Conheça as cachoeiras de Carolina no Maranhão

51

Atualizado em 4 de setembro de 2017

É por causa das Cachoeiras de Carolina que essa cidade, que fica a 800 quilômetros de São Luís, no sul do Maranhão, é chamada de Paraíso das Águas. Aqui, em pouco mais de seis mil quilômetros quadrados, já foram encontradas exatamente 89 cachoeiras e mais de 400 nascentes. Para você ter uma ideia, só no Complexo da Pedra Caída, que eu visitei quando estive na cidade, estão 25 quedas d’água.

A cidade é famosa justamente por suas cachoeiras e, para lhe ajudar a preparar um roteiro que contemple as mais importantes quedas d’água da região eu fiz uma lista com as principais cachoeiras de Carolina. Mas isso não é tudo, se você está planejando vir para cá se prepare para conhecer os atrativos do Parque Nacional da Chapada das Mesas, uma área de natureza e relevos exuberantes, e as cidades que ficam ao seu redor, como Riachão onde estão o Poço e o Encanto Azul.

As cachoeiras de Carolina

Cachoeira de São Romão | É a mais volumosa da região e fica dentro da área do Parque Nacional. Chegar aqui não é tão simples, mas vale a pena. São 85 quilômetros de viagem sendo que 50 deles em estrada sem calçamento. Esse trecho é até razoável, mas é praticamente todo em areia e isso significa que apenas carros traçados conseguem passar. Há ainda várias bifurcações, riachos e porteiras – ou cancelas, como chamam aqui – pelo caminho. Portanto, a melhor opção é estar acompanhado de um guia.

Aqui, aproveite para caminhar por trás da cortina d’água e observar como as andorinhas fazem um balé aéreo passando pela queda para chegar ao paredão de rocha que a sustenta.

É cobrada uma entrada de R$ 10. Os moradores servem almoço: o peixe frito que serve três pessoas custa R$ 58. A carne de sol, também para três pessoas, custa R$ 50. A galinha caipira para seis pessoas sai por R$ 100. O almoço acompanha arroz, feijão, macarrão, farofa e salada, e deve ser agendado pelo telefone (99) 98152-4480 ou com os guias antes de sua chegada aqui.

Eu sugiro que você visite a cachoeira no período da tarde, quando o sol a ilumina de frente. No local há banheiros e um bar. Não é permitido acampar na área da Cachoeira de São Romão.

As cachoeiras de Carolina

A caudalosa São Romão.

As cachoeiras de Carolina

As andorinhas que habitam a cachoeira.

Cachoeira da Prata | Ela fica a 30 quilômetros da Cachoeira São Romão e para chegar aqui passo por um uma estrada bem arenosa. Na verdade, essa cachoeira é um conjunto de quedas d’água que se transformam em uma só durante o período chuvoso. Há ainda um grande lago que se forma antes da queda principal onde você pode nadar tranquilamente.

O Rio Farinha, onde está a cachoeira, faz divisa dos municípios de Carolina e Estreito, em suas margens há pequenos bancos de areia onde você também pode se banhar.

Aqui é cobrada uma taxa de entrada de R$ 5. Não é permitida entrada de bebidas alcoólicas, mas é possível acampar na região pagando uma taxa extra de R$ 5.

O almoço, que aqui é servido sob cabanas de palha, é feito no fogão a lenha e eles oferecem basicamente as mesmas opções que você encontra na São Romão. A única diferença é o preço mais baixo.

Eu sugiro que você visite esta cachoeira no período da manhã, quando o sol a ilumina de forma mais completa refletindo nela tons prateados – por isso ela tem o nome de Cachoeira da Prata. Para chegar bem perto da queda d’água é preciso fazer uma caminhada de cinco minutos por uma trilha bem fácil.

As cachoeiras de Carolina

Uma das quedas da Cachoeira da Prata.

As cachoeiras de Carolina

A paisagem no período da seca.

Cachoeira Aldeia do Leão | A apenas 10 quilômetros do Centro de Carolina, essa ainda é uma cachoeira pouco conhecida. A queda d’água não é grande, mas forma uma piscina natural ideal pra quem quer tranquilidade e um pouco mais de sossego.

A entrada custa R$ 5 e a fazenda tem banheiros, e um bar que vende bebidas e lanches rápidos. Deixando a BR-230, é preciso dirigir por seis quilômetros de estrada sem calçamento. Há placas indicando o caminho.

Cachoeira de Itapecuru | Essa cachoeira fica no povoado de São João das Cachoeiras, a 30 quilômetros do centro de Carolina. Nesse trecho, 1,2 quilômetro não tem calçamento, mas a estrada é boa e permite que carros de passeio cheguem com tranquilidade.

Também chamadas de Cachoeiras Gêmeas, essas quedas d’água formam um grande lago onde você pode nadar com tranquilidade e até mesmo passear de caiaque, pagando R$ 10 por 20 minutos.

Na margem esquerda do rio, observe as ruínas da antiga hidrelétrica que é considerada a primeira de toda a Região Norte e Nordeste.

A entrada aqui custa R$ 10, mas nos finais de semana e feriados o preço sobe para R$ 20. Quem quiser pode ficar hospedado nos chalés. A diária custa a partir de R$ 120, o casal.

As cachoeiras de Carolina

A beleza das Cachoeiras Gêmeas.

Balneário Queda D’água | Esse balneário, que na verdade não tem cachoeiras, fica no caminho para a Cachoeira de Itapecuru. As piscinas, que hoje servem para diversão de quem chega aqui, se formaram pela barragem da antiga hidrelétrica que funcionou nessa área.

No balneário há uma pequena ilha que divide o Rio Itapecuru e forma as cachoeiras gêmeas. A entrada custa R$ 8, de segunda a sexta, e R$ 10 nos finais de semana e feriados.  Há um bar e banheiros.

Cachoeira do Dodô | Seu Dodô era um sertanejo sem estudo que descobriu sozinho como cuidar da terra e tirar dela o melhor. Assim, viveu anos nesse pedaço de chão encravado no coração da Chapada das Mesas e hoje a cachoeira que leva seu nome é visitada por gente de várias partes do mundo.

A Cachoeira do Dodô fica a 33 quilômetros do centro de Carolina, sendo que 1,5 quilômetro não tem calçamento. A entrada custa R$ 5 e você pode almoçar aqui. A galinha caipira que serve até sete pessoas custa R$ 100 e o peixe frito para três pessoas sai por R$ 45. As duas opções vêm acompanhadas de arroz, feijão, farofa, macarrão e salada.

Se quiser acampar ao redor da cachoeira você terá que pagar uma taxa de R$ 10, mas fique esperto porque não é permitida a entrada de bebidas alcoólicas. Uma água no bar da fazenda custa R$ 3.

As cachoeiras de Carolina

A Cachoeira do Dodô.

As cachoeiras de Carolina

Os peixinhos que brincam no lago que se forma aos pés da queda.

Cachoeira Santa Bárbara | Essa é a cachoeira mais alta da região e fica na cidade de Riachão, a 135 quilômetros de Carolina. Com 70 metros de altura ela escorre por um paredão de arenito e forma um lago de água gelada e cheio de graça. A caminhada até ela é feita por trilhas suspensas.

A Santa Bárbara fica no Complexo do Poço Azul, onde estão várias outras cachoeiras como a dos Namorados e de Santa Paula. Para chegar aqui você anda por 38 quilômetros de estrada sem calçamento. Mas não se preocupe, pois, a manutenção nela é constantemente e isso ajuda para que veículos de passeio cheguem aqui tranquilamente. Veja outros detalhes em: O Poço Azul da Chapada das Mesas.

As cachoeiras de Carolina

A exuberante Santa Bárbara.

As cachoeiras de Carolina

O fascinante Poço Azul.

Cachoeira do Santuário | O Complexo da Pedra Caída fica a 36 quilômetros do centro de Carolina e a seis da entrada do Parque Nacional da Chapada das Mesas. Aqui, apenas sete de suas 25 cachoeiras podem ser visitadas. As demais ficam distantes e ainda não estão acessíveis.

Para chegar até a Cachoeira do Santuário eu caminho 600 metros por passarelas e rampas suspensas e atravesso cerca de 50 metros dentro do Cânion do Santuário com água até a cintura. A cachoeira fica escondida pelos paredões do cânion e o som da queda d’água é minha única referência. Eu explico todos os detalhes em: Complexo da Pedra Caída: natureza e aventura.

A piscina que se forma na base da cachoeira tem 1,5 metro de profundidade, em média, e uma espeça nuvem de água se espalha pelo ar o tempo todo. Por isso, não reclame se não conseguir tirar aquela foto perfeita.

Quando estiver por aqui, não deixe de dar uma passada no mirante do Santuário, uma ponte suspensa que também é chamada Ponte do Pedro. A entrada no Complexo custa R$ 50 e você pode desfrutar das piscinas e do toboágua. O passeio para essa cachoeira custa R$ 25. Além da Cachoeira do Santuário, eu visitei a do Capelão e a da Caverna.

As cachoeiras de Carolina

A Cachoeira do Santuário é cercada por paredões.

As cachoeiras de Carolina

A cânion que protege a cachoeira.

Planeje seu passeio pelas cachoeiras de Carolina

Quando ir |  Esta região do Nordeste tem basicamente duas estações: inverno e verão. O inverno, que é a estação chuvosa, vai de outubro a abril. O verão, a estação seca, vai de maio a setembro. Essa é a época ideal para visitar as cachoeiras de Carolina e conhecer os atrativos da Chapada das Mesas. O aniversário de Carolina é no dia 8 de julho e na primeira semana do mês acontecem os festejos na cidade.

Como chegar | Você tem várias opções para chegar a Carolina e eu explico todos os detalhes em: Como chegar a Chapada das Mesas.

Onde ficar | A Pousada do Lajes é uma das melhores opções de Carolina. Ela fica a apenas dois quilômetros do Centro e tem uma estrutura rústica, bem coerente com a paisagem natural que você vê ao redor. As diárias e incluem um delicioso café da manhã com frutas e outras iguarias locais. Os quartos são equipados com ar condicionado e a piscina é ideal para nos refrescar do sol quente do Maranhão. Veja todas as minhas sugestões em: Onde se hospedar na Chapada das Mesas.

As cachoeiras de Carolina

O farto café da pousada.

As cachoeiras de Carolina

O meu quarto na Pousada do Lajes.

Onde comer | Já na entrada de Carolina, a Churrascaria Estrela do Sul oferece um bom cardápio com opções para todos os bolsos.  O rodízio custa R$ 38,90, o buffet sai por R$ 36,90, o quilo, e o famoso prato feito custa R$ 14.

O Restaurante Rio Lajes, que fica em frente à Pousada do Lajes, tem refeições fartas e bem saborosas – com aquele gostinho caseiro, sabe? – por R$ 25. No almoço e no jantar eles servem peixe frito, galinha caipira e carne de sol acompanhados de arroz, feijão, salada e farofa. Hóspedes da Pousada têm desconto.

O restaurante flutuante Chega Mais fica no Rio Tocantins e tem opções como pizza, mariscos, massa e carnes grelhadas. É tudo muito simples, mas agradável. Eu comi uma picanha na chapa acompanhada de arroz, farofa, feijão tropeiro, salada e batata frita, e paguei R$ 40, para duas pessoas.

Uma opção para suas noites é a Pizzaria Tio Pepe, que funciona na Praça Jose Alcides de Carvalho. Aqui você pode acompanhar o movimento da cidade enquanto come pizza, lanche ou uma boa massa.

As cachoeiras de Carolina

A comida caseiro do Restaurante Rio Lajes.

Quem leva | Durante os meus dias na Chapada das Mesas eu fui muito bem atendido pela Cia do Cerrado, empresa pioneira em ecoturismo na região. Eles têm passeios para todas as cachoeiras de Carolina e a viagem é feita em veículos confortáveis, sempre acompanhada de explicações atenciosas do guia, que faz também o papel de motorista.

Bancos | A cidade tem agências do Bradesco, do Banco do Brasil, do Banco da Amazonas e lotéricas. Não há Banco 24Horas.

Telefone e Internet | Celulares da Tim, Vivo e Oi funcionam bem. A internet na maioria dos lugares é a rádio e nem sempre funciona bem.

Minha viagem  teve o patrocínio de Cia do Cerrado e Pousada do Lajes.

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

51 Comentários

  1. Olá! Sou aqui de Carolina/MA e quero parabenizar toda a equipe do blog Pé na Estrada pela excelente reportagem. Aqui somos privilegiados com as mais deslumbrantes cachoeiras e belezas naturais Sem dúvida alguma é um dos lugares mais bonitos do mundo.

    Obrigado pela reportagem.

    • Altier Moulin

      Eu que agradeço a vocês de Carolina por me receberem tão bem, James.
      Sua terra é realmente linda e mundo está descobrindo isso.

      Um abraço.

  2. Olá adorei seu post!

    Como faço para falar pessoalmente com você? Estou indo ao Maranhão com minha família é preciso de dicas de alguém como você que esteve neste local.

    Abraços!

  3. BETTRICE PONCE on

    Ola…

    Adorei a as informações, mas você pode me dizer se com criança pequena e difícil pra se locomover até chegar às cachoeiras?

    Obrigada desde já.

    • Altier Moulin

      Oi Bettrice,

      Em algumas cachoeiras anda-se bem pouco. Na do Itapecuru, por exemplo, a caminhada é super leve. Já no Romão, do Prata e no Lago Azul caminha-se mais, então é só ir devagar. Não é nada impossível.

      Mas não se esqueça do protetor solar e do repelente. 😉

      Um abraço.

  4. Bom dia. Amigo, primeiramente parabéns pelas excelentes matérias sobre as cachoeiras de Carolina. Todas essas informações reforçaram definitivamente minha imensa vontade em conhecer esses lugares em setembro deste ano. Minha preocupação e o que está me deixando inquieto é o fato de eu ter uma filha de 1 ano e meio, então pergunto à vc se ficaria inviável algumas rotas ou quais vc sugere, em levá-la comigo nessa aventura que com certeza será inesquecível. Será que minha bebe ficará bem?Obrigado pela atenção.

  5. Olá, parabéns pelo post e também estou com vontade de conhecer estas cachoeiras. Porém, gostaria de perguntar: Você disse que de final e começo de ano tem a estação chuvosa, porém gostaria de saber se nesse período ficaria inviável conhecer alguns lugares, tipo como acontece em Santarém/PA que possui um período específico ou se o único problema seriam as chuvas? Você sabe me dizer? Desde já fico agradecido pela atenção!

    • Altier Moulin

      Oi Yuji,

      Não. Diferentemente do que acontece em Santarém, no Pará, você pode visitar as cachoeiras de Carolina durante todo o ano.
      O único ‘problema’ é mesmo a chuva, que pode cair com mais frequência do que em outras épocas do ano.

      Um abraço.

  6. Ola

    Gostaria de saber como faço pra ir, vou de Slz de trem até Açailândia, como faço pra ir p Carolina de ônibus, algum lugar q possa saber os horários dos ônibus?

    Aguardo resposta

    • Altier Moulin

      Oi, Elizabete.

      O verão, a estação seca, vai de maio a setembro. Essa é a época ideal para visitar as cachoeiras de Carolina e conhecer os atrativos da Chapada das Mesas.
      Em fevereiro, pode ser que você pegue alguns dais de chuva, mas nada que atrapalhe realmente seu passeio.

      Um abraço.

  7. Rafael Cavalcante on

    Bom dia Altier, parabéns pelo blog, simplesmente excelente!
    Em três dias na região consigo fazer:
    Dia 1 – portal da chapada (manha) e Morro do chapéu (tarde)
    Dia 2 – poço Azul
    Dia 3 – Pedra Caída

    Vc mudaria ou acrescentaria algo? o dia 1 é possível fazer os dois pontos marcados.

    Agradeço a atenção.

    Rafael

    • Altier Moulin

      Oi, Rafael.

      No dia 1, troque a ordem. Faça o Morro do Chapéu pela manhã e o Portal no pôr do sol.
      No dia 2, faça o Poço Azul e o Encanto Azul, que ficam bem perto.
      No dia 3, acho que aproveitar a Pedra Caída é interessante.

      Um abraço.

  8. Boa tarde quanto às águas claras, marquei de ir agora na semana santa para Carolina-MA, porém estou com medo de que as águas do poço azul estejam barretas, por causa da chuva, corro esse risco?

  9. Boa noite. Olhei no site que o valor para entrar no no santuário de pedra caída é R$ 60,00 por pessoa, só para entrar, é isso mesmo?

Escreva um comentário

Inline
Inline