Os destinos gay mais incríveis do mundo

0

Atualizado em 29 de outubro de 2016

Em qualquer lugar a cena gay é sempre divertida e tem uma energia super positiva. As baladas mais animadas, os restaurantes mais procurados, aquela gente de alto-astral e tudo de bom gosto se encontram nas ruas e nos bairros que já saíram do armário há muito tempo para fazer a alegria de turistas do mundo inteiro. Então, veja quais são os  destinos gay mais incríveis do mundo.

Para você se inspirar, eu listei cinco destinos gay-friendly que bombam o ano todo e que sempre estão prontos para lhe receber de braços abertos. Claro que essa lista poderia ser muito mais extensa: Berlim, na Alemanha, Amsterdã, na Holanda, e a Praia de Mykonos, na Grécia, são outros destinos imperdíveis, sem falar dos nacionais Rio de Janeiro e Florianópolis, claro.

Os destinos gay mais incríveis do mundo

Os destinos gay mais incríveis do mundo

O famoso encontro da Falson Street. Foto: torbakhopper

San Francisco, Estados Unidos

O mais tradicional destino gay do mundo foi, também, o pioneiro na luta pelos direitos da comunidade LGBT. Para você ter uma ideia, a primeira união estável entre pessoas do mesmo sexo aconteceu na cidade há mais de uma década antes de a Suprema Corte americana oficializar o ato em todo o país.

A primeira Parada do Orgulho Gay de San Francisco aconteceu na década de 1970 e, ainda hoje, arrasta para cá cerca de meio milhão de pessoas, no mês de julho. Outro evento que sacode a cidade nesse mês é o Festival Internacional de Cinema LGBT. Em setembro, tem a feira do fetiche, a famosíssima Folsom Street Fair, e, em outubro, a Castro Street Fair.

Em San Francisco, o Castro District é uma das principais áreas gays da cidade. Aqui, a calçada da Rainbow Honor Walk conta a história da comunidade gay na cidade, e o GLBT History Museum tem fotos e documentos que retratam o passado de lutas de San Francisco. Além disso, para quem quer badalação, a noite do Castro é famosa por celebrar a vida sem amarras nos bares e nas boates.

Sydney, Austrália

Essa fantástica cidade australiana tem o maior carnaval gay do planeta. O Sydney Gay and Lesbian Mardi Gras movimenta a cidade e atrai gente bonita de todo o país e do mundo. Na verdade, essa é a maior celebração do Orgulho Gay que acontece no país, mas em todas as cidades há uma forma diferente de comemorar a data. Isso mostra o quanto o país é aberto para a comunidade gay.

Sydney tem mais de 30 praias belíssima e, nelas, corpos sarados e bronzeados pelo sol australiano desfilam sem muito pudor. Se durante o dia as praias são um ótimo lugar para aquela pegação, à noite, não faltam opções de bares, restaurantes, boates e pubs..

Para quem gosta de ferver, a minha dica é aproveitar as famosas pool parties dos bairros Potts Point e Elizabeth Bay, onde se concentra a comunidade gay de Sydney. Também vale visitar a Oxford Street, localizada entre os bairros Darlinghurst e Surry Hill, centro da cultura gay desde a década de 1960. Ao todo, são mais de dez bairros gays espalhados pela maior cidade da Austrália.

Os destinos gay mais incríveis do mundo

A principal rua gay de Montreal. Foto: Eric Sehr

Montreal, Canadá

Eu adorei Montreal com seu estilo europeu. No lado francês do Canadá, a cidade tem muita gente bonita e, o que é melhor, sem o mínimo interesse em ficar fazendo carão: se algum bofe lhe achar interessante ele irá olhar e lhe cumprimentar sem rodeios.

O Canadá é um país extremamente aberto para as questões LGBT: ele foi um dos primeiros a reconhecer o casamento entre pessoas do mesmo sexo, e seu povo se caracteriza pela diversidade e pela tolerância.

O grande destaque de Montreal é o famoso bairro Le Village, conhecido como o centro da cena gay na cidade.  Aqui estão excelentes restaurantes, bares animados e uma comunidade ativa, acolhedora, ousada e vibrante.

Ao visitar a cidade no verão, você também poderá conferir alguns eventos considerados referência para o mundo, como o Artfest, que acontece em julho, a Parada Gay Divers/Citê, em agosto, o Imagenation Film Festival, em novembro, e o Black & Blue Festival, que reúne cerca de um milhão de pessoas em outubro.

Brighton, Inglaterra

O último destino dessa lista fica na Europa. Com uma vibrante comunidade gay – são mais de 40 mil pessoas – Brighton fica à uma hora de trem de Londres. Na cidade que tem o maior número de famílias gays do país, o bairro de Kempton é onde tudo acontece. Aqui, bares, cafés, livrarias, saunas e hotéis concentram gays de todas as partes do mundo que chegam para descobrir o lugar.

Como é uma cidade litorânea, no verão, dá para curtir as praias de Brighton que ficam lotadas nessa época. Para quem quer se lançar nesse mar de liberdade, a dica é visitar a praia de nudismo.

Brighton conta ainda com um calendário de eventos diversos como o Brighton Pride, que completou 25 anos no ano passado, o Brighton Bear Weekend, o Brighton Marathon Weekend, o Foodies Festival, um dos principais eventos de gastronomia da Grã-Bretanha e o Brighton Festival, que em 2016 completa 50 anos.

Os destinos gay mais incríveis do mundo

A parada gay de Tel Aviv. Foto: Niv Singer

Tel Aviv, Israel

Embora muitos de nós tenhamos uma imagem mais civilizada de Israel, a capital dos judeus  nada tem a ver com aquele preconceituoso conceito que muitas vezes criamos sobre países do Oriente Médio. Moderna, cheia de gente bonita e sarada, Tel Aviv tem uma das noites gay mais agitadas do planeta.

Mas se a ferveção é geral na madrugada, com o sol quente, são as praias da cidade que viram um imperdível ponto de encontro e de pegação. Aqui, também é comum muito comum ver famílias de homossexuais brincando com os filhos na areia: é muito fofo!

O principal evento da cidade é Tel Aviv Pride, que acontece entre maio e junho. Para quem jamais pensou em visitar a Terra Santa, eu aposto que, agora, você muda de ideia.

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

Escreva um comentário

Inline
Inline