Como é visitar a Casa de Anne Frank

11

Atualizado em 5 de junho de 2017

Quem chega a Amsterdã tem várias opções: passear por seus seculares canais, caminhar pelos parques, visitar os inúmeros museus ou apreciar as tulipas que se abrem na primavera. Porém, conhecer a Casa de Anne Frank é uma viagem introspectiva e despertadora de sentimentos especiais.

Transformadas em museu, a casa onde a adolescente morou com outras sete pessoas por quase dois anos, durante a Segunda Guerra Mundial, e a antiga fábrica de Otto Frank, pai de Anne, contam a história de perseguição e extermínio de judeus e outras minorias em boa parte da Europa durante os anos 1939 a 1945.

Anne, uma inteligente jovem alemã refugiada na Holanda dos anos 1940, é quem nos conduz por esse passado tão vergonhoso para toda a humanidade. Confinada no esconderijo e com o mínimo contato com o mundo externo, ela passa a registrar, em seu diário, os detalhes da vida no submundo de Amsterdã durante a Segunda Guerra Mundial.

Como é visitar a Casa de Anne Frank

A primeira sala do museu Casa de Anne Frank.

Como é visitar a Casa de Anne Frank

O diário com as anotações de Anne Frank.

Como é visitar a Casa de Anne Frank

A estante que esconde a entrada para o esconderijo. 

A casa da Família Frank

O esconderijo era uma casa simples, com pouquíssimo conforto e quase sem privacidade. Para chegar até ela, uma estante móvel foi construída e colocada de forma que bloqueasse a entrada. Assim, Otto esperava salvar a sua família e os amigos mais chegados, todos judeus perseguidos pelo regime nazista.

CLIQUE E SAIBA MAIS SOBRE A IDEOLOGIA NAZISTA

Infelizmente, depois de um longo período, todos foram capturados e enviados para os campos de concentração, onde a maioria morreu. Alguns foram enviados para as câmaras de gás e outros não resistiram às doenças, que se multiplicavam devido às péssimas condições de higiene e de atenção médica dos acampamentos. O único sobrevivente foi o criador do esconderijo, Otto Frank.

Anne, que sonhava em ser jornalista, morreu nos primeiros meses de 1945, aos 15 anos, vítima de tifo. Seu legado, registrado em um simples diário, tem inspirado milhares de pessoas que visitam o prédio da Rua Prinsengracht todos os dias e se multiplicado em livros, filmes e peças teatrais ao longo dos anos.

Hoje, a Casa de Anne Frank está vazia, já que todos os móveis e objetos foram subtraídos pelos nazistas depois da prisão de seus donos. Como não é permitido fotografar aqui dentro, todas as fotos do interior da casa foram produzidas pelo museu e têm direitos de uso restrito.

Como é visitar a Casa de Anne Frank

O quarto de Anne Frank com decoração especial para registro fotográfico.

Para saber mais sobre Anne Frank

Alguns filmes e séries de tevê foram produzidos desde a divulgação do diário com as anotações de Anne. O mais famoso e o mais reconhecido é o Diário de Anne Frank, de 1959, que ganhou três Oscars. Em 2009, a BBC produziu uma série de altíssima qualidade com supervisão da Casa de Anne Frank: O Diário de Anne Frank – Minissérie Especial  está disponível em DVD e Blu-ray.

Vários livros foram publicados com base nas anotações da garota alemã de origem judia. O Diário de Anne Frank: Edição Definitiva foi editado no Brasil pela Record. Há outras publicações que abordam a história da família Frank e dos amigos, como Os Colegas de Anne Frank – O Reencontro dos Sobreviventes do Liceu Judaico, da editora Objetiva.

Durante a visita à Casa de Anne Frank, você poderá comprar um catálogo com o resumo do diário. Ele custa EUR 13,50 e traz, em português, além de trechos da narrativa de Anne, fotos e explicações que contextualizam sua história.

Como é visitar a Casa de Anne Frank

O resumo do Diário que você pode comprar na Casa de Anne Frank.

Programe sua visita à Casa de Anne Frank

Quanto custa | A entrada na Casa de Anne Frank custa EUR 9. Crianças de até  nove anos não pagam e quem tiver entre 10 e 17 anos paga EUR 4,50.  É muito importante saber que, das 9h às 15h30, o museu abre somente para visitantes que já compraram o ingresso pela internet com horário marcado. Compre seu tíquete aqui.

Depois desse horário, não é mais necessário ter o bilhete on-line, sendo possível visitar o museu comprando seu ingresso na bilheteria, mas sempre há uma fila grande na entrada.

Quando ir | O museu funciona todos os dias, das 9h às 22h, de abril a outubro, e de 9h às 19h, de novembro a março. O verão na Holanda é quente e úmido, e as chuvas são mais frequentes entre setembro e janeiro, sendo que outubro é o mês que mais chove. Historicamente, abril é um mês com poucas chuvas. É nesse período, entre abril e maio, que dá para apreciar os campos cheios de tulipas.

Como é visitar a Casa de Anne Frank

Onde ficar | Amsterdã é uma cidade super acolhedora, moderna e cheia de coisas para você descobrir. Ficar perto da Estação Central é garantia de facilidade de locomoção para todos os cantos. Mas isso não será um problema para você na cidade, já que ela tem um excelente sistema de transporte público. O bairro Joordan é ideal para quem quer conhecer melhor o estilo de conviver com os canais e de morar – pelo menos por uns dias – pertinho das casas tradicionais da cidade. Veja a lista completa com as melhores opções de onde ficar em Amsterdã.

Como chegar | O aeroporto mais importante de Amsterdã é o Aeroporto Internacional de Schiphol (AMS). A principal companhia aérea do país é a KLM, que tem voos diretos saindo de São Paulo e do Rio de Janeiro. Para chegar ao Centro, você pode pegar um trem das linhas 2662 e 9264 na estação que funciona no subsolo do aeroporto.

Os trens internacionais também são uma maneira muito fácil de viajar para cá, partindo de qualquer um dos principais países europeus. A NS é a empresa que opera esse sistema de trens. Para quem quer viajar de carro, as estradas da Holanda são excelentes e têm boa infraestrutura.

Como é visitar a Casa de Anne Frank

Visto e documentos | Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer na Holanda por até 90 dias. Porém, é necessário apresentar o passaporte com validade de, pelo menos, seis meses. É muito importante saber que o seguro viagem é obrigatório, e que, sem ele, você pode ser impedido de entrar o país. Veja como comprar o seguro viagem.

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

11 Comentários

  1. Meu Deus você expõe suas críticas de um jeito que nunca vi antes. Adorei seu post. Sou fascinada pela Anne e planejo ir logo visitar a casa!
    Amei esta de parabéns !!!!

  2. Jhullhya Alves Oiveira on

    Não tem como só dizer que é lindo o seu trabalho, mas que é maravilhoso. Eu estive na casa e não há palavras para descrever essa obra.

  3. Sensacional esse post!!
    Ano passado e estive lá, e lembro até hoje a sensação de ficar uns bons 40min na fila debaixo de frio e chuba para entrar e isso só intensificou o sentimento que se passa quando se está la dentro.

Escreva um comentário