Rodízio em São Paulo na pandemia: vejas as novas regras e evite multas

0

Atualizado em 6 de abril de 2021

Rodízio em São Paulo

Se você está planejando viajar à capital paulista durante os próximos dias, é preciso estar atento para evitar multas. Devido à disseminação da Covid-19, as regras do rodízio em São Paulo foram alteradas no último dia 22.

A decisão anunciada no dia 18 deste mês, implementou um novo horário para o trânsito de veículos: das 20h às 5h, mesmo horário do toque de recolher decretado pelo governo do Estado. Para prevenir dores de cabeça, saiba mais sobre as placas, datas e horários permitidos para a circulação de veículos durante a fase emergencial da pandemia.

O que é o rodízio em São Paulo

O Programa de Restrição ao Trânsito de Veículos Automotores no Município de São Paulo, mais conhecido como rodízio, implantado em 1997, tem o propósito de diminuir o tráfego de carros nas principais vias da cidade, buscando minimizar a emissão de gases poluentes.

A restrição é feita de acordo com o final da placa do veículo, não permitindo a circulação em uma área delimitada, chamada Centro Expandido, como mostra a imagem abaixo:

Rodízio em São Paulo

Fonte: Prefeitura de São Paulo – Google Maps

Conheça a delimitação das vias:

  • Marginal do Rio Tietê, entre Avenida Salim Farah Maluf e Marginal do Rio Pinheiros;
  • Marginal do Rio Pinheiros, da Marginal do Rio Tietê até a Avenida dos Bandeirantes;
  • Avenida dos Bandeirantes, em toda a extensão;
  • Avenida Presidente Tancredo Neves, em toda a extensão;
  • Avenida das Juntas Provisórias, em toda a extensão;
  • Viaduto Grande São Paulo, em toda a extensão;
  • Avenida Professor Luís Ignácio de Anhaia Melo, entre viaduto Grande São Paulo e Avenida Salim Farah Maluf;
  • Avenida Salim Farah Maluf, em toda a extensão.

O rodízio durante a fase emergencial da pandemia

 Com o objetivo de reduzir a circulação de pessoas no período noturno durante a fase emergencial, o Rodízio Municipal de Veículos, que antes funcionava de segunda à sexta-feira, dividido em dois períodos: das 7h às 10h da manhã e 17h às 20h da noite, agora, passa a funcionar em período único: das 20h às 5h, incluindo sábados e feriados.

Placas proibidas de circular durante os seguintes dias e horários:

  • Placas com final 1 e 2: das 20h de segunda-feira às 5h de terça;
  • Placas com final 3 e 4: das 20h de terça-feira às 5h de quarta;
  • Placas com final 5 e 6: das 20h de quarta-feira às 5h de quinta;
  • Placas com final 7 e 8: das 20h de quinta-feira às 5h de sexta;
  • Placas com final 9 e 0: das 20h de sexta-feira às 5h de sábado.

Como funcionam as multas

 Ao ser flagrado trafegando durante a faixa horária proibida nas vias públicas delimitadas, o condutor será autuado e receberá uma multa de natureza média, no valor de R$130,16 e terá acréscimo de 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A multa também é válida para carros registrados em outros municípios que estiverem descumprindo as regras do rodízio em São Paulo.

Isenção para multas de rodízio

 Estão isentos de multas os veículos conduzidos por pessoas com deficiência (PCD), doença grave crônica que comprometa a mobilidade ou que estejam realizando tratamento continuado debilitante de doença grave. Para isso, o munícipe precisa preencher o formulário de cadastramento no Portal SP 156, presente no site da Prefeitura de São Paulo.

Documentação necessária para se cadastrar:

  • Cópia simples do documento de identidade oficial com foto (RG, CNH ou equivalente);
  • Cópia simples do Cadastro de Pessoa Física (CPF);
  • Atestado médico original ou cópia autenticada, contendo o Código Nacional de Doenças (CID), carimbo com nome, CRM e assinatura do médico responsável – O documento deve ser emitido no período máximo de três meses após a data do pedido;
  • Cópia simples do Certificado de Registro e Licenciamento do veículo (CRLV);
  • Para casos de deficiência intelectual ou de representação legal, deve ser anexada uma cópia do documento de identidade oficial com foto, assinatura e CPF do representante legal;

Há também outras situações em que determinados veículos são isentos de multas, são elas:

  • Transporte coletivo e de lotação;
  • Motocicletas e similares;
  • Táxis;
  • Transporte escolar;
  • Guinchos;
  • Ambulâncias, policiamento, corpo de bombeiros;
  • Defesa Civil;
  • Forças Armadas;
  • Fiscalização e operação de transporte de passageiros;
  • Serviço funerário;
  • Penitenciários;
  • Serviço dos Conselhos Tutelares;
  • Do Tribunal Regional Eleitoral e requisitados;
  • Transporte de materiais necessários a campanhas públicas, inclusive saúde, defesa civil e caráter social;
  • A serviço de “manutenção” ou “segurança” ferroviária e metroviária;
  • De atendimento a emergências químicas e ambientais;
  • Obras e serviços essenciais de redes de água/esgoto, energia elétrica, telecomunicações, gás canalizado;
  • Serviço de fiscalização, sinalização e apoio ao trânsito;
  • Coleta de lixo;
  • Obras, manutenção e conservação de vias – Zeladoria;
  • Correios;
  • Transporte de combustível aeronáutico e ferroviário;
  • Insumos ligados às atividades hospitalares;
  • Transporte de sangue e derivados, de órgãos para transplante e de material para análises clínicas;
  • Transporte de valores;
  • Escolta armada;
  • Veículos de reportagem, em cobertura jornalística;
  • Transporte de produtos alimentares perecíveis;
  • Veículos Urbanos de Carga;
  • Unidades móveis adaptadas para serviços médicos;
  • De manutenção e conservação de elevadores;
  • Pessoas com deficiência com comprometimento de mobilidade ou tratamento debilitante de doença grave;
  • Os movidos por energia de propulsão elétrica, a hidrogênio ou híbridos;
  • Médicos;
  • Corpo diplomático, corpo consular, organismos internacionais.

Caso seu veículo seja multado e o perfil não se enquadre em nenhum dos casos de isenção citados, é possível realizar o pagamento de multas em bancos ou casas lotéricas. Outra opção é contratar o serviço de um despachante credenciado ao Detran-SP.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

Escreva um comentário