Mato Grosso: boia-cross em Bom Jardim

2

Atualizado em 14 de julho de 2014

Eu já contei que o pequeno distrito de Bom Jardim, a 145 quilômetros de Cuiabá, tem muitos atrativos naturais que se aproximam da riqueza que é Bonito, no Mato Grosso do Sul. Mas, se por lá os preços podem te fazer desanimar e pensar duas vezes antes de comprar a passagem, do lado de cá isso não será problema e, além disso, você vai se divertir da mesma forma.

Bom Jardim é um daqueles lugares que parecem nem mesmo existir no mapa: não há bancos, celulares não funcionam e tudo – tudo mesmo – parece estar sob o controle de poucas famílias. Apesar disso, existe uma pontinha de modernidade por aqui: você vai poder usar internet sem fio nas pousadas e restaurantes da cidade.

Entretanto, de uma forma geral, quem vem pra esse cantinho do Mato Grosso não está nem aí para conexões e mobilidade. Com tanta coisa bonita ao redor, tudo o que mais precisamos é aproveitar o nosso tempo com o que está disponível: um banho de cachoeira, um mergulho no lago azul e uma descida de rio a bordo de boias, que aqui eles apelidaram de boia-cross.

O circuito do boia-cross tem 1.800 metros de descida e fica no Duto do Quebó, a 35 quilômetros da sede de Bom Jardim. A descida pelo Rio Quebó, com suas águas transparentes e confortáveis, não exige muitos cuidados além dos equipamentos básicos de segurança: colete, sandálias, capacete e um mastro para evitar que a correnteza nos arremesse contra barrancos e raízes.

boia-cross-em-bom-jardim-01

Depois de orientados, descemos o rio um a um.

boia-cross-em-bom-jardim-04

As primeiras curvas: tudo tranquilo.

 

boia-cross-em-bom-jardim-05

Saída da Caverna da Cerquinha: 280 metros de escuridão absoluta. Foto: Fernando Fernandes

boia-cross-em-bom-jardim-07

Cruzando a Caverna da Cerquinha. Foto: Fernando Fernandes

Depois das instruções, um a um descemos rio abaixo. Um dos momentos mais esperados é quando cruzamos a Caverna da Cerquinha onde não conseguimos enxergar um palmo adiante. Munidos de uma lanterna – segurada com a boca – desfilamos entre morcegos até que a luz apareça na outra extremidade do túnel, a cerca de 280 metros adiante.

Mas se a adrenalina da descida não for o suficiente, não se esqueça de olhar para o fundo do rio onde nadam livremente dezenas de espécies de peixes e outros animais, alguns deles não tão muito desejados por turistas como cobras e jacarés, que apesar de raros, já apareceram por aqui.

Planeje seu passeio de boia-cross em Bom Jardim

Quanto custa | Nas agências que funcionam na sede de Bom Jardim o passeio custa R$ 55. É possível ir direto ao local, sem passar pelas agências, mas e valor cobrado será o mesmo.

Como chegar | O Duto do Quebó fica no Setor Cerquinha, mas como o local é de difícil acesso, a melhor forma de chegar aqui é vir acompanhado de um guia. O serviço está incluído na tarifa paga às agências. Geralmente o transporte não está incluso no valor. O Vitor Carlos, da Vine Tour, faz o transporte. Para consultar valores e datas disponíveis entre em contato pelo email [email protected]

Onde comer | Uma boa pedida é combinar um almoço por aqui. Preparado na hora, ele tem arroz com pequi, carne seca, galinhada, farofa de banana e custa R$ 20.

boia-cross-em-bom-jardim-06

A vida no Duto do Quebó. Foto: Fernando Fernandes

boia-cross-em-bom-jardim-02

Os equipamentos de segurança

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

2 Comentários

  1. Avatar
    Rozimar de Campos on

    Muito bom o blog. Me animei a conhecer o lugar. Apesar de não saber nadar bem, parece que este programa é perfeito para quem quer estar em contato direto com a natureza e a beleza do lugar. Obrigada pelas dicas.

Escreva um comentário