Parques de Vitória, a cidade verde

0

Atualizado em 20 de fevereiro de 2018

Não há quem visite Vitória e que não perceba os seus jardins e as suas ruas arborizadas. Aliás, essas porções verdes espalhadas pela maioria dos bairros da capital capixaba são agradáveis características dessa ilha que surpreende quem a visita.

A capital do Espírito Santo é considerada uma das cidades brasileiras com maior área verde por habitante. Uma prova disso são os belos parques de Vitória. Salpicados pela cidade, eles têm infraestrutura adequada para receber turistas e moradores. São ideais para uma caminhada no fim de tarde ou para a prática de esportes. As crianças podem aproveitar os brinquedos e, com sorte, colher frutas das árvores.

Conheça algumas das principais áreas verdes da cidade e saiba o que você vai encontrar em cada uma deles.

Parques de Vitória

Parque Estadual da Fonte Grande | Essa área de preservação de remanescentes da Mata Atlântica tem 260 hectares e seu ponto mais alto ultrapassa 300 metros. Esse é um lugar que eu não canso de visitar. As descobertas  por aqui sempre são incríveis, a começar pela vista da Baía de Vitória, de parte do manguezal, da Terceira Ponte e das montanhas que cercam a capital capixaba. Dá para ver o Mestre Álvaro, na Serra; o Morro do Moreno, em Vila Velha; e o Mochuara, em Cariacica.

A vida no parque é abundante. Da insignificante lagarta até o casulo que se abre borboleta, ela revela os seus segredos. Pelas trilhas é possível perceber que a natureza é realmente generosa. Ela nos premia, a cada dia, com a sua beleza e o seu encanto. A Torre de Televisão – como também é conhecido o parque – está localizada no Maciço Central da Ilha de Vitória. Ela é composta pelos morros da Fonte Grande, Mulundú, Santa Clara, Pedra do Vigia, Bastos e Pedra dos Olhos.

O caminho para quem vai de carro é feito pela Rodovia Serafim Derenzi ou pela Estrada Tião Sá, no bairro Grande Vitória. A pé, você pode chegar ao Parque passando pela Rua Antônio Dell Antonia, em Fradinhos, ou pela Rua Alziro Viana, no Centro. O agendamento é necessário para as visitas monitoradas. De terça a domingo, das 8h às 17h.

Parques de Vitória

Vista do parque: o Morro do Moreno e o Convento da Penha, no fundo.

Deques com vistas fantásticas e trilhas mata adentro no na Fonte Grande.

Deques com vistas fantásticas e trilhas mata adentro no Fonte Grande.

Parque Moscoso | No coração do centro da capital, esse é o parque mais antigo da cidade. Aqui, as atrações são os lagos cheios de peixes e os riachos artificiais. O clima bucólico é completado pelos moradores que o frequentam há décadas. Você pode chegar ao Parque Moscoso pela Avenida República. Segunda, das 5h às 9h e das 17h às 22h, e de terça a domingo, das 5h às 22h.

Parque Pedra da Cebola | Com mais de 100 mil metros quadrados, o parque tem jardim oriental e uma bela vista da parte norte da capital. Construído onde funcionava, até 1978, uma pedreira, o parque foi a primeira experiência de recuperação de uma área degradada da cidade.

O curioso nome do parque se deve a uma formação rochosa que – segundo alguns – se assemelha a uma cebola. Porém, há uma explicação geológica para o nome: devido à sua composição, a pedra se descama como uma cebola.

Para chegar ao Parque Pedra da Cebola, você pode seguir pela Avenida Fernando Ferrari. Depois, entrar na Rua Ana Vieira Mafra, que fica em frente à Universidade Federal do Espírito Santo, Ufes. Há ainda um acesso pela Avenida Desembargador Dermival Lyrio, em Mata da Praia. Segundas, das 5h às 9h e das 17h às 22h, e de terça a domingo, das 5h às 22h.

Parques de Vitória

A Pedra da Cebola.

Parques de Vitória

A vida no parque.

Parque Botânico Vale | Esse parque está dentro do Complexo Industrial de Tubarão. A reserva de Mata Atlântica, logo no final da Praia de Camburi, sempre será um convite para descobertas. A área total do parque equivale a 33 campos de futebol e pode ser percorrida pelas trilhas que levam mata a dentro. Eu escolhi a Trilha da Mata Ciliar, que margeia o belo lago que nos recebe logo na entrada.

O Parque Botânico Vale tem mais de 140 espécies de árvores identificadas. Você vê o pau-brasil, o jacarandá e o ipê, e mais de 130 espécies de orquídeas. Além delas, pequenos animais silvestres habitam a região. Uma das atrações imperdíveis é o Jardim Sensorial. Nele, o visitante tem os seus sentidos estimulados e desafiados. Aqui se criam oportunidades para a aprendizagem sobre cores, plantas e animais, entre outros elementos da natureza.  O acesso ao parque é feito pela Avenida dos Expedicionários, em Jardim Camburi. De terça a domingo das 8h às 17h.

Placa de identificação no Parque Botânico Vale.

Placa de identificação no Parque Botânico Vale.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

Escreva um comentário