Haifa, uma cidade cultural 

2

Atualizado em 2 de janeiro de 2019

Quando alguém fala de Israel, logo pensamos em Jerusalém e no medo de viver em uma região instável politicamente. Só que, ao contrário, eu achei Israel um dos países mais seguros que já visitei. País que transborda cultura, belezas incomparáveis é uma culinária de tirar o chapéu. Foi exatamente isso que encontrei em Haifa, cidade perfeita para fugir um pouco da agitação de Tel Aviv.

Vir a Israel e não conhecer Haifa é deixar de conhecer uma das principais cidades do país. Aqui, judeus, árabes e cristãos convivem bem e, o mais interessante, em conjunto.

Haifa é uma cidade litorânea, que fica na porção centro-norte de Israel. Nela, está um dos principais portos do país e, também por isso, é uma cidade de alto padrão. Resumindo: é uma cidade rica.

Mas seu grande tchan é que essa riqueza não se restringe aos cifrões que por aqui circulam. Haifa tem uma das universidades mais importantes de Israel, a Universidade de Haifa, com prédios modernos e com uma arquitetura incrível. No contexto do país, essa universidade é um polo de disseminação da paz e de agregação de outras culturas e formas de pensamento.

Haifa, uma cidade cultural 

As construções mais tradicionais da cidade.

Haifa, uma cidade cultural 

A vista do mar Mediterrâneo.

Jardim de Baha’i

Haifa tem um ar de cidade grande, mas que cultiva um aspecto gostoso de cidade pequena. As pessoas são solícitas e têm prazer em ajudar aos turistas. Eu conheci vários lugares, mas o principal foi o Jardim de Baha’i. Pense num jardim fenomenal. É o Baha’i! Sem dúvida, um dos locais mais belos que pude conhecer em todo Israel.

Mas você deve estar se perguntando o que é Baha’i, não é mesmo? Bahá’u’lláh foi o fundador do bahaísmo – também chamada de Fé Baha’i -, religião baseada nos três aspectos mais positivos do cristianismo, do judaísmo e do islamismo.

Os jardins são verdadeiros paraísos arquitetados planejados dentro de uma vertente persa. Pelo mundo, há vários jardins Baha’i e são todos considerados santuários, mas o de daqui é especial: aqui, está o mausoléu de seu fundador, Bahá’u’lláh.

Uma construção imponente se ergue no meio do jardim e, assim, não é difícil identificá-la. Na verdade, parece que a cidade inteira tem o jardim como ponto de encontro.

Infelizmente, não é permitida a entrada no jardim, mas dá para ver quase tudo das muretas baixas e através dos portões. Por se tratar de um santuário Baha’i, a entrada fica vetada aos que não são adeptos a fé. Além disso, neste jardim se encontra o túmulo do fundador da religião.

Praias do Mediterrâneo

Haifa não é só jardim e univerdiade. As praias do norte de Israel são paradisíacas e valem uma visita. Mas que preciso dizer que, no verão, as águas quentes atraem uma boa quantidade de medusas e águas vivas. Então, é bom ter cuidado. Eu tive três queimaduras leves, nada preocupante.

Aqui vale o registro da Praia do Carmelo, uma praia fenomenal, águas cristalinas e muita gente bonita. É circundada de bons hotéis, que proporcionam um vislumbre do Mediterrâneo. Particularmente, esta praia tem uma beleza já em seu calçadão, em que há vários jardins com flores e espécimes diferentes de plantas que decoram e ornamentam a orla.

Planeje sua viagem a Haifa

Quanto custa | Por ser uma cidade com um alto custo de vida, a hospedagem é cara. Quanto à alimentação, a cidade segue o padrão israelense, com gasto médio de NIS 80 por dia.

Quando ir | Haifa é uma cidade litorânea e com um clima quente de verão o ano todo, então, você já pode imaginar que aproveitar os dias de sol por aqui é ótimo.

Como chegar |De trem, é possível chegar aqui saindo de Tel Aviv pela Estação Tel Aviv-Savidor Center e chegando pela Estação Haifa-Bat Galim. O bilhete para adultos custa NIS 27,50. Os trens partem a cada meia hora.

De ônibus, você pode chegar aqui partindo de várias cidades de Israel. A partir de Tel Aviv, a saída é da Estação Central, piso sete, com destino à estação Central Hof Karmel, em Haifa. A passagem custa NIS 21,50.

Onde ficar | A parte mais atraente em Haifa é a faixa costeira. Aqui, estão os hotéis mais importantes da cidade, além do centro financeiro e comercial. Como falei, os preços são bem altos, então, minha sugestão é se hospedar em um hostel ou kibutz nas proximidades, e passar o dia em Haifa. Assim, seu o custo será menor. Veja as melhores opções de hospedagem na cidade.

SOBRE O AUTOR

Estevão Pires

Futuro economista que gosta de uma boa experiência gastronômica e de desbravar o desconhecido, sempre quero ultrapassar meus limites. Meu maior sonho é conhecer novos lugares e, se for acompanhado de um bom azeite e uma boa comida, melhor ainda.

2 Comentários

  1. Avatar

    Uau! Que lugar diferente. Israel realmente vem me conquistando muito de uns tempos para cá. Mas confesso que eu sou do time que tinha muito medo de visitar a cidade (e isso porque eu moro no Rio de Janeiro rsrs… ). Que bom saber dessa opção de passeio. E diga-me algo: como é a temperatura da água? O pessoal toma banho de mar normalmente? A praia é frequentada pelos locais? Biquínis são permitidos? Fiquei curiosa rsrs…
    Abraços,
    Lily

    • Altier Moulin

      Olá, Lily.

      Israel é muito seguro e não precisa ficar com medo.
      No verão israelense as praias são muito frequentadas por residentes e turistas. Israel é um país que recebe gente de todas as partes do mundo, então há pessoas que usam biquínis, sungas, bermudas, maiôs. A vestimenta de banho não deve ser bloqueio para aproveitar as águas quentinhas do Mediterrâneo, mas volto a lembrar que no verão há varias medusas e águas vivas no litoral israelense.

      Um abraço.

Escreva um comentário