Como é visitar o Museu Solar Monjardim

0

Atualizado em 2 de janeiro de 2019

Não é sempre que temos a chance de explorar um casarão com mais de 200 anos e voltar alguns séculos no passado. Visitar o Museu Solar Monjardim, em Vitória, Espírito Santo, é quase uma viagem no tempo. Claro, museu, para muita gente, remete à coisas antigas, mas isso aqui é mais do que isso.

A construção do casarão colonial começou em 1780, para que fosse a sede da Fazenda Jucutuquara. Ele tem esse nome porque, em 1816, passou a pertencer à família Monjardim, uma das mais influentes família capixabas, descentes de portugueses.

 Aqui, você pode caminhar por mais de 20 mil metros quadrados de área verde e visitar a residência da família, que, por sinal, está muito bem conservada.

Como é visitar o Museu Solar Monjardim

A imponente fachada do casarão.

Como é visitar o Museu Solar Monjardim

O museu é cercado por uma bela área verde.

O Museu Solar Monjardim

Este foi o primeiro prédio a ser tombado como patrimônio histórico nacional no Espírito Santo. Para manter a essência da arquitetura colonial e do estilo de vida da época, a equipe do museu toma todos os cuidados: quando você vier visitar o Museu Solar Monjardim, vai ter que colocar uma proteção nos pés – um tipo de pantufa. Isso porque o piso é original da época e, apesar de restaurado, deve ser protegido.

O passeio começa pela sala de visitas. Aqui, você encontra uma mesa central, com cristais antigos e alguns objetos de decoração. Não é permitido tocar em nada e nem sentar nas poltronas ou cadeiras.

Nessa mesma sala, existem duas portas que nos levam aos quartos. Na verdade, não é permitido entrar em nenhum dos dois quartos e suas portas têm cordas na frente bloqueando a passagem. Você vai encontrar essas mesmas cordas em outros ambientes, onde o piso é muito frágil. Como a casa é elevada, no estilo fazenda, a segurança vem em primeiro lugar.

Como é visitar o Museu Solar Monjardim

O banheiro da época.

Ainda na sala de visitas, dá para seguir outros três caminhos. Um deles nos leva ao quarto de banho, onde existe uma banheira, o vaso sanitário da época e urinóis.

O segundo caminho, também bloqueado por uma cordinha, permite ver o escritório do barão Monjardim. Aqui, você percebe os traços de um homem de negócios, com armas, condecorações e registros de negociações.

Como é visitar o Museu Solar Monjardim

O escritório do Barão, bloqueado pela cordinha.

O terceiro caminho, e que dá continuidade à visita, é para a varanda. No mais elegante estilo colonial, a área da varanda cobre toda a frente da casa, só que  ao invés de grades, como estamos acostumados, ela é um um corredor contínuo com diversas janelas. A prioridade aqui era garantir boa ventilação e dar acesso ao demais cômodos da casa.

Como é visitar o Museu Solar Monjardim

A varanda conecta diversos cômodos.

Ao visitar o Museu Solar Monjardim, você vai perceber registros da forte religiosidade dessas pessoas. Seguindo pela varanda, o próximo ambiente é nada menos que uma capela. Ao fim da capela, que tem imagens de santos e bancos de oração, você encontrará um pequeno quarto onde fica a sacristia, um local reservado para guardar objetos abençoados, e onde o padre se preparada para realizar a missa.

Outro cômodo que pode ser alcançado pela varanda é a sala de jantar. O grande ambiente era onde a família se reunia para as refeições. Aqui, você pode observar diversos utensílios de jantar da época, protegidos por vidro, e em ótimo estado de conservação.

O quarto do casal tem entrada pela sala de jantar. Este é um cômodo muito reservado, protegido também por uma corda. A cama é original, uma rara peça da época, pela qual podemos ter uma noção da baixa estatura das pessoas naquele tempo.

O último cômodo que você conhece ao visitar o Museu Solar Monjardim é a cozinha. Este é o único ambiente onde o chão não é de madeira. Por aqui, o movimento era constante, com muito trabalho e muito vai e vem da fazenda. Você vai ver diversos utensílios de cozinha e a mesa na qual as refeições, em sua maioria com alimentos da própria fazenda, eram preparadas.

Como é visitar o Museu Solar Monjardim

A cozinha é espaçosa e rústica.

Mesmo com o fim do passeio na cozinha, saia pela porta dos fundos e explore a área verde do museu. Caminhando pelo chão de terra, sentindo o vento e ouvindo o barulho da enorme quantidade de árvores, você até esquece que está no meio da cidade.

O museu é considerado um refúgio. Está tão perto do movimento atual, mas, ao mesmo tempo, separado por muitos anos de história. Um dos motivos pela qual essa sensação relaxante toma conta é que a propriedade fica em uma área elevada, e você precisa subir uma pequena ladeira para chegar à casa. Isso é o que dava uma visão estratégica e de poder à fazenda, e a vista, bem, a vista é maravilhosa.

Como é visitar o Museu Solar Monjardim

Saindo da cozinha, mais um pouco de área verde.

Como é visitar o Museu Solar Monjardim

O casarão fica em posição privilegiada no bairro.

Se organize para visitar o Museu Solar Monjardim

Quanto custa | A entrada no museu é gratuita.

Quando ir | A visita ao museu pode ser feita de terça a sexta, das 9h às 12h e das 13h30 às 16h30. Aos sábados, domingos e feriados o horário de funcionamento é das 13h às 17h. Caso você vá com grupo de mais de dez pessoas, é preciso agendar. O telefone é (27) 3322-4807.

Como chegar | O museu fica na Avenida Paulino Muller, no bairro de Jucutuquara. Não existem muitas placas, caso você venha de carro, mas a entrada do museu é muito bem sinalizada e fácil de encontrar. Afinal, a fazenda ocupa uma esquina inteira.

Se escolher usar o transporte público, você terá muitas opções de linhas. As que passam pelas principais avenidas da cidade são a 333, 073 e 161, mas você pode consultar todas no site do Setpes.

Você também pode usar o Uber, que funciona perfeitamente em todos os bairros da cidade.

SOBRE O AUTOR

Aline Soares

Estudante de jornalismo e apaixonada por lugares que ainda não conheço, sempre me encantei por culturas e costumes diferentes, e é isso que eu mais quero explorar. Hoje, quando viajo, tento me manter presente, aproveitar o momento e não deixar nada passar.

Escreva um comentário