Aventura no Raft Adventure Park

0

Atualizado em 26 de fevereiro de 2018

Em minha viagem pela Serra Gaúcha, eu tive o prazer de descer em uma tirolesa no Raft Adventure Park. Digo prazer porque esta é, de fato, uma experiência prazerosa e libertadora. Mesmo que o frio na barriga ataque antes de tirarmos os pés do chão, uma vez no ar, a sensação é maravilhosa.

Antes de me jogar na tirolesa, eu conheci um pouco da estrutura do Raft Adventure Park. A Teriana, um das proprietárias, me mostrou o lugar e as atividades oferecidas. Aqui, são 15 opções de aventura que você pode experimentar. A estrutura é feita para receber grandes grupos, com restaurante, banheiros e vestiários, redário e uma área verde bem grande.

Aventura no Raft Adventure Park

Os prédios onde ficam o restaurante, recepção e loja.

Aventura no Raft Adventure Park

O restaurante do Raft Adventure Park

Hora de pular

A tirolesa do Raft Adventure Park tem o maior percurso da região: 1.200 metros. Na recepção eu já fui colocando as cordas e os equipamentos de segurança necessários para saltar. Depois disso, o veículo do parque nos leva até o ponto de partida da tirolesa.

Caminhamos por alguns minutos na mata, com o caminho marcado e placas indicativas. Mesmo com um pouco de lama da chuva, a trilha é bem tranquilo. A chuva por aqui não afeta tanto as atividades.

ENTENDA UM POUCO O CLIMA NA SERRA GAÚCHA

Antes de contar como foi essa atividade de aventura na Serra Gaúcha, eu preciso esclarecer algo sobre o clima por aqui. No dia que fiz o rafting, como mostro em: Serra Gaúcha: rafting com a Central Sul Raft, por exemplo, acordei e me deparei com o hotel coberto por neblina. A chuva estava ameaçando cair e eu logo desanimei, pensando que as atividades seriam canceladas.

Porém, conversando com diversos locais e com a Marilu, proprietária do Bangalôs na Serra, hotel onde me hospedei, descobri que nada aqui pode ser determinado pelo clima, e nada precisa ser abandonado por isso também.

Para você entender um pouco melhor, o Bangalôs fica a três quilômetros do centro de Gramado e, com essa pequena distância, são 2 graus de diferença na temperatura. O hotel pode estar coberto por neblina e, na cidade, o sol estar reinando. Eu mesma vi isso acontecer em outros dias por aqui.

O que eu queria deixar bem claro então é: não cancele suas atividades de aventura na Serra Gaúcha por conta do clima. As chances de tudo estar diferente e de tudo mudar em algumas horas são grandes.

Isso tudo faz parte do contato com a natureza, de respeitar o rumo que ela quer tomar. Sem contar que, nenhuma das atividades que eu fiz – algumas debaixo da chuva – foram prejudicadas pelo clima. Pelo contrário, arrisco dizer que, algumas, ficaram até melhores.

Logo vejo a plataforma de madeira onde ficam os cabos de aço e sei que é dali que vou pular. Mal consigo ver o fim da tirolesa, por isso já imagino que vai ser incrível.

Aventura no Raft Adventure Park

É aqui que eu vou pular.

Teriana me passa as instruções de segurança e explica como funciona a tirolesa, deixando claro que os riscos de acidente são mínimos, para não dizer nulos. Ela se comunica com outro membro da equipe do Raft Adventure Park e informa que estou pronta. A pessoa, que está na outra ponta do cabo de aço, também passa o sinal positivo. Depois disso, é comigo.

Tudo que eu preciso fazer é correr um pouquinho. Só isso. Correr na plataforma de madeira em direção ao ar. Respiro fundo e me jogo. Eu já tinha saltado de tirolesas antes, mas acho que o frio na barriga sempre vem. No ar, sobrevoo muita vegetação nativa e aproveito o vento batendo no rosto.

Estrutura do Raft Adventure Park

A ideia do Raft Adventure Park não é apenas oferecer pacotes de esportes radicais. Caminhando pelo lugar, é fácil perceber que o desejo deles é que todos que vierem para cá se sintam incluídos. A começar pelo fato de que o parquinho, tipicamente para crianças, tem um tamanho maior, permitindo que os adultos também participem da brincadeira.

Tudo é pensado para unir pais e filhos, para retomar a infância e para que os adultos façam parte de maneira ativa dos momentos e memórias com os pequenos por aqui.

Aventura no Raft Adventure Park

Os adultos também podem usar os brinquedos.

O espaço kids funciona para os bem pequenos e, partir daí, as atividades vão evoluindo com estruturas seguras para todos. Desde cama elástica a mini padle e arco e flecha.

Você também pode organizar eventos corporativos no Raft Adventure Park. A equipe prepara diversas atividades ao ar livre de acordo com o foco da empresa e, a vivência e experiência didática na natureza costuma trazer ótimos resultados. A área verde é tão bonita que, casamentos, formaturas e aniversários também são feitos aqui.

Reserve já o seu hotel em Três Coroas e garanta os melhores preços.

Outro jeito de promover a inclusão é deixar toda a estrutura do parque acessível. Desde a entrada, com uma passarela de madeira em meio ao verde, até os banheiros, vestiários e algumas atividades. Teriana me contou que, no futuro, a acessibilidade vai ser ainda maior, com trilhas ecológicas especiais.

Planeje dia visita ao Raft Adventure Park

Quanto custa | No Raft, tudo funciona a base de reserva. Claro, se você aparecer por aqui e quiser curtir o lugar, é muito bem vindo, mas para não ter chance de não conseguir algum passeio, eu lhe aconselho fazer a reserva.

A tirolesa custa R$ 30 por pessoa e, não há limite de idade, pois essa é uma atividade que depende do peso da criança. É preciso pagar R$ 10 para entrar no parque.

Além das diversas atividades de aventura na Serra Gaúcha que eles oferecem, quando você reserva o pacote, já escolhe se quer com ou sem refeição. Se escolher com, poderá aproveitar o buffet livre no restaurante. Também tem opção a la carte e é possível reservar a churrasqueira e levar sua própria carne.

Você encontra todas as informações sobre o passeio e as outras atividades que eles oferecem no site da Raft Adventure Park.

Quando ir | A Serra Gaúcha é um destino muito procurado no inverno, de junho a agosto, quando o frio nos faz aproveitar o lado mais tradicional dessa região: a boa comida, os vinhos regionais e as abundantes opções de chocolate são alguns exemplos. No resto do ano, as opções vão muito além, e dá pra fazer diversas atividades de aventura.

Como chegar | O parque está localizado na Estrada Barro Preto, em Três Coroas. De Gramado até aqui demora pouco menos de 1h, de carro.

Onde ficar | Eu me hospedei no Bangalôs da Serra, um encantador hotel que fica pertinho do centro de Gramado, a cidade mais famosa da Serra Gaúcha. Claro, existem muitas outras boas opções por aqui, mas eu realmente indico este hotel. Para saber porque, leia: Como é se hospedar no hotel Bangalôs da Serra.

Onde comer | Você vai comer muito bem em todas as cidades dessa região. Em Três Coroas, eu conheci do Espaço Tibet, um restaurante incrível que dissemina a cultura e a culinária tibetana. Se quiser saber outras sugestões, veja: Onde comer na Serra Gaúcha.

SOBRE O AUTOR

Aline Soares

Estudante de jornalismo e apaixonada por lugares que ainda não conheço, sempre me encantei por culturas e costumes diferentes, e é isso que eu mais quero explorar. Hoje, quando viajo, tento me manter presente, aproveitar o momento e não deixar nada passar.

Escreva um comentário