Como é voar com a Viva Air: companhia colombiana que voa para o Brasil

187

Atualizado em 7 de julho de 2022

Como é voar Viva Air

Você já deve ter ouvido falar desta companhia aérea colombiana de baixo custo – a famosa low cost –, que teve como acionista a companhia irlandesa Ryanair e, em poucos anos, se tornou uma das mais importantes da América do Sul. Certo? Eu viajei em cinco voos da companhia e vou comentar como é voar com a Viva Air.

Eu viajei com a Viva Air pela primeira vez quando ela ainda se chamava Viva Colombia e, desde então, as coisas só melhoraram.

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

Proposta da Viva Air

Com o compromisso de balançar o mercado de passagens aéreas na Colômbia, a Viva Air parecia muito ousada: com poucas aeronaves, apresentando um novo estilo de voar e concorrendo com gigantes do mercado, como Avianca e Copa Airlines.

Oferecendo preços bem abaixo dos que eram, até então, praticados pela Avianca e pela recém-chegada Latam, a Viva Air rapidamente virou a queridinha dos mochileiros e viajantes adeptos aos modos mais econômicos de rodar o mundo.

Não demorou muito para a companhia comprar novas aeronaves e a voar para mais destinos, inclusive fora da Colômbia.

Como é voar Viva Air

O Peru foi o primeiro deles, mas, hoje, os aviões amarelinhos já chegam a mais de 30 destinos em países como Estados Unidos, México, República Dominicana, Peru, El Salvador, Panamá, Brasil, Guatemala, Aruba, Argentina, Brasil, Chile e Costa Rica.

O centro de conexões da Viva Air fica em Medellín e, por isso, o Aeroporto Internacional José María Córdova (MDE) é a principal porta de entrada de estrangeiros que chegam à Colômbia voando com a companhia.

Recentemente, a Viva Air foi comprada pelo grupo Avianca, que assumirá as operações da low cost na Colômbia e no Peru – esta é uma péssima notícia!

Preços realmente baixos

Quando começou a voar, em abril de 2012, a Viva Air operava apenas cinco aeronaves com voos frequentes entre os principais destinos turísticos colombianos: Bogotá, Cáli, Medellín, Cartagena, Barraquilla, Santa Marta e San Andrés.

Naquele esquema, era fácil encontrar voos com tarifa de COP 49.990, de Medellín a Cáli, por exemplo – cerca de R$ 60 no câmbio atual.

Mas a melhor notícia é que, diferentemente do que acontece com a Latam e com a Avianca, a  Viva Air não tem tarifas diferentes para quem está comprando  de fora do país. 

Como é voar Viva Air

Para dar um exemplo, quando fiz a cotação para voar até San Andrés, o preço médio que encontrei em outras companhias chegava a USD 400. Na Viva Air, eu paguei apenas COP 149.990 – incluindo bagagem extra e taxas aeroportuárias.

Depois de comprar os tíquetes, ainda no Brasil, pagando com cartão de crédito, meu grande medo era a qualidade do serviço prestado pela empresa.

Para minha surpresa, deixei a Colômbia com uma boa imagem dessa companhia que se orgulha por oferecer tarifas de baixo custo.

Como é voar Viva Air

Agora, eu vou comentar quais as impressões que tive de cada etapa da viagem, desde a compra da passagem ao desembarque.

COMPRA

Você pode comprar sua passagem no site da companhia, pelo aplicativo para celular (Apple e Android) ou nas lojas localizadas nos aeroportos onde opera.

Para não fugir à regra, as tarifas na web sempre são mais econômicas.

Fique esperto na hora da compra, pois eles vão tentar lhe empurrar vários serviços extras, que talvez você não precise. Não confirme sua compra antes de ler as especificações de todos os serviços contratados.

Como já comentei, os preços são realmente muito interessantes, especialmente quando a compra é feita com antecedência.

Existem três categorias de tarifas: Base, Medium e Full. Em cada uma delas, você terá benefícios diferenciados, como bagagem despachada, escolha de assento e por aí vai.

Lembrando que há diferenças no que é oferecido pelas categorias em voos nacionais e internacionais.

Para saber todos os detalhes das tarifas, você pode acessar o site da Viva Air.

CHECK-IN

O check-in gratuito deve ser feito pela internet e você também deve levar o seu cartão de embarque impresso ou no celular.

É muito importante ter em mente que o check-in para voos nacionais deve ser feito entre 48h e 3h antes do embarque. Nos voos domésticos, o prazo é de 48h a 2h antes do voo.

Se deixar para fazer o check-in no aeroporto, será preciso pagar uma taxa de extra.

Se quiser, você pode contratar o serviço de check-in no aeroporto na hora de comprar a passagem – fica mais barato do que comprar no aeroporto.

Só não se esqueça que o check-in no aeroporto e a entrega de bagagens se encerram 1h antes das partidas internacionais e 45 minutos antes dos voos nacionais.

BAGAGEM

Quem vai voar Viva Air precisa ter um pouco de atenção com a bagagem. Veja abaixo:

  • A tarifa Base permite apenas um item pessoal – uma mochila ou uma bolsa – com medidas 40x35x25 cm e que caiba debaixo do assento da frente;
  • A tarifa Medium dá direito a um item pessoal e a uma bagagem despachada com até 20 quilos e medir 158 centímetros lineais;
  • A tarifa Full permite todos os itens acima e mais uma bagagem de mão com até 12 quilos e medir 55x45x25 cm.

Qualquer bagagem a mais terá um custo adicional. Comprar a bagagem extra com antecedência pela internet fica quatro vezes mais barato do que no aeroporto.

Eu viajei com uma mochila e uma bagagem despachada, portanto com a tarifa Medium.

A companhia tem especificações para todos os tipos de bagagem e eles são bem criteriosos na checagem – é assim que eles ganham dinheiro: cobrando taxas extras de quem não se planejou com antecedência.

EMBARQUE

O embarque é feito por grupos.

Os grupos 1 e 2 embarcam praticamente juntos. O grupo 1 são as prioridades por lei: idosos, gestantes, pessoas com deficiência, entre outras. No grupo 2 estão os passageiros que pagaram pela tarifa Full. No grupo 3 e 4 estão os demais passageiros.

Como é voar Viva Air

ATENDIMENTO

Em todo o processo, desde o check-in e durante todo o voo, eu fui muito bem atendido e, com certeza, isso contribuiu muito na minha experiência de voar com a Viva Air.

Os comissários sempre são simpáticos e realmente estão ali para facilitar a nossa vida – diferentemente do que acontece em muitas companhias aéreas, né gente?

O serviço de bordo é pago. Já o sistema de entretenimento é bem interessante e funciona no celular. Veja como baixar o aplicativo para acessar as plataformas de livros, podcasts e música.

PONTUALIDADE

Eu voei cinco vezes com a Viva Air e todos os voos foram pontuais. Isso deixou uma ótima impressão!

Informações Básicas
Visto | Brasileiros não precisam de visto para entrar na Colômbia. O prazo máximo de permanência no país é de 90 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias.
Documentos | Você pode viajar com o passaporte, que tenha validade de seis meses, ou com a carteira de identidade, desde que ela tenha sido emitida há menos de dez anos.
Dinheiro | A moeda local é o peso colombiano, identificado pela sigla COP. Para sua viagem, leve dólares e troque nas casas de câmbio.
Vacinas | A vacinação contra febre amarela é obrigatória. Veja como emitir o Certificado Internacional de Vacinação.
Seguro viagem | Não é uma boa ideia viajar sem o seguro viagem com cobertura para covid-19. Veja quanto custa o seguro viagem.
Covid-19| Apesar de não ser obrigatório, é recomendado estar vacinado contra covid-19. Veja as regras abaixo

INFORMAÇÕES SOBRE COVID-19

Desde que reabriu suas fronteiras, o Colômbia adotou várias medidas de prevenção e controle dos casos de covid-19. Isso significa que é preciso cumprir alguns requisitos sanitários e legais para entrar no país.

De forma geral, os documentos exigidos para a entrada de brasileiros – além dos já citados acima – são os seguintes:

  1. Comprovante de vacinação contra covid-19 com esquema vacinal completo, com a última vacina aplicada há, pelo menos, quatorze dias – exigido apenas de viajantes vacinados maiores de 18 anos – veja como emitir o comprovante nacional e internacional;
  2. Resultado negativo de teste RT-PCR feito há, no máximo, 72 horas antes do embarque, ou de antígeno (teste rápido) feito, no máximo, 48 horas antes do embarque – exigido apenas de viajantes não vacinados maiores de 18 anos;
  3. Formulário Check-Mig preenchido e enviado eletronicamente entre 72h e 1h antes da chegada à Colômbia – exigido de todos os viajantes – veja como preencher o Check-Mig;
  4. Certificado de vacinação contra febre amarela (CIVP) – veja como solicitar o CIVP pela internet.

FORMULÁRIO CHECK-MIG

O Check-Mig é um formulário online que serve como uma declaração de saúde obrigatória para qualquer pessoa que deseja viajar para a Colômbia. Ele deve ser preenchido tanto para entrada quanto na saída do país.

O formulário funciona como uma medida de segurança durante a pandemia covid-19, tornando mais fácil para as autoridades colombianas rastrear possíveis casos e entrar em contato com viajantes infectados.

O formulário deve ser preenchida dentro de um período de 72 horas a 1h antes de atravessar a fronteira colombiana, a partir do site Migración Colombia e pelo aplicativo disponível na Play Store e na App Store.

→ Como preencher o Check-Mig

Você pode acompanhar atualizações no site do Governo da Colômbia.

RETORNO AO BRASIL

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

SEGURO VIAGEM

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem o seguro viagem durante a pandemia não é uma boa ideia.  Ainda que você esteja com o esquema vacinal completo, é bom saber que terá atendimento médico e hospitalar na hora que precisar.

Além disso, o preço do seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele também garante que você estará amparado em situações como cancelamento da viagem, extravio de bagagem e muitas outras.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

CARTEIRA DE IDENTIDADE

Viajantes de países que fazem parte do Mercosul ou que são associados ao bloco podem viajar usando apenas a carteira de identidade.

Isso foi possível por causa de um acordo, assinado em 2008, que reconhece a validade dos documentos de identificação pessoal de cada país como documento de viagem válido para Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, Venezuela (suspenso temporariamente), Bolívia (em processo de adesão), Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Peru e Suriname.

Embora a carteira de identidade não tenha prazo de validade por lei, as companhias aéreas podem negar identidades emitidas há mais de dez anos, por medida de segurança contra fraudes.

Havendo dúvida quanto ao estado de conservação, quanto à fotografia ou quanto à data de emissão da identidade, a empresa aérea deve ser consultada com antecedência, evitando transtornos no dia embarque.

É muito importante saber que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e carteiras de identificação emitidas por órgãos de classe, como OAB e CRM, por exemplo, também não são aceitas.

A certidão de nascimento também não é válida como documento de identificação. Portanto, crianças e adolescentes devem apresentar a carteira de identidade ou o passaporte para viajar.

Nos casos em que o motivo da viagem é diferente de turismo – trabalho, estudo, residência, etc. –, a carteira de identidade não será suficiente, sendo obrigatório apresentar o passaporte válido e visto específico, se for o caso.

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas da Colômbia.

Veja mais da Colômbia