As melhores opções do que fazer em Bonito

0

Atualizado em 19 de abril de 2018

Muito mais do que carregar um nome promissor, essa cidade leva consigo a fama e os ótimos resultados de ser o destino brasileiro número um de ecoturismo. Nessa terra de águas cristalinas e natureza exuberante, há tantas atividades que seria impossível descrever tudo o que fazer em Bonito. Então, para lhe ajudar, eu listei aquelas que mais gostei.

Porém, antes de passar para as minhas sugestões, quero esclarecer que realmente Bonito não é um dos destinos mais econômicos do país. Não se preocupe, existem opções baratas para você aproveitar as maravilhas dessa terra. Eu sugiro que você dê uma olhada em todos os meus posts sobre Bonito.

O que fazer em Bonito e região

Trilhas e cachoeiras | Há muitas ótimas trilhas para fazer em Bonito. Quase todas ficam em fazendas que se abriram para receber o turista. Assim, elas têm sinalização e métodos de segurança que fazem do seu passeio mais tranquilo. Além disso, todos os roteiros devem ser feitos com a presença de um guia local. Eles são treinados e acostumados com o terreno e com a rotina do lugar.

Há caminhadas de diferentes níveis e você poderá escolher a que melhor lhe agradar. Mas o mais gostoso são as paradas nas cachoeiras onde podemos nos refrescar e ser revigorados com essa energia natural.

O belíssimo Poço da Lontra.

A Cachoeira Boca da Onça.

Eu estive na Fazenda Boca da Onça, uma propriedade particular que há 15 anos começou a receber turistas. São mais de 2.000 hectares de mata preservada para explorar. Aqui, em quatro quilômetros de caminhada, eu encontrei pelo menos dez cachoeiras. A Boca da Onça fica entre elas e é a mais alta queda d’água do Mato Grosso do Sul, com 156 metros.

Em Jardim, a poucos quilômetros de Bonito, eu mergulhei na natureza preservada da Estância Mimosa, fazenda que se dedicava exclusivamente à produção de gado até o ano 2000, quando abriu suas porteiras para o ecoturismo. Aqui, a trilha me levou a onze belíssimas cachoeiras que escorrem da correnteza do Rio Mimoso.

O barquinho que nos leva até a Cachoeira do Surucuá.

O que fazer em Bonito

Um banho pra lavar a alma.

Flutuação nos rios | Uma das atividades mais procuradas em Bonito é a flutuação em seus muitos rios cristalinos onde nadam livremente piraputangas e tantas outras espécies de peixes e mamíferos. Nessa atividade o barato é relaxar e deixar a correnteza nos levar.

Eu experimentei como é nadar nas águas dos rios que cortam o Recanto Ecológico Rio da Prata, uma fazenda com mais de 1.580 hectares sendo que 307 fazem parte de uma área protegida ambientalmente.

A água é cristalina e cheia de peixes.

Chegando bem perto da cratera.

Outra experiência boa foi a flutuação no Rio Sucuri. Logo ao entrar na água, eu vi um imenso cardume de peixes e num ritmo bem lento, eu desci por cerca de 1.800 metros levado pela correnteza. Durante todo esse percurso o grupo de nove pessoas onde estava foi acompanhado por um barco de apoio e por um guia local.

No primeiro mergulho vejo um cardume de piraputangas.

Dica: use o colete salva-vidas para lhe ajudar a flutuar sem esforço.

Apesar de não ser exatamente uma flutuação, não deixe de passar no Balneário Municipal. Ele é a opção mais barata de Bonito e também muito interessante. Bom, nada melhor do que ver as fotos para você se interessar ainda mais, não é mesmo?

Os peixes chegam bem perto da gente sem qualquer medo.

Nadando acompanhado de piraputangas.

Arvorismo, stand up e boia cross | Para quem quer mais aventura e adrenalina eu indico o arvorismo e o boia cross para fazer em Bonito. No Hotel Cabanas, eu encontrei um circuito de arvorismo com 18 diferentes obstáculos, sendo duas tirolesas de 60 metros de comprimento cada. Começando a uma altura de três metros, o percurso de quase 400 metros chega aos 15 de altura. No Parque Rio Formoso eu fiz stand up paddle em um lago bem perto da sede da fazendo. Essa é mais uma opção pra você;

Um dos mais legais é esse: você vai caminhar por um único cabo de aço a 15 metros de altura.

o-que-fazer-em-bonito-01

O boia cross do Hotel Canabas.

O stand up no Parque Rio Formoso.

O stand up no Parque Rio Formoso.

Grutas e cavernas | No interior da Gruta São Miguel eu percorri uma trilha bem delineada de aproximadamente 200 metros. Dentro daquela imensidão subterrânea, todo cuidado era pouco: eu não podia tocar em nada, apenas admirar. Tal cuidado se dá devido à fragilidade de tudo ao meu redor: um descuido meu pode destruir algo que demorou séculos para ganhar forma.

Planeje sua viagem a Bonito e região

Quando ir | A melhor época para visitar Bonito e região é entre março e maio, quando as cachoeiras estão mais caudalosas e a vegetação bem verdinha. A estação chuvosa vai de dezembro a março. Nessa época, com as chuvas, os passeios podem ser desmarcados e a água do rio fica turva. A estação seca vai de maio e agosto. Nessa época os rios estão mais cristalinos e com mais peixes, porém esse é também um período em que podem ocorrer queimadas e a temperatura da cidade cai. É comum fazer calor durante o dia e frio à noite.

Como chegar | Há várias opções para chegar a Bonito. Veja esse post com todos os detalhes.

Onde ficar | Construído em uma agradável área verde, o Hotel Pousada Águas de Bonito é uma excelente opção para você desfrutar seus dias em Bonito. Bem pertinho do Centro – apenas 1,2 quilômetro -, ele tem uma excelente estrutura com spa, academia, restaurante e uma agência que vende todos os passeios da região. Ah, não deixe de experimentar a merenda pantaneira que é servida diariamente nos finais da tarde. Eu explico como é se hospedar no Águas de Bonito neste post.

Não basta ver, tem que mergulhar. Não é?

Chegar cansado e deitar nas redes no meio da tarde é o que há.

Veja todos os posts de Bonito

Minha viagem teve o patrocínio de Hotel Águas de Bonito.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

Escreva um comentário