Conheça as Ilhas Ballestas

2

Atualizado em 22 de março de 2017

Quem vem ao Peru, quase sempre, fica restrito ao roteiro Lima, Cusco e Machu Picchu. Mas, hoje, eu quero apresentar a você as Ilhas Ballestas.

Para conhecer as Ilhas Ballestas, que ficam na maior reserva ambiental do Peru, você tem que vir a Paracas, uma pequena cidade a 260 quilômetros ao sul de Lima. E quando chegar aqui, você vai ver que tudo ao redor é um imenso deserto. E é mesmo. É aqui que começa o deserto mais seco do mundo que, lá no Chile, é chamada de deserto do Atacama.

Para chegar ao arquipélago, a gente tem que navegar cerca de 30 minutos. Pelo caminho, a paisagem é sensacional. Dá para ver até o candelabro, um desenho feito por civilizações pré-colombianas. Mas quando a lancha chega às ilhas, tudo é uma maravilha. Centenas, milhares de aves voam para todos os lados. Dá para ver um monte leão-marinho dormindo sobre as rochas. É um paraíso.

Depois de duas horas de passeio, é hora de voltar para terra firme. Mas eu tenho certeza que você estará agradecido por encontrar um lugar tão especial, assim, no Peru. Se você quiser saber todos os detalhes deste passeio, o link está na descrição do vídeo: penaestrada.blog.br/ilhasballestas.

Eu espero ter inspirado você a conhecer as Ilhas Ballestas. Se tiver alguma dúvida, deixe aqui nos comentários.

Ilhas Ballestas

Esse pequeno arquipélago abriga mais de 200 espécies de aves, incluindo o famoso pelicano peruano, que chega a medir mais de um metro de altura, e o pinguim de Humboldt, ameaçado de extinção no país. Aqui, também é fácil observar leões-marinhos descansando sobre os rochedos e brincando nas pequenas enseadas desse santuário da vida no Oceano Pacífico.

Embora o Peru tenha um pequeno litoral, comparado com tantos outros países, a costa peruana tem uma das maiores biodiversidades do mundo, e isso reflete na quantidade de peixes que encontramos por aqui: do país, sai cerca de 10% de todo o pescado consumido no mundo.

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

2 Comentários

Escreva um comentário

Inline
Inline