Conheça os museus de Vila Velha

4

Atualizado em 21 de fevereiro de 2018

Vila Velha é a primeira cidade do Espírito Santo. Foi nessa terra que chegou o donatário português Vasco Fernandes Coutinho acompanhado dos 60 marinheiros da caravela Glória. De lá pra cá, a cidade tem sido a testemunha mais íntima de uma história que se desenrola dia após dia. História essa que está registrada nos prédios, nas igrejas e nos museus de Vila Velha.

Então, quando estiver por essas bandas, não hesite em incluir no seu roteiro uma visita aos principais museus da cidade. O roteiro que quero lhe sugerir pode ser feito na metade de um dia, sem correria e aproveitando o melhor que cada um deles pode lhe oferecer.

Uma boa pedida é combinar esse passeio com uma visita ao Convento da Penha, o ponto turístico mais visitado do Espírito Santo. Todas as informações que você precisa para organizar o seu passeio ao convento estão aqui.

Considerando, então, que você concluiu a sua visita ao Convento na Prainha, onde está a entrada para a Ladeira de Penitência e a gruta que serviu de moradia para frei Pedro Palácios, comece sua viagem pelos museus de Vila Velha fazendo uma visita à Casa de Memória.

Os principais museus de Vila Velha

Casa de Memória | Como o próprio nome diz, aqui estão expostos objetos e imagens que resgatam a memória dos primeiros tempos da cidade. O destaque vai para utensílios utilizados pelos navegadores portugueses e o bondinho que circulava pela cidade. Rua Luciano das Neves, Prainha. De segunda a sexta, das 8h às 18h. Entrada gratuita.

museus-de-vila-velha-07

Fachada da Casa de Memória.

museus-de-vila-velha-15

O bondinho que circulava na cidade.

museus-de-vila-velha-08

Utensílios utilizados pelos navegadores portugueses.

Museu Homero Massena | O museu funciona na antiga casa desse artista plástico que alcançou fama, apesar de sua simplicidade. Já na varanda, você vai notar que Homero percebia a vida de uma forma diferente. Ao lado de quadros que mostram um artista divertido e sorridente, uma frase inteligente me chamou atenção: “se tivesse que escolher o lugar para morrer, escolheria Vila Velha ou Paris”.

Entrando na casa, ao lado da sala simples está o atelier de Massena. Nele ainda repousa sobre o cavalete sua última obra, ainda inacabada. No quarto simples, as camas do casal ocupam lados opostos de uma penteadeira que ainda guarda objetos pessoais de Homero e dona Edy. Rua Antônio Ferreira Queiroz, 281, Prainha. De segunda a sexta, das 8h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 8h às 14h. Entrada gratuita.

museus-de-vila-velha-10

A imagem de um artista extrovertido.

museus-de-vila-velha-09

Fachada do museu.

museus-de-vila-velha-14

O quarto de Homero e Edy.

museus-de-vila-velha-13

Inacabada: a obra que foi interrompida pela morte do artista.

museus-de-vila-velha-11

A caixa de pintura de Homero Massena.

Museu Garoto | O museu que conta a história da maior fábrica de chocolates da América Latina ocupa uma sala do prédio que fica em frente à loja da fábrica da Chocolates Garoto. Aqui, os monitores nos contam como surgiu a fábrica de balas que ficou famosa por seus principais vendedores: foram os garotos que carregavam tabuleiros cheios de doces pelas ruas que fizeram a fama da marca.

No museu, você vai conhecer máquinas antigas, as primeiras embalagens e fazer uma viagem em sua própria memória relembrando produtos clássicos que já não são mais produzidos. Para visitar o museu é preciso subir três andares de escada. De segunda a sexta, de 9h as 16h30. O passeio guiado começa a cada 30 minutos. Entrada gratuita.

museus-de-vila-velha-06

A primeira caixa de bombons sortidos.

museus-de-vila-velha-18

Os primeiros produtos da marca Garoto.

museus-de-vila-velha-05

As balas que fazem parte de nossa memória.

museus-de-vila-velha-17

Uma das antigas máquinas da fábrica.

Museu Vale | Esse museu reconta o processo de construção da Estrada de Ferro Vitória a Minas, incluindo uma gigantesca e impressionante maquete onde circulam miniaturas dos trens de carga e de passageiros. Não saia daqui sem observar os detalhes da maquete. Dá para ver casais namorando sob as árvores, burro empacado sobre uma pequena ponte, motociclista fazendo artimanhas com sua moto e detalhes preciosos nas construções.

O museu funciona no imponente prédio da antiga estação Pedro Nolasco. O homenageado foi um dos engenheiros da ferrovia. Não só itens da estrada de ferro ficam expostos aqui. Temporariamente obras de arte moderna de renomados artistas de vários países ocupam o imenso galpão de exposições.

Esta é a última parada do nosso roteiro. Então, aproveite o charmoso Café do Museu, que funciona dentro de um antigo vagão, para relaxar olhando o movimento da Baía e do Porto de Vitória. Nos dias mais quentes, eu sugiro que você experimente o Café Bombom que custa R$ 10. Antiga Estação Pedro Nolasco, Argolas. De terça a sexta, das 8h às 18h. Sábados e domingos, das 10h às 18h. Entrada gratuita.

museus-de-vila-velha-03

O antigo prédio da estação ferroviária virou museu.

museus-de-vila-velha-04

Parte da exposição permanente sobre a construção da ferrovia.

museus-de-vila-velha-12

Detalhes da maquete.

museus-de-vila-velha-16

A maior maquete do Brasil fica no Museu da Vale.

museus-de-vila-velha-02

O Café do Museu que funciona em um vagão desativado.

museus-de-vila-velha-01

O interior do Café do Museu e o delicioso café bombom.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

4 Comentários

    • Altier Moulin

      Oi Janete,

      Muita gente conhece Vila Velha pelo Convento da Penha e pelas praias, mas a cidade tem muito mais a oferecer. Você vai gostar.

      Um abraço!

Escreva um comentário