortável, espaçoso, coberto e alto, além de parecer bastante resistente. O motorista e guia do safári também pareceu ser bastante experiente, tanto na condução do veículo quanto nas informações que nos deu durante o passeio. Acho que essas informações são muito importantes, pois para este tipo de atividade, a segurança deve vir sempre em primeiro lugar.

Confesso que eu estava muito ansioso por este momento, pois fazer um safári sempre foi um dos meus grandes desejos, além do mais, hoje eu iria finalmente ver de perto os famosos Big Five. O grupo dos Big Five é composto pelos mamíferos selvagens mais difíceis de serem capturados na natureza, são eles: leão, elefante, búfalo, leopardo e rinoceronte.

Como é fazer um safári na África do Sul

O rei da selva descansa preguiçosamente.

Durante o safári, logo no início no percurso, vi diversos gnus e impalas. Não demorou muito para que aparecessem lindas zebras. Aliás, nunca tinha visto zebras de perto e achei incrível a perfeição de suas listras pretas e brancas.

Em cada parte da reserva que encontrávamos um animal, o guia parava a caminhonete e explicava sobre os hábitos, a alimentação, se era um animal em extinção, enfim, diversas informações para que o passeio ficasse ainda mais interessante e fosse além da contemplação aos animais.

Bebê rinoceronte

Uma das cenas mais incríveis que vi durante o safári e guardo perfeitamente na minha cabeça, foi o momento em que o 4×4 estava parado e o guia falava sobre as zebras e, de repente, dois rinocerontes, mãe e filhote, ele um bebê, caminhavam tranquilamente pela reserva em busca de alimento. Pude avistá-los de longe até se aproximarem do veículo. Foi demais! Adoraria ver aquela cena novamente.

Como é fazer um safári na África do Sul

O filhote de rinoceronte e sua enorme mãe.

Continuando o safári, finalmente encontramos alguns dos Big Five. Vi diversos búfalos descansando entre a vegetação, três elefantes se alimentando de folhas no alto de uma montanha e finalmente o rei da selva, o leão, acompanhado de duas leoas.

Acredito que este tenha sido o momento auge do safári. Era nítido perceber a empolgação de todos os visitantes quando o veículo se aproximou do leão e das leoas. Assim que nos aproximamos, eles se assustaram com o barulho do veículo e logo se deitaram. Ficamos cerca de dez minutos apenas os observando.

Durante todo o safári, tive tempo hábil para fotografar os animais, observá-los e ainda ouvir as explicações do guia. Achei bastante positivo o guia conduzir o passeio ao nosso tempo. Ele sempre nos perguntava se tínhamos alguma dúvida e se ele podia seguir o passeio.

Como é fazer um safári na África do Sul

Gnus descansam na vegetação da savana.

Animais da savana

Fazer esse safári foi uma das experiências mais incríveis que vivi na África do Sul. Diferente de um zoológico, no safári você faz parte do ambiente onde vivem os animais, ou seja, você está ali observando a vida dele como de fato ela é.

Apesar de eles estarem fechados em uma reserva privada, o local não deixa de ser a natureza, a savana natural. Foi incrível a experiência de ver os animais de perto e contemplar tanta perfeição da natureza. Por este e por vários outros motivos, a África do Sul sempre será um lugar muito especial para mim.

Neste safári, eu vi avestruz, elefante, búfalo, leão (e leoa), zebra, rinoceronte, impala e gnu. Infelizmente não consegui encontrar as girafas.

Planeje seu safári na África do Sul

Quanto custa |Este safári na África do Sul custa ZAR 450. Uma boa opção é passar, aqui, pelo menos uma noite para acompanhar a movimentação dos animais à noite, quando algumas espécies estão mais ativas.

Quando ir | Cape Town tem as quatro estações do ano bem definidas. O verão, entre novembro e fevereiro, é quente, seco e com pouca chuva. Nesse período, as temperaturas máximas ficam entre 25 e 27 graus. No inverno, os termômetros chegam a marcar sete graus, sendo os meses de junho a agosto os mais chuvosos. Em fevereiro, março e novembro quase não chove. Antes de planejar sua viagem, leia: Veja quando ir à África do Sul.

Quem leva | Eu fiz este passeio com a Hotspots2c, uma agência de viagens de Cape Town que está no mercado desde 2007, e já foi escolhida por mais de 20.000 viajantes. A estrutura da agência e a qualidade dos guias turísticos são os diferencias da Hotspots2c, a melhor escolha para sua viagem pela África do Sul e eu, com certeza, recomendo. Comprando neste link, você tem 10% de desconto.

Como é fazer um safári na África do Sul

Você não pode deixar de fazer um safári na África do Sul.

Como é fazer um safári na África do Sul

Rinocerontes fazem parte dos big five, os animais mais difíceis de serem caçados.

Como chegar | O Botlierskop Private Game Reserve fica em Little Brak River, a quatro horas de carro de Cape Town. Você pode chegar aqui dirigindo pela rodovia N2 ou, de avião, pousando no aeroporto (GRJ), que fica a meia hora de carro.

Sem dúvida, contratar uma empresa para lhe mostrar o melhor desta região é uma ótima escolha. Assim, você não se preocupa com nada, a não ser em se divertir. Entretanto, se preferir, você pode alugar um carro para fazer todo esse percurso no seu tempo, mas lembre-se de que, para dirigir na África do Sul, brasileiros precisam da permissão internacional. A Carteira Nacional de Habilitação não é aceita.

Uma opção mais barata é fazer esse trajeto de ônibus, com o Baz Bus. Ele para em determinados pontos onde você pode descer e, depois, retomar a viagem.

 O que levar | Leve binóculos, de longe você poderá observar os animais ou até mesmo acha-los e avisar o guia. Use protetor solar, pois mesmo o veículo sendo coberto às vezes o sol pode bater nos braços. Leve água e, se quiser, algum lanche, pois em dias quentes você poderá ficar com sede e não há como voltar.

Essa viagem teve o patrocínio de  Hotspots2c.

SOBRE O AUTOR

André Pain

Administrador atuando como auditor contábil em uma multinacional e viajante nas horas vagas, meu sonho de criança era conhecer o mundo. Hoje, meu maior prazer é ver isso se realizar toda vez que embarco para um novo destino.

Escreva um comentário