Os incríveis fervedouros do Jalapão

6

Atualizado em 19 de setembro de 2017

Os fervedouros do Jalapão são, para a maioria dos viajantes, os grandes atrativos dessa região que ficou conhecida como o deserto brasileiro. Aqui, onde as nascentes trazem água do fundo da terra, o solo arenoso cria a ilusão de que tudo parece estar realmente fervendo.

Ao todo, existem oito fervedouros que podem ser visitados no Jalapão, mas raramente você conhecerá todos em uma única viagem. Então, aproveite e veja a lista com os fervedouros que visitei. Quem sabe você não se anima e dá uma passada por eles?

Os fervedouros do Jalapão

Fervedouro do Rio Sono | Esse foi primeiro fervedouro da minha lista. Ele fica na propriedade da Dona Olaídes, que prepara um almoço caprichado, servido no fogão à lenha em um galpão de terra batida e coberto com palhas de piaçava, palmeira abundante na região.

Eu confesso que é uma sensação estranha pisar nos buracos que, apesar de terem uma profundidade absurda, não nos deixam afundar por causa da pressão da água que brota da terra. Mas, depois de um tempo, eu relaxo e já me sinto confiante para flutuar nesses lagos cristalinos.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

O Fervedouro do Rio Sono visto de cima.

A água está a uma temperatura agradável e, no calor que faz aqui no Jalapão, essas piscinas naturais são verdadeiros oásis. Eu aproveito, então, para relaxar.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

Brincando com peixinhos no fervedouro do Rio Sono.

Fervedouro do Buriti | A poucos quilômetros daqui, faço outra parada. Desta vez, vou conhecer o Fervedouro do Buriti, que fica na terra do Seu Lino, dentro de uma comunidade quilombola.

Aqui, além de apreciar e aproveitar a beleza da nascente azul celeste, você pode conhecer mais sobre o estilo de vida dessas comunidades tão comuns no Jalapão. As casas são feitas de adobe, um tipo de tijolo de argila crua, e cobertas com a palha de piaçava.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

O lindo fervedouro do Buriti.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

Aproveite para tirar muitas fotos.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

Um dos moradores do Jalapão.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

As casas de adobe dos quilombolas.

Fervedouro do Encontro das Águas | Antes de o dia terminar, ainda dá tempo de conhecer o fervedouro do Encontro das Águas. Ele é pequeno, mas o mais forte de todos. A pressão da água é tão intensa que mesmo que alguém nos empurre para dentro do buraco, é impossível afundar. Eu tentei, e até de cabeça para baixo fiquei.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

O fervedouro do Encontro das Águas é o mais forte de todos.

Fervedouro do Buritizinho | Esse fervedouro fica nas terras do Seu Nô, outro descendente de quilombola e, talvez, esse seja o que tem menor infraestrutura. Justamente por isso, é importante obedecer às regras de não pular – o que vale para todos os fervedouros – e de andar sobre as placas de madeira colocadas nas margens.

Aqui, além de apreciar a beleza do fervedouro, você pode nadar no rio que se forma da nascente, fazer boia-cross e almoçar pratos do melhor estilo jalapenho.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

O pequeno e encantador fervedouro do Buritizinho.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

Impossível resistir a um mergulho aqui.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

O famoso artesanato de capim dourado.

Fervedouro Bela Vista | O maior e mais bonito fervedouro do Jalapão fica em São Félix do Tocantins, e se chama fervedouro Bela Vista. Ele tem uma infraestrutura melhor, com trilha calçada e um deque muito bacana. A beleza desse lugar é algo praticamente inacreditável.

A cor e a temperatura da água, a vegetação ao redor e os peixinhos que nos acompanham nos fazem ter vontade de ficar o dia inteiro aqui dentro.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

A paisagem do fervedouro Bela Vista.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

Mais um banho nos fervedouros do Jalapão, por favor.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

E a gente ainda nada na companhia de peixinhos.

Programe sua visita aos Fervedouros do Jalapão

Quanto custa | As entradas nos fervedouros do Jalapão custam entre R$ 10 e R$ 20.

Quem leva | Eu viajei com a Cerrado Dourado e percebi que o serviço deles é um dos melhores do Jalapão. O veículo tem ar-condicionado, é confortável e espaçoso. As pousadas e as paradas para almoço e jantar são escolhidas pela qualidade. As informações e as dicas do guia também foram essenciais para que eu entendesse melhor esse lugar.

Quando ir | Dá para conhecer o Jalapão durante todo o ano, mas o melhor período é de maio a outubro, sendo que os meses mais interessantes são de junho a setembro. Outubro é o mês mais quente. Em julho e nos feriados, a chance de encontrar os atrativos lotados é maior. As chuvas são mais frequentes de novembro a abril, mas são raros os dias de chuva constante.

Os incríveis fervedouros do Jalapão

Mergulho no rio do Encontro das Águas.

Como chegar | O aeroporto de Palmas é o mais próximo do Jalapão. A capital tocantinense fica a 270 quilômetros de Mateiros, considerada a principal cidade do Jalapão, e a 260 quilômetros de São Félix do Tocantins. É fácil chegar de veículo comum a essas cidades, mas daqui para frente somente com um 4×4 o trajeto é feito com segurança.

Muitos turistas que tentam visitar o Jalapão de forma independente acabam não aproveitando todos os atrativos e, na maioria das vezes, têm o carro atolado. Os problemas são tão frequentes que muitas locadoras de Palmas se recusam a alugar veículos para turistas que têm como destino o Jalapão. A justificativa é que, em caso de pane ou de acidentes, o guincho do seguro não chega aqui. Por isso, a melhor forma de chegar ao Jalapão é contratando uma agência que conheça bem a região.

Para planejar melhor sua viagem, leia Como é viajar pelo Jalapão de carro.

Vai alugar um carro?

Onde ficar | Eu me hospedei na Pousada Águas do Jalapão, em Ponte Alta do Tocantins, e na Pousada Santa Helena, em Mateiros, mas é importante lembrar que a escolha dos locais de hospedagem varia de acordo com a disponibilidade.

Em Palmas, eu me hospedei no MAC Hotel. Inaugurado recentemente, ele fica no centro, bem perto da Praça dos Girassóis, e tem quartos confortáveis e equipados com ar-condicionado – item essencial no Tocantins – televisão e internet. O café da manhã é básico, mas saboroso. Outro fator importante é que o preço das diárias cabe no nosso bolso. Se preferir, consulte outras opções de hospedagem na cidade.

O que levar | Como aqui faz sol praticamente o ano inteiro, é indispensável trazer protetor solar, roupas leves e um boné ou chapéu. Repelente de insetos, sandálias, tênis confortável e uma garrafinha de água também devem estar em sua bagagem.

Minha viagem teve o patrocínio de Cerrado Dourado.

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

6 Comentários

  1. Olá!
    Muito bom seu post!
    Gostaria de saber se é extremamente necessário dividir a estadia entre essas duas cidades. Estava pensando em ficar apenas em Mateiros.

    • Altier Moulin

      Oi, Priscila.

      Esta é a melhor opção para não haver muitos deslocamentos, muito vai e vem. Mas há agências que fazem hospedagem em uma cidade apenas.

      Um abraço.

  2. Muito legais os seus textos sobre o Jalapão! As fotos são incríveis. Vou pra lá no mês que vem por conta própria com um amigo. A partir de Palmas, qual roteiro você indicaria para uma viagem de 5 dias pelas cidades de Ponte Alta, Mateiros, São Felix? Por exemplo, quantos dias ficar hospedado em cada uma das cidades para aproveitar ao máximo as atrações turísticas?

Escreva um comentário

Inline
Inline