Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

0

Atualizado em 30 de junho de 2017

No antigo bairro de Josefov, você vai conhecer o quarteirão judeu de Praga, um lugar cheio de prédios históricos, relíquias e memórias da comunidade israelita, que vive na República Tcheca desde muito antes de os nazistas exterminarem grande parte de seus habitantes nos campos de concentração, como eu explico em: O campo de concentração de Terezín.

CLIQUE PARA SABER MAIS SOBRE O GUETO DE PRAGA

Quando chegar à cidade, você vai perceber que não é à toa que a capital da República Tcheca tem ficado cada vez mais popular entre os brasileiros. Além de uma vida cultural diversificada, Praga tem preços camaradas, muita história e mantém viva a memória de sua comunidade judaica.

O roteiro que eu mostro neste texto é, sem dúvida, imperdível. Ele concentra museus, sinagogas e até um cemitério secular. Então, anote as dicas e vá conhecer o quarteirão judeu de Praga.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

Os símbolos judaicos são vistos em várias partes de Josefov.

O quarteirão judeu de Praga

Memorial do Holocausto | Um dos lugares que você vai visitar nesse roteiro é o memorial onde estão gravados os nome e as datas de nascimento e morte de todas as 78.000 vítimas tchecas, que já foram identificadas. Funcionando na Pinkasova Synagoga, uma antiga sinagoga construída no século 15, o memorial tem as paredes preenchidas com letrinhas pequenas pintadas em tintas preta e vermelha.

Nas paredes também estão os nomes dos campos de concentração para onde foram enviados os judeus tchecos. Se você quiser ver mais, no primeiro andar do prédio há uma exposição permanente com desenhos feitos por crianças que passaram pelo campo de concentração de Terezín. As imagens são realmente tristes e até assustadoras.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

A parede com o nome das vítimas do Holocausto.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

Detalhes dos dados das vítimas.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

O campos de concentração onde elas morreram também foram lembrados aqui.

Cemitério Judeu | Nesse conjunto de atrativos também está o Cemitério Judeu de Praga, o mais antigo da Europa, usado entre os séculos 15 e 18. Em um primeiro momento, ele parece um monte de lápides amontoadas, sem qualquer sentido.

E é isso mesmo: os túmulos estão embolados, sobrepostos uns aos outros sem qualquer aparente senso de organização. Mas isso tem uma justificativa. Eu explico isso e conto todos os detalhes em: O secular cemitério judeu de Praga.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

As lápides do cemitério judeu mais antigo da Europa.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

Um dos corredores do cemitério.

Cerimonial Hall | Esse pequeno prédio de três andares fica em uma das entradas do antigo cemitério – que hoje funciona apenas como saída de visitantes. Ele servia como um espaço para a preparação dos corpos para o sepultamento.

Aqui, também eram realizados os rituais judaicos e a despedida dos familiares e dos amigos. Hoje, transformado em um pequeno museu, nele, a gente encontra objetos, quadros e documentos que mostram como esse processo era feito.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

Fachada do Cerimonial Hall.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

Dentro, a gente vê objetos e entende como os corpos eram preparados para o sepultamento.

Klausen Synagogue | Construída em estilo Barroco, essa sinagoga se assemelha muito a uma igreja, principalmente na parte interior. Os altares, os afrescos, praticamente tudo lembra um templo católico, a não ser, claro, pela ausência de imagens de santos.

Atualmente a Klausen Sinagoga é administrada pelo Museu Judeu de Praga e se tornou mais um lugar de memória, sem rituais religiosos frequentes.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

A sinagoga que mais se parece uma igreja.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

Detalhes inspirados no Barroco.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

A Menorah, um dos símbolos do judaísmo.

Old New Synagogue | A Staronová Synagoga, em tcheco, é a sinagoga mais antiga da Europa ainda em funcionamento. Ela é, também, a única sinagoga medieval, em seu estilo, que resistiu ao tempo: sua construção terminou em 1270 e foi feita com pedras de um antigo templo que funcionava no mesmo lugar.

Mas, muito além de todos esses títulos, visitar esse lugar é especial. Contemplar os objetos, as cadeiras, as duas naves e imaginar que milhares de pessoas em diferentes épocas entraram aqui para cumprir seus rituais pisando o mesmo chão que, hoje, pisamos é um privilégio gigantesco.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

Fachada da Old New Synagogue.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

O interior da mais antiga sinagoga da Europa ainda em funcionamento,

Spanish Sinagogue | O roteiro pelo quarteirão judeu de Praga termina na Španělská Synagoga, em tcheco. No coração de Josefov, o templo é adornado com vitrais coloridos e arabescos pintados em ouro nas paredes e no teto. Nos corredores do primeiro andar e do mezanino, ficam expostos objetos e documentos que fazem parte do acerco do Museu Judeu de Praga, que tem outros artigos na Sinagoga de Maisel.

Esses registros históricos mostram um pouco de sua construção, da antiga casa de oração que ocupava esse lugar e, principalmente, da época em que a República Tcheca esteve sob o comando nazista e, depois, comunista. Períodos em que o prédio sofreu sérios danos e ficou fechado, já que os judeus não podiam exercer sua fé.

Se você quiser saber mais sobre esse lugar, leia: A belíssima Sinagoga Espanhola de Praga.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

A belíssima Sinagoga Espanhola e seus ricos detalhes.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

Ela é rodeada de vitrais como estes.

Vá conhecer o quarteirão judeu de Praga

E ainda há um pequeno acerco que conta a história dos judeus no país.

Planeje sua visita ao quarteirão judeu de Praga

Quanto custa | O tíquete combinado, que dá direito a visitar todas as atrações do quarteirão  judeu de Praga, custa CZK 480. Uma taxa extra de CZK 70 é cobrada para quem deseja fotografar os ambientes. Se preferir, você pode visitar apenas alguns atrativos. A entrada para a Sinagoga Espanhola custa CZK 70.  A entrada do Cemitério Judeu custa CZK 300 e inclui uma visita à Sinagoga Pinkas e ao hall de Cerimônias, que funcionam na mesma área.

Quando ir | A Sinagoga Espanhola abre diariamente, das 9h às 18h, mas de outubro a março, ela fecha um pouco mais cedo, às 16h30. É importante lembrar que não há visitas nos feriados judaicos. O cemitério judeu de Praga abre para visitações de novembro a março, das 9h às 16h30, e de abril a outubro, das 9h às 18h. É importante lembrar que não há visitas nos feriados judaicos. Veja mais informações.

Eu considero os meses de abril a setembro a melhor época para visitar a República Tcheca. Nesse período, as temperaturas são mais agradáveis, sem frio ou calor extremo. Mas se você quer ver neve, é melhor programar sua viagem para os meses de novembro a março, quando os termômetros estão sempre abaixo de zero.

Quem leva | Sem dúvida, estar acompanhado de um guia local faz toda a diferença nessa visita. Veja algumas opções de passeios guiados.

Como chegar | O Aeroporto Internacional Praga Ruzyně (PRG) fica a 20 quilômetros do centro, e há várias linhas de ônibus que nos levam até ele – algumas são a 100, 119, 191, 319 e 510. O Uber funciona bem na cidade e, como sempre, tem preços melhores que os táxis.

O antigo cemitério judeu de Praga, pode onde eu considero que você deve começar esse passeio, fica em Josefov, o bairro judeu da cidade. Para chegar aqui, você pode pegar o metrô da linha A e descer na estação Staroměstská, ou os ônibus da linha 207. Daqui, você pode caminhar até as outras atrações, como eu mostro no mapa.

Onde ficar | Praga tem ótimas opções de hotéis e hostels. Eu passei pela cidade duas vezes e tive experiências de hospedagem bem diferentes, mas bastante agradáveis. Na primeira vez, eu fiquei no Bohemia Apartments, um apartamento bem espaçoso perto de tudo. Eu também me hospedei no Time Traveler, um hostel excelente, com quartos novos, arejados e muito bem organizados. Você encontra outras opções de hospedagem aqui.

Visto e documentos | Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer na República Tcheca por até 90 dias. Entretanto, será preciso apresentar seu passaporte com pelo menos seis meses de validade. É muito importante saber que o seguro viagem é obrigatório, e que, sem ele, você pode ser impedido de entrar o país. Veja como comprar o seguro viagem.

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

Escreva um comentário

Inline
Inline