Visto para Malta agora permite estudo e trabalho

0

Atualizado em 14 de maio de 2018

Se você está planejando fazer um intercâmbio em Malta, preste muita atenção nesta novidade. É que a partir deste mês, algumas mudanças em relação ao visto para Malta entraram em vigor. A principal – e mais importante para quem pretende estudar neste país europeu – é que brasileiros poderão estudar e trabalhar, desde que estejam matriculados em um curso de, no mínimo, 12 semanas.

Com essa mudança no visto para Malta, o destino se torna ainda mais atrativo para quem quer estudar inglês ou fazer um curso superior fora do Brasil. Além de ser um país diferente e com ótimo custo-benefício, agora é possível juntar uma grana durante sua estadia. Isso não é fantástico?

Ah, é importante saber que quem preencher esse requisito, poderá trabalhar até 20 horas semanas, mas só depois dos primeiros três meses de estudo. Quem pedir o visto para Malta com a intenção de fazer um curso superior, pode trabalhar a mesma quantidade de horas, mas só a partir do primeiro ano de estudo.

Quem precisa do visto para Malta?

Vale lembrar que turistas brasileiros não precisam de visto para entrar no país. Quem for fazer um curso de curta duração, de no máximo três meses, também está isento de visto. Mas, eu preciso lembrar que não é permitido trabalhar neste período.

Oficialmente nomeado como República de Malta, o destino é composto por três ilhas maltesas no meio do Mar Mediterrâneo. A principal, que leva o nome do país, é a sede da capital, Valletta. As outras duas são Gozo e Comino, mas existem ainda sete ilhas no arquipélago que não são habitadas.

Além de misturar prédios históricos com belezas naturais de tirar o fôlego, conseguir o visto para Malta e colocar os pés na ilha é garantia de visitar um destino diferente e, o melhor, mais barato do que muitos outros queridinhos da Europa. Era aqui que ficava a famosa janela azul, que com a ação do vento e do mar acabou sendo derrubada. Mas, você ainda pode visitar sítios históricos e simplesmente morar em uma ilha paradisíaca na Europa.

Para você ter uma ideia dos encantos deste país, eu sugiro que você leia: Dicas para uma viagem a Malta, e consulte a WorldStudy, empresa que escolhi para fazer meu intercâmbio no Canadá.

Estudo e trabalho

Além de Malta, você também consegue trabalhar legalmente em vários outros países. Na Irlanda, por exemplo, no período de férias do curso, sua carga horária de trabalho pode ser de 40 horas semanas. Na Nova Zelândia o esquema é o mesmo, mas, durante as férias, você pode trabalhar quantas horas quiser. No Canadá também é possível, mas um curso de idiomas não basta. Lá, é preciso estar matriculado em cursos chamados vocacionais, como administração, marketing, design, entre outros.

Foto de capa: sky_hlv

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

Escreva um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.