Como é o mergulho em Abrolhos

8

Atualizado em 28 de Fevereiro de 2018

No litoral sul da Bahia, a cerca de 70 quilômetros da costa, o Parque Nacional Marinho de Abrolhos é formado por cinco ilhas. Aqui a natureza se manifesta exuberante tanto em cima quanto debaixo d’água, e é para descobrir esse mundo submerso que viajei até Caravelas, a 840 quilômetros de Salvador. Eu já estive nessa área e contei como é avistar baleias por aqui, mas hoje vou compartilhar como é o mergulho em Abrolhos.

Reserve já o seu hotel em Caravelas e garanta os melhores preços. 

Para você ter uma ideia, a vida neste lugar é tão importante que atraiu até a atenção do cientista Charles Darwin, que esteve aqui em 1830 durante a sua famosa viagem a bordo do navio de expedições Beagle. Essa não é a primeira vez que visito um lugar por onde o autor da Teoria da Evolução passou, e esse é mais um sinal de que você também deve se programar para visitar Abrolhos.

POR QUE O NOME ABROLHOS?

A ilha Santa Bárbara é a maior de todas e está sob domínio da Marinha. É lá que fica o farol

O show das jubartes.

O catamarã sai cedinho, por volta das 7h30, e vai navegar por cerca de três horas até chegar ao arquipélago de Abrolhos. A viagem é tranquila e o mar não está agitado. Assim fica mais gostoso apreciar a paisagem que une céu e mar azuis.

Chegando à primeira ilha sou recebido por um funcionário do ICMBio, órgão federal responsável pela manutenção e fiscalização da área. Ele passa algumas regras e me leva para um passeio na Ilha Siriba, onde vivem jatobás e outras espécies de aves e répteis.

O passeio é rápido, dura cerca de 30 minutos. Depois disso, volto à embarcação para fazer um lanche leve antes de mergulhar. Máscara e esnórquel em mãos, eu estava pronto para o mergulho de apneia, ou seja, sem o auxílio do cilindro de oxigênio.

A primeira área que exploro é justamente a que fica entre a Ilha Siriba e a Ilha Redonda. Essa região é conhecida por ser onde tartarugas marinhas se alimentam e, pra minha alegria, vejo uma delas a poucos metros de mim. Mesmo com o tempo um pouco nublado, a visibilidade é boa e avisto ainda dezenas de cardumes coloridos e uma bela arraia.

mergulho em abrolhos

Um dos muitos cardumes que vi.

mergulho-em-abrolhos-07

A sorte de ver um animal assim tão pertinho.

mergulho-em-abrolhos-03

Nadando com tartarugas marinhas.

Depois de algum tempo nadando entre corais e peixes coloridos, volto ao barco para almoçar. A comida preparada pela tripulação é deliciosa e cai muito bem. Tento não exagerar para dar conta da segunda etapa do mergulho, mas é quase impossível.

Enquanto me alimento o barco segue adiante e para pouco depois da Ilha Guarita, bem perto da Ilha de Santa Bárbara. Aqui o mar é mais agitado, mas mesmo assim me entrego à curiosidade e desço até o fundo do mar. Estou na primeira área marinha a ser protegida no país e tudo o que vejo me enche os olhos.

Antes de voltar ao catamarã avisto um cardume de peixes azuis e com eles me encanto. Mas o tempo passa depressa é já é hora de voltar. Cheio de baleias, peixes, arraias e tartarugas, meu dia está completo.

mergulho-em-abrolhos-06

O mergulho de apneia.

mergulho-em-abrolhos-02

A anfitrião de Abrolhos. Foi ele quem me recebeu.

mergulho-em-abrolhos-01

As cores desse mundo submerso.

mergulho-em-abrolhos-04

Há peixes por todos os lados.

Planeje sua viagem para avistar baleias em Abrolhos

Quando ir | É possível fazer o mergulho em Abrolhos durante todo o ano, mas os melhores meses são de dezembro a fevereiro. A temporada de baleias no litoral brasileiro vai de julho a novembro, mas eu sugiro ir entre os meses de agosto e outubro quando a quantidade de baleias é maior.

Quanto custa | Para visitar Abrolhos é necessário pagar uma tarifa ambiental. Para brasileiros o custo é de R$ 35, para estrangeiros, R$ 70. Os ingressos são adquiridos exclusivamente com as operadoras de turismo autorizadas a fazerem a viagem até o arquipélago.

Como chegar | O aeroporto mais próximo fica na cidade de Teixeira de Freitas, a 90 quilômetros de Caravelas, de onde partem os passeios de catamarã para o arquipélago de Abrolhos. A única companhia que opera voos para cá é a Azul.

De carro, partindo de Vitória, siga pela BR-101 e pela BR-418. A primeira está sob concessão da iniciativa privada e, por isso, está bem cuidada e sinalizada. Há cobrança de pedágio em quatro diferentes pontos da rodovia. O mais barato custa R$ 3,40 e o mais caro R$ 4,50. A BR-418 foi recentemente recapeada e o asfalto está um tapete. Além disso, ela é pouco trafegada por caminhões e carretas, e quase todo o trajeto é feito em longas retas.

Partindo de Salvador, a viagem dura o dobro de tempo, cerca de 12 horas. Suas opções aqui são a BR-101 ou a BR-116, até a BA-274. De Caravelas até o arquipélago de Abrolhos a viagem demora cerca de três horas.

Onde ficar | Eu me hospedei na Pousada Liberdade, uma ótima opção da pequena Caravelas. A pousada fica logo na entrada da cidade e tem acomodações no melhor estilo rústico. São chalés que acomodam tranquilamente seis pessoas com conforto e tranquilidade.

O café da manhã é servido das 6h30 às 9h30 e é cheio de delicias baianas, como o cuscuz de tapioca. Na piscina você pode aproveitar para se refrescar do sol nordestino. A diária custa a partir de R$ 95.

O ambiente da Pousada Liberdade.

O meu quarto na pousada.

Onde comer | Caravelas tem poucas boas opções de restaurantes. Uma boa escolha é dar um pulo no distrito de Barra de Caravelas, a cinco minutos de carro, ou em Prado, a 40 minutos. Nessa região você pode comer uma boa moqueca – no estilo capixaba ou baiano – com fartas lagostas, peixes e camarões frescos. Ah, aqui também é um ótimo lugar para experimentar um acarajé.

Quem leva | A empresa que escolhi para fazer o passeio foi a Horizonte Aberto, sem dúvidas a melhor de Caravelas. Com três catamarãs, a empresa tem um atendimento excelente. Tudo, desde o primeiro momento, foi muito bem claro, organizado e seguro. Durante a viagem de barco o grupo que tinha 24 pessoas foi acompanhado por uma guia local que sempre orientava a respeito das baleias, do Parque e das regras de segurança.

As refeições também foram excelentes e muito fartas. Já na chegada fomos recebidos com bandejas de frutas, café e biscoito. No almoço, foi servido macarrão, salada, cachorro quente e cocada para a sobremesa. No meio da tarde, já na volta, comemos frutas e nos aquecemos com um delicioso chocolate quente.

Há duas modalidades de mergulho em Abrolhos: o de um dia e o de dois dias. No primeiro, a saída acontece por volta das 7h e a chegada é em torno das 18h30. Esse passeio custa R$ 275. Crianças menores de seis anos pagam R$ 130 e crianças de seis a nove anos pagam R$ 160. Eu fiz o passeio de um dia.

O mergulho de dois dias custa R$ 1.200 e isso inclui hospedagem no catamarã, todas as refeições (café da manhã, almoço, lanche e jantar) e roupas de cama e banho. Nesse pacote, além de avistar baleias você fará cinco mergulhos, sendo um noturno. Essa opção é mais indicada para quem curto mergulho autônomo. No arquipélago não há hotéis e é proibido acampar.

Cozinha e parte da área interna do catamarã: conforto e boa comida.

A recepção no catamarã da Horizonte Aberto.

O que levar | Leve uma toalha e uma muda de roupa na mochila. No anoitecer a temperatura cai e você pode sentir frio. Os mais friorentos podem levar um casaco. Abuse do protetor solar e jamais se esqueça da câmera fotográfica.

Minha viagem a Abrolhos teve o apoio da Horizonte Aberto e da Pousada Liberdade.

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

8 Comentários

  1. Bom dia. Uma amiga ficará embarcada 3 diaa para mergulho em abrolhos. Não mergulho mas gostaria de ir junto. Acha que terei o q fazer la sem meergulhar embarcada? Obrigada

  2. Estou interessada em mergulhar com hospedagem no próprio catamarã, posso levar meu filho de 6 anos? tenho padi recreativo. Posso fazer curso noturno por lá? já que li ser possível mergulhar a noite e nao tenho tal especialização.

Escreva um comentário