Como e onde comer pato de Pequim

1

Atualizado em 15 de abril de 2020

Em minha primeira viagem à China, não tive coragem de provar muitos pratos típicos, mas, depois de comer pato de Pequim, ele ganhou o posto de favorito. Para você entender um pouco melhor isso, leia: Onde e o que comer em Pequim.

Eu pesquisei sobre os restaurantes da cidade que serviam essa especialidade, e decidi ir a um dos mais tradicionais – o Dadong Roast Duck. Ele fica no Jinbaohui Shopping Center, no distrito de Dongcheng, bem perto do hotel em que estava hospedada.

Reserve já o seu hotel em Pequim e garanta os melhores preços.

Era necessário fazer uma reserva por telefone, já que o restaurante não tem site. Só que eu era marinheira de primeira viagem na China, e não sabia me comunicar muito bem, ainda mais pelo telefone. Então, pedi ajuda ao concierge do hotel.

O tradicional pato de Pequim

Os patos antes de irem para o forno.

Prontamente, a reserva foi feita para o almoço do dia seguinte – acredito que não seja preciso reservar com muita antecedência, pois o restaurante é bem grande.

O atendimento é muito bom e o cardápio é excelente, com várias opções de pratos quentes, frios e sobremesas. Como meu orçamento era um pouco limitado, pedi somente o pato.

Como comer Pato de Pequim

O pato laqueado custa cerca de CNY 198 e vem com pães, panquecas e molhos. O serviço é um charme a parte. Primeiro, vem um garçom com o pato inteiro e corta ele na sua frente. Ele separa o peito e as coxas e sobrecoxas em fatias bem finas.

Depois, outra garçonete explica como comer: ela enrola pedaços do pato e um pouco de cada um dos acompanhamentos numa panqueca bem fininha fazendo uma espécie de wrap delicioso.

Não preciso dizer que eu adorei, né? Comi tudo e fiquei com vontade de pedir outro. Com certeza, o tradicional Pato de Pequim é uma das especialidades chinesas preferidas.

No final, eles ainda servem uma frutinha bem saborosa, chamada zăo – ou jujuba, em português – envolvida no gelo seco, como sobremesa.

Veja todos os posts de Pequim

SOBRE O AUTOR

Ana Giulian

Servidora federal e fotógrafa nas horas vagas, sempre gostei de conhecer lugares e culturas diferentes. Comecei a desbravar o mundo pela Itália e, depois, fui parar na China. Os próximos destinos são desconhecidos, mas a meta é desbravar os cinco continentes.

1 comentário

Escreva um comentário