Cracóvia: uma cidade polonesa transformada em suas lendas

2

Atualizado em 18 de julho de 2022

Lendas de Cracóvia: uma cidade transformada por mitos

A Praça do Mercado – Rynek Główny, em polonês –, na Cracóvia, é dividida ao meio por um prédio de belas arcadas, onde funcionava uma fábrica de tecidos no Século 19. Além de abrigar uma pinacoteca, o local guarda um símbolo das muitas lendas de Cracóvia: uma faca enferrujada, que teria sido usada em um suposto assassinato, presa à parede.

De um lado do prédio, fica a torre gótica da antiga prefeitura e, do outro, a Igreja de Santa Maria, construção medieval cercada de mitos. De hora em hora, do alto do templo, um corneteiro começa a tocar certa melodia, que é bruscamente interrompida.

O estranho ritual é realizado desde o século 13, e, com ele, a cidade relembra o dia em que um sentinela avistou, da torre mais alta da igreja, uma invasão tártara, e avisou a população com o som de sua flauta. Embora tenha sido mortalmente atingido, graças a ele, a cidade pôde de preparar para resistir ao cerco.

Esta não é, entretanto, a única lenda ligada ao templo onde João Paulo II pregava seus sermões antes de se tornar papa. Dizem que, há alguns séculos, dois famosos irmãos arquitetos foram encarregados de construir, cada um, uma torre na igreja. Porém, eles levaram isso a uma verdadeira competição, de tal modo que, ao perceber a torre do outro com uma estrutura mais forte, capaz de se elevar acima da sua, o mais velho matou o irmão a punhaladas, e, em seguida, jogou-se do alto da edificação.

Lendas de Cracóvia: uma cidade transformada por mitos

Embora, para alguns habitantes de Cracóvia, isso seja uma lenda inventada depois da Segunda Guerra Mundial para atrair turistas americanos, a verdade é que a faca usada no assassinato ainda se encontra na Praça do Mercado.

Lendas de Cracóvia: uma cidade transformada por mitos

Outras lendas de Cracóvia

Claro que a faca que vemos hoje não é tão antiga quanto a própria Igreja de Santa Maria: sempre que roubam a que está presa aos muros da antiga fábrica de tecidos, alguém se encarrega de colocar outra no mesmo local.

Deixando a Praça do Mercado, você vai se deparar com antigos prédios de largas bases inclinadas e ruas de pedra delimitadas por um jardim que rodeia toda a parte histórica da cidade. Antigamente, tratava-se das muralhas que protegiam o burgo, das quais só restou o Barbakan, um forte circular na altura do Portão de São Floriano, por onde desfilavam os exércitos da cidade.

Lendas de Cracóvia: uma cidade transformada por mitos

Numa das extremidades do jardim, a gente vê o misterioso Collegium Maius – onde estudou Nicolau Copérnico –, cujas dependências bem conservadas guardam a reprodução de um laboratório de alquimia.

Não muito distante dali, ergue-se o Monte Waweł e o castelo de mesmo nome, antiga residência dos reis poloneses. Sua catedral, tida pelos místicos como um dos pontos magnéticos da terra, reverbera um notável teto dourado e guarda o túmulo de muitos monarcas.

Lendas de Cracóvia: uma cidade transformada por mitos

Como ainda se trata da antiga capital polonesa – a atual, como você sabe, é Varsóvia –, sempre há espaço para mais uma lenda: acredita-se que certo dragão, símbolo da cidade, dorme um sono secular nos sombrios porões do castelo, justificando, talvez, toda a magia desta cidade no imaginário das pessoas que a visitam.

Informações Básicas
Visto | Brasileiros não precisam de visto e o período de permanência é de até 90 dias, podendo ser prorrogado para mais 90 dias.
Documentos | É necessário apresentar um passaporte com validade mínima de seis meses, após a data da saída do país, e com uma página em branco.
Dinheiro| A moeda da Polônia é o złoty, identificado pelas siglas PLN e zł. Para sua viagem, leve euros e troque nas casas de câmbio. 
Vacinas | Nenhuma vacina específica é exigida, independentemente do motivo da viagem e da idade do viajante. 
Seguro viagem| O seguro viagem é obrigatório e, sem ele, você pode ser impedido de entrar no país. Veja quanto custa o seguro viagem.
Covid-19| Nenhuma restrição se aplica em relação à covid-19, não sendo mais obrigatório apresentar o certificado de vacinação ou testes negativos.

INFORMAÇÕES SOBRE COVID-19

Desde 28 de março de 2022, não há restrições de entrada na Polônia relativas à pandemia de covid-19, o que significa que já não é necessário apresentar o certificado de vacinação ou teste negativo.

Com a medida, todos os viajantes internacionais não estarão sujeitos a quarentena. Também não é mais obrigatório preencher o Formulário de Localização de Passageiros (eKLP) antes de chegar ao país.

RETORNO AO BRASIL

De acordo com informações da Anvisa, viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

SEGURO VIAGEM

O seguro viagem  é obrigatório para todos os países europeus  que fazem parte do Tratado de Schengen: a Polônia é um deles.

Sem o seguro, você pode ser impedido de entrar no país. E tem mais: há uma cobertura mínima de EUR 30.000. Portanto, você precisa informar para qual – ou quais – país vai viajar antes de comprar o seguro.

Eu sempre indico o Seguros Promo, um site que compara os preços de várias seguradoras e nos mostra os melhores valores para cada cobertura.

Além disso, nem todos os países têm um sistema de saúde público e gratuito. Na verdade, na maioria deles, viajantes estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita. Por isso, é muito importante ter o seguro internacional de saúde – também chamado de seguro viagem.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

Você já imaginou quanto custa um tratamento médico para esses casos em outros países? Dependendo da gravidade, o atendimento pode custar milhares de dólares, podendo gerar sérias dificuldades financeiras para você e seus familiares para o resto da vida.

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

DINHEIRO NA POLÔNIA

A moeda da Polônia é o złoty, identificado pela sigla PLN e pelo símbolo zł, e raramente você vai encontrá-la nas casas de câmbio do Brasil. Portanto, a sua melhor opção é viajar com euros e fazer a troca quando chegar à Polônia. Eu sugiro que você troque, pelo menos, um pouco de dinheiro no aeroporto para usar nas despesas imediatas, como no transporte público.

Você pode trocar facilmente o seu dinheiro na Polônia, em grandes e pequenas cidades, mesmo que seja na recepção de um hotel – só em último caso. As casas de câmbio – identificadas com a palavra Kantor – aceitam praticamente todas as principais moedas estrangeiras, menos o real. Elas geralmente funcionam das 9h às 19h, nos dias úteis, e até às 14h, aos sábados.

Você pode usar o seu cartão para fazer saques de dinheiro na Polônia. Mas, para isso, você pagará uma taxa – que varia de acordo com o banco -, além do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 6,38%. É importante lembrar que o seu cartão precisa estar desbloqueado para uso no exterior. Para isso, você deve solicitar a liberação em sua agência ou no aplicativo do banco.

As bandeiras de cartão de crédito e débito mais comuns – MasterCard, Visa, American Express e Diners – são aceitas amplamente no comércio polonês, mas, em cidades menores, é sempre bom perguntar antes de qualquer coisa.

Ao consumir algo em um bar ou restaurante, é recomendado dar uma gorjeta de 10% sobre o valor total da conta. O mesmo vale para táxis e outros serviços.

Ficou mas fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, é só deixar suas pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Polônia.

Veja mais dicas da Polônia