Perrengue: uma longa viagem de réveillon

0

Atualizado em 8 de julho de 2015

O gaúcho Marco Ferraz tem a vida dividida entre Goiânia e Belém, onde dirige uma empresa de coaching e é na capital goiana que ele começou a sua odisseia rumo às praias capixabas. A poucos dias da virada do ano, ele resolveu que queria receber 2013 à beira-mar, mais precisamente em uma das praias de Vitória, a capital do Espírito Santo. Decidido, ele começou uma busca incansável por passagens aéreas, mas mal sabia que estava prestes a embarcar em uma viagem que duraria mais de 36 horas, passando por três capitais.

Faltavam exatamente cinco dias para a grande festa e as passagens aéreas estavam impagáveis e eu, em Goiânia, bem distante do mar pensava o que fazer. A vontade era tão grande que decidi ir de ônibus de Goiânia até Belo Horizonte em uma viagenzinha básica de 15 horas e, de lá, a minha intenção era tomar outro ônibus até Vitória”, conta.

Marco chegou a Belo Horizonte às 6h30 e, para seu desespero, descobriu que não tinha nenhuma passagem de ônibus ou de trem disponível para o dia 30 de dezembro, a data prevista para sua chegada a Vitória.

Nesse momento eu pensei: nem que seja de jegue ou de bicicleta, eu vou passar o réveillon em Vitória. Então, mais que depressa, joguei a mochila num hotelzinho daqueles bem basicão no Centro de Belo Horizonte e fui a uma agência de viagens e, depois de muito procurar, consegui uma passagem aérea com preço pagável. O problema era que eu faria uma conexão no Rio de Janeiro e partiria no dia seguinte para minha tão sonhada Vitória”, explica.

Como o voo do nosso viajante para o Rio de Janeiro partiria somente às 18h e eram ainda dez da manhã, ele aproveitou o limão e fez uma limonada, como ele mesmo nos conta.

Passei o dia andando pela capital mineira e tirei muitas fotos até o horário do meu embarque. Depois de algumas horas de voo, chegando ao Rio de Janeiro, teria que dormir no aeroporto ou arrumar um hotelzinho pra pernoitar. Como passei o dia batendo perna, tudo que eu mais queria era banho e cama. Fui então do Galeão para o Centro do Rio e fiquei num hotel daqueles pra pernoitar. Depois de uma batalha sangrenta com quatro baratas que disputavam o melhor lugar do quarto comigo, finalmente consegui tomar meu banho e dormir um pouco, mal sabendo que estava a poucos metros da melhor balada do Rio de Janeiro. Mas isso fica pra outra história”, lembra.

No dia seguinte, Marco acordou às 8h e voltou para o aeroporto embarcando às 10h para Vitória, aonde chegou por volta das 11h.

Já em terras capixabas, encontrei meus amigos e, finalmente, seguimos juntos até à grande virada na orla de Camburi. Foi um dos melhores réveillons que já tive na vida e, depois de toda essa odisseia, eu digo: isso é que é vontade de passar a virada de ano em Vitória”, comemora Marco.

viagem-de-reveillon-praia-de-camburi

A queima de fogos na Praia de Camburi, em Vitória.

viagem-de-reveillon-amigos

Marco e amigos logo depois de sua chegada em Vitória.

Marco Ferraz contou as suas peripécias durante uma longa viagem de Goiânia a Vitória. Saiba como participar contando suas histórias de viagem. Assim, você vira notícia e ainda incentiva muita gente a viajar mais e melhor.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

Escreva um comentário